quinta-feira, 16 de junho de 2011

A greve continua

A assembleia estadual realizada ontem teve participação de trabalhadores em educação de todas as regiões do Estado.
Antes da assembleia reunimos o Comando Estadual da Greve, cada região apresentou as atividades realizadas e o quadro de adesão a greve. Discutimos propostas e estratégias.
Apesar de todas as tentativas do Governo do Estado com intimidações, perseguições e informações distorcidas a respeito do pagamento do Piso em Minas Gerais, a nossa greve já atingiu todas as regiões do Estado. Há regiões com maior adesão e outras com dificuldade mas a greve está em todo o Estado.
O Governo tem usado estratégias de divisão da categoria, principalmente construindo a idéia de que os efetivados não precisam participar de nenhuma mobilização porque o governo "dará tudo". É preciso refletirmos sobre isso.
Após a assembleia realizamos uma grande manifestação pelas ruas de Belo Horizonte e terminamos com um ato na Praça Sete.
Conseguimos cobertura da imprensa: Rede Record, SBT, Jornal O Tempo, Portal G1, Estado de Minas online, Jornal Estado de São Paulo e BandNews.
Nosso quadro de adesão a greve está em 50%.
Confira o calendário até a próxima assembleia:
17/06 - Atividades locais para fortalecimento da Greve
A direção do sindicato participará de reunião do Conselho Nacional de Entidades da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação)
20/06 - Atividades locais para fortalecimento da Greve
21/06 - Atividades locais para fortalecimento da Greve
Participação, com mobilização da Região Zona da Mata, no Encontro Regional do Fórum Técnico "Segurança nas escolas: por uma cultura de paz", promovido pela Assembleia Legislativa, em Juiz de Fora
22/06 -Dia 'D' de mobilização nas regionais do Estado com atividade de rua, que dê visibilidade ao movimento (por exemplo rodovia, Praça, etc)
27/06 - Atividades locais para fortalecimento da Greve
28/06 - Assembleia Estadual
Atividades locais: visita às escolas que ainda não aderiram a greve, discussões nas Câmaras Municipais, panfletagens, assembleias locais e/ou regionais, reuniões do Comando local de Greve entre outras.

16 comentários:

Marilia disse...

Beatriz, obrigada por lutar conosco. Eu mandei um recado para a Globo e gostaria que fizesse seu comentário sobre minha forma de fortalecer nosso movimento:
"É uma grande chance falar com gente de competência. Muito me admira a não importância dada ao movimento dos professores de MG. Que tal fazerem uma reportagem sobre as reais situações das escolas, sem maquiagem do governo? Que tal falarem do risco de um mau professor para a cabeça de uma criança? Que tal entrevistarem diversos professores e pedirem que falem da satisfação como tal do subsídio? Acho que agradariam muitas pessoas que andam angustiadas com o descaso do governador e ainda por cima esclareceriam realmente sobre o que anda acontecendo no ensino em Minas.
Obrigada por me darem a chance de opinar. Fico a disposição dos senhores."

Yara Lucia Ituiutaba disse...

OI, Beatriz!
Desculpe se as vezes eu usar esse espaço para algum desabafo(nem sei se é eese o lugar!...)mas o que mais me"cansa" nesses nossos movimentos são os comentários de amigos e colegas dizendo da"fragilidade do nosso grupo" principalmente sobre Ituiutaba :"aqui nada se consegue,o "povo" não é unido..." "não vamos carregar essa greve sozinhos..." perceba a contradição!!!!!
São muitas desculpas!
Mas vou continuar lutando e chamando colegas para a nossa luta.Eu pertenço a uma categoria que TEM que ser respeitada e reconhecida!!!Eu apenas sou mais uma em todo o conjunto de professores mineiros!Não vou deixar minha categoria na mão e ainda:ACREDITO QUE SEREMOS VITORIOSOS, POIS O GOVERNADOR TERÁ APENAS QUE CUMRIR UMA LEI FEDERAL!!!).
Abraços e força a todos nós!!!

Língua e Literatura disse...

Beatriz, gostaria de saber se o SindUTE foi convidado a participar da reunião que consta no site do governo com os sindicatos, obrigada. Élida, Ubá.

Beatriz Cerqueira disse...

Prezada colega de Ubá,
não fomos convidados e a participar de nenhuma reunião com a Secretaria de Estado da Educação.
Um abraço
Beatriz

Julia Senra disse...

Beatriz
Como fiquei revoltada lendo o site da SSE.
Estes sindicatos pelegos fazem a festa. E o pior é que aqueles que não sabem diferenciar, e que querem escutar o que não lhes dê trabalho de transformação, acham o máximo estes pelegos.
QUANDO A APPMG veio em Leopoldina a mando do governo falando das vantagens da Lei 100 NADA .
Os queridos colegas ficaram se achando, influenciados pelos poderes adquiridos e esquecendo-se de fazerem as contas do seus futuros salários.
Acho que o SINDUTE deveria estar fazendo o boletim para explicar a posição nossa a esse respeito, como também falar na mídia.
Amanhã Sidilúcio foi convidado a participar na rádio e com certeza estará passando esta lástima ao povo de Leopoldina.
NÃO DESISTEM COLEGAS, A GUERRA É LONGA.
QUE DEUS NOS DÊ FORÇAS E PACIÊNCIA PARA AGUENTAR TANTA PRESSÃO DESSE DESGOVERNO.

CARLA OLIVEIRA SENA disse...

CAROS PROFESSORES COBRE DOS DEPUTADOS,,,VOTEI NO EROS BIONDINE NO MANDATO PASSADO POR SER DA RENOVAÇÃO CARISMATICA,,,SOU CATEQUISTA HÁ 25ANOS...POR UM EMAIL FIQUEI SABENDO QUE ELE ERA CONTRA A LUTA DOS PROFESSORES..A LEI AMBIENTAL ETC..NA REELEIÇÃO NÃO SÓ NÃO VOTEI NELE MAS COMO TAMBEM FIZ CAMPANHA CONTRA...MEUS FILHOS ESTUDAM EM ESCOLA PUBLICA...AQUI É UMA PEQUENA CIDADE DO VALE DO JEQUITINHONA...INFELISMENTE TÃO QUERENDO CRIAR ECOLA PARTICULAR ,POIS ALGUNS ALUNOS ESTÃO NÃO ESTÃO DANDO VALOR AS AULAS...E OS PROFESSORES TENDO QUE BAIXAR O NIVEL...SOMOS DA REGIONAL DE ARAÇUAI MG VALE DO JEQUITINHONHA ...ONDE AS ESCOLAS APRESENTARAM UM BOM CRESCIMENTO...MAS OS PROFESSORES DIZEM QUE OS INPESTORES NÃO DEIXAM ELES FAZEREM UM BOM TRABALHO....POIS OS ALUNOS INDSCIPLINADOS NÃO TEM PUNIÇÃO...COMO DISSE SOU CATEQUISTA E ME PREOCUPO COM A EDUCAÇÃO....CONTINUE DIVLUGANDO O NME DE DEPUTADOS E REGIONAIS QUE NÃO APOIAM OS PROFESSORES!!!!DEUS ABENÇOE A LUTA DE VOCES!!!ASSIM SEJA CONVOQUE AS DIOCESES PRA PARTICIPAR DA LUTAS DE VOCES

Senisson disse...

So que ao contrario de tudo isso, MG é o estado que mais escravizam os profissionais na área de educação, que mais faz os professores desistirem dos seus verdadeiros sonhos, MG é um estado rico que se torna pobre por sacrificar e matar a cada dia seus educadores.
Essa é a MG que eu vejo no futuro, se caso VC PROFESSORES de verdade, não se unirem e lutarem de mãos dadas em favor da verdade e principalmente agora do cumprimento da lei federal 11.738/08.
O que o subsídio fez em MG, foi nivelar servidores com 20 anos de serviço aos que começam agora a trabalhar na rede estadual, essa é a justiça o que governador prof. Antonio Anastásia fez...
Agiu com covardia e principalmente com ma fé. Falo isso é provo pois vivo o hoje e não o passado e tão pouco o presente, pois o presente pertence somente a Deus...
Com o passado aprendi, com o presente busco dias melhores, plantando a semente do bem para que no futuro possamos juntos, unidos possamos colher toda a ternura, bondade e amor que plantamos nessa vida.
A hora é agora essa é a hora de vcs professores correrem atrás do que é seus por direito.

Anônimo disse...

É gente, que me desculpem os colegas efetivados, mas não vamos permitir essa aberração de se tornar efetivo, pessoas que não fizeram concurso. Já que o Sindicato não faz nada, o jeito é que, efetivos entrem com ação na justiça, vão para 3ª estância, depois para a 2ª, eles vão recorrer até chegar no Supremo Tribunal. Qualquer um de nós pode fazer isso. Vamos nos mobilizar (efetivos) para isso!

Anônimo disse...

Bia, acho que essa greve deve sim, servir também para coloar os pingos nos "is" e essa questão da efetivação é um nó que tem que ser desatado antes do concurso. Você acha justo um profissional sem concurso se tornar efetivo? Você acha justo que designados não possam ocupar essas vagas de efetivados caso passem no concurso? Porque devemos nos calar agora sobre isso? Estou sentindo que tanto você quanto o sindicato não querem tocar no assunto com medo de dividir a categoria. Mas saiba que esse ato do governo já dividiu: por um lado efetivos se sentido injustiçados (pos existem efetivos que têm menos tempo "de casa" que alguns efetivados e correm o riso de perderem alguns direitos como escolha de turma, turno, funções etc para os efetivados mais antigos). Por outro lado designados se sentidno extremamente lesados, pois a toda hora vem um efetivado e toma seu lugar (já que agora eles têm direito à remoção. Aconteceu um caso desse na minha escola), e além disso caso passem no concurso, não poderam ocupar a vaga de quem não fez concurso. E por fim os designados, estão bem satisfeitos com essa inconstitucionalidade e muitos se recusam a entrar em greve por medo de "desagradar" o governo que tem feito tanto bem à eles! Ah me poupe! Essa questão tem que ser debatida sim, e agora, junto com a questão do piso. São duas coisas fora da lei que queremos que seja feita a justiça. Por favor, não me entenda mal, não tenho nada contra os efetivados, mas acho que não podemos concordar com esse "apadrinhamento" e nem morre de dó deles. Tem um concurso vindo aí, porque eles não fazem, passam e aí sim, se tornem efetivos? Eutou achando todos muito omisso em realçao à essa questão e gostaria que ela também fosse colocada em pauta aqui. Vou denunciar isso em todos os blogs que eu encontrar. Queria muito ouvir sua opinião a respeito. O piso é importante, mas essa questão também é e está incomodando muuuuita gente.

Anônimo disse...

Beatriz, tudo bem?
Aqui em Nova Lima a greve atingiu 100% de participação. Infelizmente na E.E. Deniz Vale a diretora, Izabella Giorgini Jardim, e a inspetora, Maria Alice, estão permitindo que alguns professores assinem o ponto, mesmo sem a presença de alunos. O que podemos fazer contra esta falta de respeito com os demais professores? Telefone da E.E. Deniz Vale (031) 35411383

Companheira do Norte de Minas disse...

O meu recado é para a nossa colega de Ituiutaba. Ituiutaba não é a cidade que tem uma subsede que entrega uma agenda bacana a cada ano? Não me pareceu por aquela agenda que o pessoal daí seja acomodado, Yara! Basta ver que vocês tem uma boa organização. A começar por você que se mostra uma pessoa bastante confiante e determinada.
Continue fazendo o seu trabalho com força e garra! Juntos vamos vencer: conquistar o nosso piso e resgatar a nossa carreira!
Por Minas Gerais e pelo Brasil! Piso e carreira, já!
Um abraço

Anônimo disse...

Beatriz aqui em Mutum a greve começa a ganhar força e aos poucos vamos alcançar os 90%,pois a hora e essa

Professora Marcilene Ferlin disse...

Infelizmente, a situação a que chegamos é culpa de nós mesmo da carreira do magistério, que enquanto o governo pagava bem tudo era um sonho encantado, quando a verba no Estado ficou curta e os cortes começaram o culpado, o lesado, o incompetente é o governo. O que dizer da guerra nas eleições para diretores que ocorreu no dia 05.06.2011 que na minha escola a iretora receberá como provento a pequena quantia de 3.600,00, que agora é por número de alunos na escola?
Ela está feliz da vida e nós que fazemos a coisa acontecer brigar por míseros 1.187,00?

o que deveríamos cobrar era dos dirigentes que no bem bom e que muitas vezes riem de nossa cara pois deles não são descontados um centavo sequer.
Pensem nisso, nobres colegas antes de ficarem se desgastando, moral, física, mental e profissionalmente.
Com carinho a todos os profissionais da educação, Colaboradora da escola AMES de Nova Serrana MG

Professora Marcilene Ferlin disse...

Parem de tanta indignação e de maquiarem os fatos, vocês já perceberam que greve nunca leva a lugar nenhum, apenas se consegue o que já era de direito. Se valorizem como pessoas e como profissionais, parem de se desgatarem moral, física, emocional e profissionalmente. Esse papel de defender os nossos direitos deveria ser dos próprios diretores das escolas, pois eles é que recebem bem e só assistem ao espetáculo que é apresentado por nós profissionais da educação.
Abraços a todos os colegas da educação de MG.

P.S. O diretor da minha escola receberá a partir de agosto/2011 só a quantia de 3.600,00 por mês devido a escola conter mais de 1200 alunos.
É brincadeira, e eu 1.170,00.
Pode rir????

Anônimo disse...

Cara Marilene, você acha que 3.600 é muito? Sinto que você é daquelas que sempre pensa que nunca vamos ganhar nada no nosso movimento,se não tivessemos feito greve no ano passado nem desses 1.170 você estaria usufruindo.Diretores de escolas deveriam lutar junto com a gente,e não fazer aquilo que é direito e dever de todos nós cidadãos,e principalmente nós professores que deveriamos ensinar para os nossos alunos o exercício da cidadania,da democracia.Não devo esperar que nimgem lute por mim.

Professora Marcilene Ferlin disse...

Caro Anônimo,
Em primeiro lugar meu nome não é Marilene e segundo, para se ter direito de voz e vez é preciso mostrar a cara, ou seja, o nome pelo menos.

Tenha a coragem e a honestidade de pelo menos assumir o que escreve.