quinta-feira, 22 de setembro de 2011

A PRAÇA NÃO VIU A LIBERDADE

CONFIRA

19 comentários:

sirlene disse...

Sou professora de História, estou de greve e infelizmente não pode estar presente neste dia e viver este momento histórico de Minas Gerais. Os tempos são outros, a forma de dominou mudou mas permanece: a tentativa a dominação de minoria sobre uma maioria, os meios de dominação dos grupos de interesses sobre uma grande maioria que desinformada, sem senso crítico São facilmente dominadas. Encontro ai a resposta a uma pergunta feita por um aluno como os escravos sendo tantos são foram dominados por seus senhores? Eles tinham o capitão do mato, eles tinham união, não haviam traidores, tinham interesses pessoais garantidos.E a maioria dos escravos não tinham o espírito de luta coletiva.

sirlene disse...

Sou professora de História, estou de greve e infelizmente não pode estar presente neste dia e viver este momento histórico de Minas Gerais. Os tempos são outros, a forma de dominou mudou mas permanece: a tentativa a dominação de minoria sobre uma maioria, os meios de dominação dos grupos de interesses sobre uma grande maioria que desinformada, sem senso crítico São facilmente dominadas. Encontro ai a resposta a uma pergunta feita por um aluno como os escravos sendo tantos são foram dominados por seus senhores? Eles tinham o capitão do mato, eles tinham união, não haviam traidores, tinham interesses pessoais garantidos.E a maioria dos escravos não tinham o espírito de luta coletiva.

sirlene disse...

Sou professora de História, estou de greve e infelizmente não pode estar presente neste dia e viver este momento histórico de Minas Gerais. Os tempos são outros, a forma de dominou mudou mas permanece: a tentativa a dominação de minoria sobre uma maioria, os meios de dominação dos grupos de interesses sobre uma grande maioria que desinformada, sem senso crítico são facilmente dominadas. Encontro aí a resposta a uma pergunta feita por um aluno: Como os escravos sendo tantos são foram dominados por seus senhores? Eles tinham o capitão do mato, eles tinham união, não haviam traidores, tinham interesses pessoais garantidos.E a maioria dos escravos não tinham o espírito de luta coletiva.

Anônimo disse...

Sou professora de História, estou de greve e infelizmente não pode estar presente neste dia e viver este momento histórico de Minas Gerais. Os tempos são outros, a forma de dominou mudou mas permanece: a tentativa a dominação de minoria sobre uma maioria, os meios de dominação dos grupos de interesses sobre uma grande maioria que desinformada, sem senso crítico são facilmente dominadas. Encontro ai a resposta a uma pergunta feita por um aluno: Como os escravos sendo tantos são foram dominados por seus senhores? Eles tinham o capitão do mato, eles tinham união, não haviam traidores, tinham interesses pessoais garantidos.E a maioria dos escravos não tinham o espírito de luta coletiva.

Professor Daniel disse...

Deprimente isso, PM atirando contra professores.

Anônimo disse...

Não consigo entender a cabeça de meus colegas educadores de todo o estado que permanecem na sala de aula, fiéis a tudo isso que o governo e os poderes de Minas vem fazendo contra a educação e contra os educadores que lutam por uma causa justa. Não consigo entender o motivo de não se indignarem com isso e mais ainda o motivo da suas indignações, os que indignam, não se transformarem em luta. Fico aqui num grotão do estado de greve desde que ela começou e, minha vontade é só estar lá, no meio da luta. Fico daqui ansioso para estar lá pois só assim poderemos dar a nossa contribuição para o resgate da educação e da cidadania. Força companheiros!

Rui Gonçalves disse...

Companheiros,
Esse vídeo marca uma página nefasta da sociedade mineira. Nele percebemos o uso indevido de força e violência contra cidadãos trabalhadores. As cenas que vemos se tornam ainda mais absurdas quando sabemos que elas são do ano 2011, e nesse tempo temos certeza que muitos valores fundamentais de respeito ao cidadão estão consolidados. Entretanto, o absurdo maior é saber que tal violência é praticada por um governo contra um povo pacífico o qual deveria ouvir e atender suas demandas.
As ações em uma guerra em que ambos os lados estão armados identificamos como violência, mas aquelas que um lado possui apenas sua voz como forma de defesa é COVARDIA.
As ações de violência e desrespeito partem de um governo que não aprendeu o diálogo e por não ter argumentos para defender suas posições quer apenas calar os que clamam por justiça. Esta é a realidade: pessoas pacíficas que reivindicam apenas o cumprimento da lei são tratadas como se fossem bandidos. É lamentável que em pleno século XXI seja preciso fazer greve para que os governantes cumpram a lei! Precisamos continuar denunciando pois a gravidade do mesmo não se restringe a esse momento somente, ela aponta para a necessidade de quanto precisamos aperfeiçoar nossas instituições para que, de fato, garantam nossos direitos.

"Os poderosos podem matar uma,duas até três rosas,mas nunca deterão a primavera"(Che Guevara)

Fernanda disse...

Este vídeo possui imagens chocantese divulgassem para os seus contatos virtuais de maneira que a população tome conhecimento da ditadura que acomete o nosso Estado, e que esta realidade de agressão contra a comunidade mineira não fique no anonimato, já que não observei essas imagens terem repercussão na mídia televisiva.
Reitero a importância da contribuição de vocês, num momento difícil da nossa carreira profissional, para eu possa ter orgulho de falar: sou professora do Estado de Minas Gerais.

Anônimo disse...

Que tristeza.... ver isso acontecer com a EDUCAÇÃO em Minas.
Parabéns Nathália , Beatriz e todos profissionais da educação em greve. Deus e Nossa Senhora os abençoe. Continuem firmes na luta.

Abraços. VS

Eliane disse...

Companheiros, não se deixem enganar com a manipulação dos números da greve em Minas. Agora, mais do que nunca, o governo vai tentar acabar com nosso equilíbrio psicológico. Já que ele percebe, que a cada dia nosso movimento se fortalece e ganha dimensões maiores junto à sociedade, junto à mídia.
Fiquemos unidos, que a vitória é nossa.
Um grande abraço para todos os guerreiros.

Maria Evangelina disse...

Que tristeza...
Sou professora, Não tenho palavras só consigo chorar.

PONTE NOVA disse...

Eu também estava lá, próxima às grades, gritando para o governador pagar o nosso piso, cumprir a lei. inalei spray de pimenta,primeiro senti um ar sufocante, queimando a garganta e logo após uma tosse e uma revolta muito grande...depois do outro lado da praça, três bombas seguidas esplodiram junto a mim. pensei que fosse o fim do mundo, mas enfim sobrevivi. após 20 anos de magistério jamais pensei passar por tamanha tortura psicológica... o trauma vai ficar pra sempre na minha história, enquanto ser humano e enquanto profissional. se eu puder ter outra vida, professora nunca mais... se eu puder encontrar anastasia no inferno quero ter o prazer de esfregar a sua cara na lama do umbral... esse monstro aqui na terra nunca mais pode voltar...

Anônimo disse...

Bia, e sobre esta resolução que saiu e que os designados tem que retornar hoje a sala de aula mesmo a escola ja tendo designado outros professores?

Renata disse...

Caros colegas
Sou prof. de Biologia da E. E. Alizon Themóter Costa em Ribeirão das Neves e quero deixar uma reflexão sore o que vivenciamos e o que entendo por direitos humanos.

"Direito, no Brasil, sempre foi um conceito vago, que significou privilégios para alguns". Desde a colonização do nosso país o autoritarismo e não o Direito, que esteve presente nas relações da sociedade e entre ela e o Estado.
O Estado burla as leis que devia nos defender para seus próprios interesses.
Direito é o mesmo de privilégios da minoria!
Com a mudança DIRETAS JÁ, tudo parecia mudar, mas continua no papel, teoria pura!!! Pra inglês ver!!!
Greves são "afrontas" e o que diz respeito a parte social é questão de polícia, desculpe.... POLÍTICA.
A Sociedade acredita que conquistas são relações de paternalismno, ajuda. NÃO SOMOS CLIENTES DO GOVERNO!!!
"Quando a exigência de direitos se iniciou na década de 60 os militares impuseram "ORDEM" e idealizados na doutrina de Segurança Nacional, deram início a DITADURA, que aparentemente durou 22 anos". Séra? E o que nós presenciamos nesta data??
Daí a necessidade da EDUCAÇÃO, não bastam leis justas se elas não forem aplicadas e respeitadas pelos "cheios de boas intenções".
É preciso que o povo entenda seus DIREITOS E PRINCIPALMENTE SEUS DEVERES.
ENTÃO VAMOS ENSINÁ-LOS O QUE É ISSO!

Anônimo disse...

Itabira ainda tem professores em greve (22/09/2011)

Em Itabira, de acordo com a coordenadora do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação, Sandra Maria de Andrade: “Quem estava em greve CONTINUA pelo direito constitucional”.

http://www.defatoonline.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=19654

Renata Lima disse...

Que tristeza !!!

voltamos a ditadura .

Vamos sugerir o pedido de impchtmam!
Seria maravilhoso uma enorme passeata com nossos nucleos de apoio pedindo o afastamento desse governo tirano .

Anônimo disse...

100 salário,100 piso,100 auxílio da maioria dos pais que não sabem sobre a nossa verdade e sobre a realidade do que é ser professor,e o que é estar dentro de uma sala de aula,daqui a pouco como temos visto as agressões e opressões contra nosso movimento e nosso trabalho podemos ser os 100 vida.Em São Caetano foi um aluno de 10 anos,aqui colegas funcionários públicos que também estiverão em greve(PM).

Anônimo disse...

Beatriz,
Sou professora, participo de movimentos de greve desde 1979(histórica), 1982, 1986 e tantas outras. Só as greves dos periodos ditatoriais podem e devem ser comparadas com a deste ano, no que se refere à truculência do poder executivo.
Mas a esperança está em que "Ele" não tem o poder e sim está no poder, que é transitório. Derrubamos a DITADURA MILITAR e vamos derrubar ANASTASIA também. Tenho fé em Deus e na força do
povo. E sei que DEUS está por nós.
Meus respeitos a esta menina Natália. Um abraço. Cris

Anônimo disse...

Beatriz, estas frases são só para fortalecê-la.

"Quando alguém compreende que é contrário à sua dignidade de homem obedecer a leis injustas, nenhuma tirania pode escravizá-lo."
"Quando me desespero, eu me lembro que durante toda a história o caminho da verdade e do amor sempre ganharam. Tem existido tiranos e assassinos e por um tempo eles parecem invencíveis, mas no final, eles sempre caem - pense nisso, SEMPRE. "
(Mahatma Gandhi)

Um grande abraço. Deus está conosco.