domingo, 18 de setembro de 2011

VALE A PENA LER ESTA CARTA

Confira

38 comentários:

Anônimo disse...

Obrigada ao Prof. Luciano Mendes de Farias por tão brilhante carta. Espero que outras pessoas, tenham a mesma sensibilidade do Sr. e nos dê apoio nessa batalha árdua e tão desigual.

Maria Helena - Ipatinga

Lenise Motta disse...

Gostei da Carta, mas sinto que o Professor se esqueceu de dizer que, com a decisão do "nobre desembargador" ficou instituido em Minas o trabalho escravo.
Pois essa decisão coloca nas mãos dos professores a obrigação constitucional do Estado de fornecer Educação.
A nossa greve não é abusiva. Abusivo é o descaso do Estado com a educação Mineira.

Anônimo disse...

Olá Beatriz,

Senti muita raiva ao ver a propaganda do governo na TV. Penso que agora é o momento de também prepararmos uma RESPOSTA pela mídia, para a sociedade minera. Assim como fez o governo, precisamos contar a nossa versão e de forma 'criativa' e urgente; usando a fala do senador Cristóvão Buarque e trecho da carta do professor Luciano Mendes; além de informações verdadeiras com dados verdadeiros e convincentes. Não podemos deixar que o governo dê a ‘última palavra’ na mídia, como se tivéssemos perdido a batalha e a luta já tivesse acabado. Não, ela não acabou; e é preciso deixar isso claro na mídia. NÃO SOMOS NÓS QUEM DEVEMOS NOS SENTIR CONSTRANGIDOS, (como a propaganda do governo tenta passar); mas sim o governo, que vem criando 'brechas' para tentar descumprir uma ‘lei federal'.

Professora de Montes Claros

Anônimo disse...

Se aquela SENHORA que está mentindo nas REDES de TV sobre a Educação em MG, for UMA PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO DE MG,eu tenho vergonha de ser sua COLEGA DE PROFISSÃO,e se não for,sinto MAIS VERGONHA AINDA de SER UMA CIDADÃO MINEIRA COMO ELA.

Anônimo disse...

Parabéns ao companheiro que redigiu essa carta, pois ela relata totalmente a nossa luta pela valorização profissional e o nosso inconformismo ante as injustiças a que tentam nos subjugar e submeter.Mas somos conscientes ,do que nos é ,de direito e de fato.Temos a mobilização e organização da categoria, como principal defesa contra a injustiça cometida pelos pela "juizite de plantão", e que se submetem às mazelas desse governo para colocar no "Banco dos Réus" , os educadores e a educação de Minas Gerais.Isso sim, é abuso,abuso de autoridade,como também são abusivos os valores arbitrados em forma de multa ao Sin-UTE.Sendo clara a tentativa de aniquilar o sindicato ,que muito tem honrrado a categoria ,no cumprimento das suas atribuições ,e no empenho da luta pela conquista e manutenção de direitos da categoria.

Anônimo disse...

Tenho absoluta certeza que a Composição de Arnaldo Antunes/Sérgio Brito/Marcelo Fromer e Cantada pelos Titãs, não tem o proposito citado por este tão dignissimo desembargador, mais infelismente cada um interpreta de acordo com seus interesses. Os autores com certeza não sabem deste despautério ou então cobrariam os direitos de uso indevido de sua obra...

Anônimo disse...

Olá Beatriz! Muito emocionante a fala do Cristovão Buarque. Estou em greve desde o dia 8 de junho, na minha escola (Orestes Diniz no Citrolândia). E nesse tempo todo a nossa luta era para que uma lei fosse cumprida , obedecida, respeitada, etc. Chegamos em um ponto em que o governo não quer saber de negociar e usa a justiça como sua aliada.

Percebo que chegou o monento de mostrarmos uma atitude de grandeza. Se o governo não sabe ouvir a justiça , que mostremos para a sociedade que nós professores sabemos ouvir a justiça. Não é fugir da luta, mas guardar forças, por que não perdemos a guerra mas uma importante batalha. da próxima vez estarei lutando com a mesma força de hoje. Mas amanhã gostaria de votar para que retornemos às aulas. Me desculpe pela opinião.

Anônimo disse...

Depois de ler esta carta, acabei de conversar com minha familia e ir à SEE para pedir minha demissão como professor de física. Enquanto criança, aprendi com meu pai, muito inteligente, mas analfabeto, o ofício de ser confeiteiro. A luta meus bravos colegas, não deixem a peteca cair como eu já o fiz.

Anônimo disse...

Onde esta a justiça realmente,pois um escola em Caete,onde la os professores resolveram abrir a boca falando sobre violencia,pois isso nimguem ve,apesar de alguns por necessidade estarem trabalhando e a verdade esta aos pouco aparecendo, onde estao os desembargadores,sumram

Marlene Alves disse...

Parabéns ao professor Luciano pela aula de cidadania ministrada ao representante da justiça que decretou o fim da greve.
Parabéns ao sindicato e aos professores que permanecem acreditando no posicionamento da mesma JUSTIÇA que decretou o PISO SALARIAL para os servidores da Educação do País. Afinal, a Lei foi feita para ficar só no papel ? Acorda Minas Gerais ! reconheça a supremacia do STF !!!

Marlene Alves disse...

Parabéns ao professor Luciano pela aula de cidadania ministrada ao representante da justiça que decretou o fim da greve.
Parabéns ao sindicato e aos professores que permanecem acreditando no posicionamento da mesma JUSTIÇA que decretou o PISO SALARIAL para os servidores da Educação do País. Afinal, a Lei foi feita para ficar só no papel ? Acorda Minas Gerais ! reconheça a supremacia do STF !!!

Marlene Alves disse...

Parabéns ao professor Luciano pela aula de cidadania ministrada ao representante da justiça que decretou o fim da greve.
Parabéns ao sindicato e aos professores que permanecem acreditando no posicionamento da mesma JUSTIÇA que decretou o PISO SALARIAL para os servidores da Educação do País. Afinal, a Lei foi feita para ficar só no papel ? Acorda Minas Gerais ! reconheça a supremacia do STF !!!

Marlene Alves disse...

Parabéns ao professor Luciano pela aula de cidadania ministrada ao representante da justiça que decretou o fim da greve.
Parabéns ao sindicato e aos professores que permanecem acreditando no posicionamento da mesma JUSTIÇA que decretou o PISO SALARIAL para os servidores da Educação do País. Afinal, a Lei foi feita para ficar só no papel ? Acorda Minas Gerais ! reconheça a supremacia do STF !!!

EDUCAÇÃO EM FOCO disse...

IMPORTANTE A DIVULGAÇÃO ... Professores de escolas particulares de Minas Gerais fizeram um manifesto em apoio à greve na rede estadual de ensino. "Por acreditar que a luta pela valorização dos professores deve ser abraçada por todos aqueles preocupados com a qualidade da educação, reiteramos nosso apoio à greve da categoria".
No próximo dia 20/9, será realizado um ato público, em Belo Horizonte, em defesa da educação em Minas Gerais, no qual os professores vão reafirmar o apoio ao movimento e entregar o manifesto. LINK PARA ASSINATURA http://www.sinprominas.org.br/conteudos/default.aspx?IdCanal=137

Anônimo disse...

Pronto, começam as inscrições para o concurso e no próprio site da SEE fala que a vaga dos efetivados não foram disponibilizadas e que eles agora têm direitos igualados aos efetivos. Como assim? Isso é um total absurdo e todos estão fingindo que não estão vendo, uns por própria conveniência, pois se acham realmente no direito de ocupar um cargo público sem concurso. Outros com medo de "dividir" a categoria em greve. Ah nem, como exigir cumprimentos de leis se permitimos uma aberração dessa? O que o sindicato fez para tentar impedir esse edital? NADA!

Anônimo disse...

Obrigada professor Luciano.
É de pessoas assim como você que nossa sociedade precisa. Pessoa consciente, inteligente e batalhadora.

Anônimo disse...

Beatriz, não quero mudar o foco da luta, mas quero que foquem em outro ponto: o edital do concurso. Começam as inscrições e efetivados ficam com os mesmos direitos de efetivos. Beatriz, o sindicato precisa recorrer, não podemos lutar pelo cumprimento de uma lei e concordarmos com a lei 100. O que você pode falar sobre isso. Veja bem, tem menos de 10 mil vagas para professores (as 14 mil são para todos os cargos) e 96 mil pessoas ocupando cargo público sem concurso. Tá certo que o Anastasia manda e demanda na justiça mineira, mas não podemos desistir de lutar para o fim dessa lei. Eu não tenho nada contra efetivados, mas é preciso justiça, caso contrário, muita gente ficará desempregada enquanto as vagas estão ocupadas por impostores, pois é assim que eu vejo essas pessoas que se acham no total direito de ocuparem cargos públicos sem concurso.

Anônimo disse...

Olá Beatriz, tudo bem? Hoje começam as inscrições para o concurso. E o sindicato não fez nada para impedir aquele edital, não fez nada para exigir as vagas dos efetivados. Agora te pergunto: você, que fez um concurso público e sabe que não é coisa simples, exige uma série de implicações, você acha certo pessoas sem concurso, muitos sem habilitação ocuparem vagas públicas sem passar pelo concurso? Eu sou efetivo, mas corro risco de perder meus direitos para um efetivado com mais tempo de escola do que eu. Você enquanto professora concordaria? Porque o sindicato não fala nada sobre isso? A coisa está acontecendo aí, e o descumprimento da lei do piso vai continuar, afinal, como pode haver tanta incoerência numa categoria? Querem que cumpram a lei do piso, mas defendem com unhas e dentes a inconstitucional lei 100. E agora? O que vai acontecer? A educação virou circo mesmo, e eu me sinto o próprio palhaço diante disso tudo. Gustavo Leão, Pará de Minas

Anônimo disse...

Beatriz, boa tarde. E agora? E o edital? Não vamos fazer nada para impedi-lo? Aquele número de vagas é ridiculo! E esse negócio de equiparar efetivados ao efetivos? Sei que efetivados são competentes e etc, mas não é justo, pois efetivos amargaram um concurso, uma ordem de classificação, exames admissionais, estágios probatórios e agora ainda correm o risco de terem seus direitos ocupados por um efetivado com mais tempo de serviço ou escola. Pára o mundo que eu quero descer! Onde já se viu isso? Só aqui, no soberano e independente estado de MG, onde pode tudo e não pode nada. Onde leis são cumpridas e descumpridas conformes interesses... Meu Deus, o sindicato vai ficar parado? Ou vocês já fizeram alguma coisa e não estamos sabendo. Pelo amor de Deus, Beatriz, escreva algo sobre isso, a aflição é muita! As inscrições começaram!

Anônimo disse...

Pelo amor de Deus, Beatriz, escreva algo sobre a lei 100 isso, tem matado aos poucos muita gente de tanta angústia! As inscrições começaram! Sei que você vai censurar meu comentário com medo (bobo) de dividir a categoria (nessa altura quem está de greve não sai mais dela até o piso), mas se não publicar, que ao menos você reflita sobre isso e escreva um post sobre o assunto.Você como interlocutora da nossa categoria, pessoa à quem recorremos nesses momentos de dúvida e angústias, não pode deixar isso passar batido. Porque depois que as inscrições forem feitas, bau bau, não terá mais jeito. Estamos clamando para que olhem por essa causa há meses, mas isso parece assunto proibido, não pode nem tocar nesse assunto. Por favor, reflita sobre as amarguras que essa efetivação agora totalmente respaldada trará para muitos efetivos e designados. Não é justo, vamos juntos lutar por justiça. Chega de podridão em MG. Conto com sua resposta.

Anônimo disse...

É verdade que agora os efetivados terão os mesmos direitos dos efetivos na escolha de turmas e turnos? E se o efetivado tiver mais tempo na escola? O efetivo concursado sai perdendo seus direitos? Eu não estou entendendo isso não. Gostaria de uma explicação. Os efetivos concursados podem ser prejudicados nos seus direitos por efetivados sem concurso? De onde saiu isso? Onde está a resolução que fala isso? Fiquei sabendo que houve mudanças nos decretos de forma a beneficiar os efetivados. E que essas mudanças podem prejudicar efetivos e literalmente acabar com a raça dos designados. É isso? Se for, o que faremos?

Rafa disse...

olha só pessoal
eu sou filho de uma professora de escola publica de minas, aposentada e acho que a primeira ação a ser feita é a entrada com uma ação do MEC, pois somente os professores em si, não há um total reforço da greve e mais, se houvesse essa participação possivelmente o governo de minas não poderia interferir como iterferiu dessa última vez
espero que alguem possa responder e concordar comigo

Norma disse...

Professor Luciano, não o conheço mas já o admiro. Suas palavras sábias e verdadeiras foram uma lição de vida, uma aula de cidadania. Se a pessoa a quem ela foi direcionada tiver o mínimo de sensibilidade e bom senso, teria vergonha e pediria desculpas por sua atitude impensada e precionada de acabar com sonhos de uma luta justa de tantos anos. Ele poderia ter aproveitado a oportunidade de ter entrado para a história da educação de Minas como um divisor de águas, valorizando aqueles que são injustiçados e tão necessários para a sociedade. Um abraço,professora Norma Beatriz.BH

Professor Odair José disse...

Beatriz, os agentes do governo certamente estão dando palpite aqui no blog...
A GREVE DEVE CONTINUAR MAIS FORTE, ATÉ O PISO!

COM LUTA, COM GARRA , O NOSSO PISO SAI NA MARRA!!!

ABAIXO A DITADURA! VIVA A DEMOCRACIA!!!

Anônimo disse...

Beatriz, pelo amor de Deus, fale desse maldito edital amanhã na Assembléia. Não podemos concordar com isso? O que será de nós, designados? Estamos numa greve onde não levaremos nada já que nos impuseram o subsídio e ainda por cima não tem quase vaga nenhuma para o concurso. Pelo amor de Deus, proponha um abaixo assinado impedindo esse edital sem vagas dos efetivados. O que será dos designados? Essa lei 100 agora é lei mesmo? Tipo, agora ela é legal? Não estou entendendo nada, alguém me ajude, me esclareça, estou no desespero!

GREVE GREVE GREVE disse...

Ao anônimo das 9:32:
Tenha dó, nós professores sabemos ouvir a justiça sim, queremos que a justiça aconteça e que a LEI seja cumprida!
Essa "justiça" a que você se refere, não é justiça e, portanto, não devemos e não podemos ouvir!
Não é justo considerar nossa greve abusiva, abusivo é o DESgoverno, abusivo é não cumprir LEI FEDERAL!
Então, se não houver negociação e cumprimento do piso da forma correta, nada de voltar. É GREVE GREVE GREVE e que os traidores que estão nas escolas acordem e parem de dar munição a este DESgoverno insuportável e fora da lei.
VAMOS ACORDAR PESSOAL!

Anônimo disse...

Parabéns Prof. Luciano. Quem nos dera ter outros por aí com sua coragem e retidão de caráter.
Parbéns Beatriz pela condução do movimento, que a meu ver encontra-se sufocado. Não temos a força do "gigante" mas temos a nobreza da profissão. A mídia pode ter nos derrotado mas se amanhã não conseguirmos nos sustentar voltaremos para a escola de cabeça erguida pois lutamos como valentes. De uma forma ou de outra esse piso vai sair ou então veremos a educação em Minas virar sucata.

Anônimo disse...

Obrigado prof. Luciano. É de arrepiar.
Os professores da rede pública estadual há muitos anos são vistos pela sociedade como 'coitados'. De que forma 'coitados' são vistos pela maioria dos estudantes jovens e adolescentes? São tratados com indiferença e até desprezo! Chega a ser desesperador imaginar o futuro da Educação pública brasileira, com raras exceções de umas escolas militares e federais ligadas a alguma Universidade.
Um abraço!

Silvia, de Mutum disse...

Concordo totalmente com a opinião dos colegas a respeito da questão da Lei 100, porém precisamos entender os momentos da luta. Não é possivel dividir forças agora, pois temos como alvo o piso. É sabido que necessitamos de toda a força possível quando se trata de NOSSA carreira, independente das posições. Luto como professora pelos meus colegas ATBs e ASBs, assim como pelos outras carreiras. Temos um inimigo comum que precisa ser derrotado. Nossas diferenças internas, é claro que precisam ser consideradas, num campo de discussão e luta sem animosidade. Animosidade esta, que precisamos agora contra aquele que tem "ditado dores" sobre nós. A arma dele é dividir a categoria e se deixarmos ele conseguirá.Derrubar uma lei imposta por ele já esta sendo dificil, imagina se começarmos atirar para todo lado. Paciência colegas com relação aos pontos que afligem vocês e tb a mim, pois como Jesus disse, muitos de nós estamos coando mosquito e engolindo camelos. Temos coisas mais importantes a pensar.

elza eni alves vieira disse...

olá Beatriz| Do senhor vem a nossa força. Que Deus possa está nos iluminando nesta caminhada tão escura de nossas vidas.Que possamos lutar em propor uma emenda no texto que se refere ao piso salarial de acordo o MEC que o sr Anastasia fala tanto que está propondo um piso proporcional de c$ 7l2,00. Não pode continuar de(preposição) 40 horas e sim até(adverbio) 40 horas.

Anônimo disse...

Ao anônimo das 9:32

Você só pode estar de brincadeira sugerindo o fim da greve nesse momento crucial. Você alguma vantagem ser mártir? Você se contenta por apenas ter participado da greve? Me ajuda aí, queremos a vitória e só sairemos dessa greve com o piso. Que comentário mais sem propósito numa hora tão importante de união, força e coragem. Espero que os demais companheiros estejam firmes na luta. GREVE ATÉ O PISO!!!

Cristina disse...

Cara Beatriz,
O grande humorista e, sem sombra de dúvida, um ícone representativo da mídia nacional, Chico Anísio, encerrou o Zorra Total/Rede Globo, no último sábado,17/09, com uma sábia aula de cidadania e democracia para os incautos representantes do povo mineiro e brasileiro, incorporando personagem "Professor Raimundo"em conversa com a Presidenta Dilma. Penso que vale a pena divulgar no seu site.Parabéns pela postura.
Teresa Cristina- Varginha

Cristina disse...

Cara Beatriz,
O grande humorista e, sem sombra de dúvida, um ícone representativo da mídia nacional, Chico Anísio, encerrou o Zorra Total/Rede Globo, no último sábado,17/09, com uma sábia aula de cidadania e democracia para os incautos representantes do povo mineiro e brasileiro, incorporando personagem "Professor Raimundo"em conversa com a Presidenta Dilma. Penso que vale a pena divulgar no seu site.Parabéns pela postura.
Teresa Cristina- Varginha

Lídia disse...

Faço parte de uma geração que infelizmente não sabe lutar por seus direitos, queria que como vocês que permanecem em greve por um salário justo, minha geração fosse forte.
Tive professores maravilhosos que contribuiram e muito para eu me tornar oque sou, mais também tive professores que lamento dizer que tenho vergonha deles, professores que ensinavam que devíamos sempre lutar por uma sociedade mais justa que devíamos andar sempre de cabeça erguida e escrever a nossa história com força e garra, professores esses que hoje enquanto uma luta é travada contra um governo autoritário e ilegal, estão escondidos nas salas de aula, fingindo ensinar, quando o verdadeiro ensinamento seria entrar em greve com toda a categoria e assim permanecer até que seus direitos fossem atendidos.A esses professores eu digo:tenho vergonha de um dia ter sido aluna de vocês.

Enaide disse...

Esta carta é tudo aquilo que eu gostaria de ter escrito,ou quase tudo. Parabéns professor fico envergonhada pelos professores de historia de minha escola ,pois nenhum deles entrou em greve.Que alunos estamos querendo formar? Enaide Japonvar MG

Enaide disse...

Gostaria de publicar uma carta de deabafo que escreví . DESABAFO DE UMA SOLITARIA GREVISTA
Cheguei até aqui, não posso desistir do Piso Salarial! Não só pelo dinheiro, mas principalmente pelos direitos e vantagens por mim adquiridos ao longo de uma árdua caminhada na Educação. Se tiver que passar privações, passarei; mas vou resistir até o ultimo fôlego. Chamam-me de louca, talvez seja aos olhos dos que vêem a profissão apenas como um meio de ganhar dinheiro. Mas prefiro ser louca a ser covarde, cega e indiferente. O que vou contar para meus netos, bisnetos e outros, daqui a 10, 20 anos, quando esta greve for registrada nos livros de “HISTORIA”.Que fui covarde,conivente e mesquinha o suficiente para me calar e ignorar a greve. Que vergonha!!!! Aos que persistem em continuar trabalhando, o Governo agradeceu publicamente o empenho em ajudá-lo a derrotar a categoria. E é isso que estão ensinando aos seus, aos nossos alunos. Que as leis foram feitas para serem burladas a favor dos mais “fortes”. Que nunca devemos lutar por nossos direitos. Que a união de uma categoria só é válida quando esta categoria não é nossa. Que quando temos o poder, podemos forjar, burlar leis e tudo fica bem. Perdoem–me, pois vocês têm razão. Sei pouca coisa de HISTORIA, mas sei que todas as vitórias por direitos foram conseguidas com greves e lutas. Sei também que sempre tiveram os que brigaram e os que receberam os louros da vitória. Espero em breve entregar-lhes estes louros. Mas se isto não acontecer, tenho o consolo de ter lutado até o fim.
PROFESSORA Enaide.
21/09/2011- Japonvar

lucinha disse...

Eu também fiquei indignada com a campanha na tevê, "nunca antes na história" de Minas houve um governo tão mentiroso. Proponho a exposicão de nossos contracheques (somente com o básico, pois as pessoas não entenderiam as vantagens)em murais espalhados em locais públicos com o seguinte título: O governo de Minas mente.

Anônimo disse...

Nem tudo que é legal,é legitimo portanto,estou a pensar que a educação no Brasil não tem legitimidade, porque,o ensino em nosso pais beira as raias da mediocridade, principalmente, quando deparamos com um único estado brasileiro que deixa de cumprir uma lei federal e o STF naõ tem força para determinar o
CUMPRA-SE.
Por esta,e por trocentas outras mais que comungo a afirmação de um famoso personagem.General DE GAULE.quando desferiu contra nosso querido Brasil a frase¨Êste não é um pais sério¨.
Estamos decepcionados com a atitude caudilhesca de nosso governador em quem depositamos esperanças e nosso voto para consolidar cada vez mais o regime democrático e jamais conviver com a demagocracia dos currais eleitorais que tão mal fizeram ao pobre povo de nossa amada PÁTRIA.

MEUS PÊSAMES QUERIDO E ADORADO BRASIL PELOS DEMAGO
GOS QUE CAVAM SUA SEPULTURA