segunda-feira, 7 de novembro de 2011

6a. Reunião da Comissão Tripartite

Nesta segunda-feira aconteceu a 6a. reunião da Comissão Tripartite.
Discussões e encaminhamentos:
O Sind-UTE apresentou a aplicação do Piso Salarial Profissional Nacional proporcional à jornada de trabalho de cada cargo e de acordo com a escolaridade, considerando a tabela salarial em vigor (Lei Estadual 15.784/05). Apresentamos a tabela para todos os cargos da carreira da educação e com a projeção de reajuste para 2012.
Durante as discussões, um deputado chegou a propor a discussão de um modelo de remuneração única, preservando os direitos já adquiridos no vencimento básico. Não aceitamos discutir a proposta uma vez que a Comissão foi criada para discutir o Piso Salarial na carreira e não outras propostas. Foi por isso que a greve foi suspensa.
O governo apresentou dados que, de acordo com ele, demonstra que mais de 90% da categoria teria algum aumento na remuneração com a proposta que ele apresentou na 5a. reunião. Questionável.
Ainda durantes as discussões, foi proposto que o Governo considerasse aplicar o Piso Salarial (de acordo com a tabela apresentada pelo Sindicato) para todos os níveis no grau A e discutisse o restante dos graus de forma escalonada. O Governo estudará a proposta e apresentará sua posição na próxima reunião 16/11 (quarta-feira).
Quanto aos problemas de pagamento e dispensa de substitutos, a Secretária de Educação afirmou que o acordo foi mantido e quem teve o contracheque sem salário foi porque teve o desconto dos meses de junho e julho este mês e que os substitutos foram dispensados. O Sindicato discordou. Demonstramos vários contracheques sem salário e citamos várias cidades que não dispensaram os substitutos.
A questão do Ipsemg ficou sem resposta.
A questão do prêmio por produtividade continua sem previsão.
A Secretaria de Educação entregou documento ao sindicato em que informa que a posse dos diretores que está confirmada para janeiro de 2012, com a posterior capacitação.
Reposição: Não há orientação do sindicato e também não foi acordado com a Secretaria de Estado da Educação a assinatura de documento individual em que o servidor registra se fará ou não a reposição. Ninguém é obrigado a assinar este tipo de documento. Esclarecemos à Secretaria de Educação que a orientação de suspender a reposição foi em função dos problemas de pagamento que não deveriam ter ocorrido e pela questão dos substitutos que não foi resolvida. Tentamos reunião com a Secretaria desde o dia 01/11 e somente na reunião de hoje, tivemos os retornos que cobramos.
A tabela de vencimento básico apresentada nesta reunião será disponibilizada no site do Sind-UTE nesta terça-feira para consulta de todos. Para quem já acompanha a luta, a única novidade será a projeção de reajuste, além da correção de algumas distorções de escolaridade. Fizemos esta discussão na reunião do Comando de Greve realizado no dia 29/10.
Também já está disponível no site cartaz da atividade no dia 10/11 (quinta-feira)
Além da manifestação em conjunto com os trabalhadores da saúde e da Segurança Pública, convocamos uma assembleia para discutirmos as nossas questões específicas.
As subsedes já foram orientadas a organizarem caravanas. Não há orientação da sede do Sind-UTE para limitar a participação da categoria através das caravanas. Ao contrário, sempre orientamos para que seja assegurado a todos e todas o direito à participação.
Já fizemos a notificação à Secretaria de Estado da Educação, dentro do prazo estabelecido de 72 horas, uma vez que esta quinta-feira é com paralisação das atividades.
Peço desculpas e paciência aos colegas mas estou demorando um pouquinho para responder os comentários em função de várias agendas.

67 comentários:

Anônimo disse...

Ai Meu Deus, quanta enrolação!

Anônimo disse...

Mais uma reunião sem nenhum resultado! Os professores continuam na miséria e ninguém faz nada!
Onde está a justiça do nosso país?
Muito triste!

Anônimo disse...

Acredito em vc Beatriz!

Professora disse...

"Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura."

É capaz que uma hora esse governo vai entender...

Coitado! Não sabe que está lidando com EDUCADORES!

Prof Antonio Jerônimo disse...

Prof Antonio Jerônimo Neto - BH

Beatriz,

Não devemos ceder. Qdo. o governo deixou-nos a opção do pagamento antigo (dez/2010) é claro que ele sabia que temos uma tabela em vigor, aprovada pelo próprio governo em 2004. É dentro dessa tabela que o piso deverá ser implantado. E nada de voltarmos para a letra A, esperando escalonamento. Imagina quem está na última letra, ou seja, quanto mais tempo de serviço tivermos, mais seremos prejudicados, voltando para a letra A e só Deus sabe qdo. isso será recuperado. Acho, ainda, que qto. mais tempo levar essa negociação, nós 153 mil, mais perderemos, uma vez que fizemos opção pelo salário de dezembro que já está altamente defasado em relação ao subsídio. É isso que o governo quer. Nada está sendo cumprido: descontou, parece-me dois meses no pagamento que ainda vou receber agora em novembro e minha escola tem muitos professores substitutos.

Anônimo disse...

Até quando vai durar essa novela, parece mais um dramalhão mexicano. Quando a gente pensa que vai pra frente as coisas, volta quase tudo pra trás.Mas como somos persistentes a gente vai seguindo, vamos ver até onde vai isso!.

Anônimo disse...

Até quando vai durar essa novela, parece mais um dramalhão mexicano. Quando a gente pensa que vai pra frente as coisas, volta quase tudo pra trás.Mas como somos persistentes a gente vai seguindo, vamos ver até onde vai isso!.

Anônimo disse...

Até quando vai durar essa novela, parece mais um dramalhão mexicano. Quando a gente pensa que vai pra frente as coisas, volta quase tudo pra trás.Mas como somos persistentes a gente vai seguindo, vamos ver até onde vai isso!.

Anônimo disse...

Até quando vai durar essa novela, parece mais um dramalhão mexicano. Quando a gente pensa que vai pra frente as coisas, volta quase tudo pra trás.Mas como somos persistentes a gente vai seguindo, vamos ver até onde vai isso!.

Nara Casseb disse...

Bia, uma outra opção que me ocorreu agora seria:
2012- 70% do piso
2013- 80% do piso
2014- 90% do piso
2015- 100% do piso

Anônimo disse...

Primeiramente gostaria de agradece-la por seu esforço, segundo queria saber se há alguma previsão de pagamento das aulas repostas no mês de outubro?

Anônimo disse...

Eu proponho uma coisa: VAMOS RETOMAR A GREVE! Tô a fim de sacudir de novo estas Minas Gerais e deixar a SEE com os cabelos em pé.

Conscientização política com alunos fazemos ao longo do ano em nossas aulas, inclusive explicando as causas da uma greve (para qualquer categoria). Professor que estabelece diálogo com seus alunos tem o apoio dos mesmos (inclusive sendo franco - a greve causa transtornos sim, para todos, inclusive para os professores). Já estou pedindo aos meus alunos que peçam a seus pais para frequentarem a ALMG e cobrarem uma postura dos deputados da base governista. Posto isso no seu blog porque: não acredito que esse governo seja honesto, não acredito que seja fácil se sentar à mesa com estas pessoas que não nos respeitam, não acredito que o governo vá conversar com o SindUte como se conversa com o senador Aécio. Devo dizer que deposito minha confiança em um sindicato que ME REPRESENTA SIM! Por isso desejo perseverança, fé e serenidade às meninas valorosas de nossa comissão.

Abraços,

Eurides

Anônimo disse...

O governo nao é confiável, a pressao deve continuar através de mobilizaçao. Tenho direito a férias prêmio neste mes de Outubro e nao foi publicada em retaliaçao por ser um grevista contumaz.Força e honra , DEUS TE ILUMINE E PROTEJA.Grande abraço.
Prof. 1000tao

Anônimo disse...

O governo nao é confiável, a pressao deve continuar através de mobilizaçao. Tenho direito a férias prêmio neste mes de Outubro e nao foi publicada em retaliaçao por ser um grevista contumaz.Força e honra , DEUS TE ILUMINE E PROTEJA.Grande abraço.
Prof. 1000tao

Helcilene/Brasília de Minas disse...

Beatriz aqui em Brasilia de Minas aderimos a greve somente a partir de 3 de agosto e mesmo assim todos nós tivemos descontos enormes em nossos contra cheque. Qual a justificativa para este ato?
Enviei meu contra cheque para o e-mail do sindute, Analise-o por favor.

Helcilene/Brasília de Minas disse...

Beatriz aqui em Brasilia de Minas aderimos a greve somente a partir de 3 de agosto e mesmo assim todos nós tivemos descontos enormes em nossos contra cheque. Qual a justificativa para este ato?
Enviei meu contra cheque para o e-mail do sindute, Analise-o por favor.

Anônimo disse...

Então Beatriz...Se o governo aceitar essa proposta de aplicar o piso para o grau A, então como ficaríamos apartir de janeiro? ou seja seriamos todos enquadrados no nivel A e apartir daí seriamos escalonados ?

Fredson Almenara disse...

Beatriz...E sua avaliação sobre esta reunião...o que vc achou foi positiva pra nós?

Anônimo disse...

Beatriz, parabéns pela condução da negociação. É fundamental que tenhamos uma orientação sobre a reposição. Não sabemos, se por exemplo, não pagarmos o dia, se este será transformado em falta comum, sem justificativa.Deixei de pagar, porém recebi ameaças de abertura de sincancia, caso não assinasse o documento e fizesse o compromisso de que vou pagar os dias do calendario sugerido.Quando li seu esclarecimento quis ter certeza de que entendi corretamente. voce disse:"Não há orientação do sindicato", mas esta orientação ja foi dada para pararmos a reposição. Por favor esclareça com mais precisaõ, pois existem professores que podem não ter entendido como eu entendi. Abraço e até a vitória.

Anônimo disse...

Meu Deus, reunião e mais reunião e nada de acordo! QUE PALHAÇADA isso está virando! GREVE JÁ! NÃO PODEMOS FECHAR O ANO LETIVO. Paciência tem limite e a nossa acabou. Tarde demais até. É hora de fechar as escolas e ninguém fecha o ano.

Anônimo disse...

Beatriz,
Parabens!
Acho que na reunião de hoje o governo começou a sentir que não estamos brincando. Dia 10 faremos o Pátio da ALMG tremer, pode acreditar nisso. Vamos mostrar a este governo que palavra, acordo e Lei são para serem respeitados e cumpridos.
Força. Paz e Bem.
Cris

Lucimar José de Brito, Urucânia , Mg disse...

Quero fazer questão de me identificar, pois não estava sabendo como comentar no blog, desculpa falta de costume. este comentário sobre reposição é meu.vou tentar me identificar agora.

Anônimo disse...

Parabéns Beatriz ,muita força e que DEUS esteja sempre com você e com o Rogério Correa o que vocês tem feito por nós só DEUS para pagar.Abraços e que DEUS os abençoe!!!!!!!!

Maria disse...

Beatriz esta nova tabela foi aceita pela secretaria ou ela é apenas a proposta do sindicato?

Anônimo disse...

Parabens Paulo concordo plenamente com vc esse governo é inatigivel com a questão da greve ele se sente ebm confortavel pois foi ele com mais de 75% do votos a greve não ati ideias e sua opinião é muito válida pois num estado rico, os professores estão sendo humilhados e alvo de piadas na sociedade com greves que não resolve o nosso problema mas simaumenta a angustia e ansiedade além do odio de alunos e pais, sejamos politicos dentro da sala de aula para derrubar esse governo , e agora eu pergunto se o Piso é lei FEderal por que o governo federal não pune Minas, ora as vesperas de uma copa do mundo seria muito ruim não é entao pagamos o preço com humilhação e a falta de aumento salarial até 2012, estamos indo contra mão ´pois greve não atinge o governo. E os pro fessores que estão no subsidio não fazem parte da categoria , Beatriz vc so fala dos colegas que stã no piso ? E não nos dados concretos de quantos estão no piso ou subsidio ? e por que so no final do governo e no inicio desse o sindicato se mobilizou ? Esse governo é herança de mais de 20 anos é greve nao os atingiu no passado , O subsidio hoje é chance de se ganhar um pouco melhor se congelar onde estará o sindicato a lei do piso é par a todos . Pedro Parabens precisamos fazer o movimento na sala de aula pois mas 850 municipios bem trabalhados em cada sala de aula mudará essa herança e desertará os futuros herdeiro.

Anônimo disse...

Beatriz,
não precisa pedir desculpas. Sua luta é muito grande. Enfrentar estes crápulas requer tempo de preparo, é compreensível.
Deus e Nossa Senhora continuem guiando você, sua famíla e todos os que estão à frente desta luta.
Força,força, até a vitória

Anônimo disse...

Parabéns Paulo concordam plenamente com você, pois esse governo é inatingível com a questão da greve ele se sente bem confortável, pois ele foi eleito com mais de 75% dos votos a greve não atinge, idéias e sua opinião são muito válidas, pois num estado rico, os professores estão sendo humilhados e alvo de piadas na sociedade com greves que não resolve o nosso problema, mas sim aumenta a angustia e ansiedade além do ódio de alunos e pais. Sejamos politicos dentro da sala de aula para derrubar esse governo, e agora eu pergunto se o Piso é Lei Federal por que o governo federal não pune Minas, ora as vésperas de uma copa do mundo seria muito ruim não é! Então pagamos o preço com humilhação e a falta de aumento salarial até 2012 estamos indo contra mão, pois greve não atinge o governo. E os professores que estão no subsidio não fazem parte da categoria, Beatriz vc só fala dos colegas que estão no piso? E não nos dão dados concretos de quantos estão no piso ou subsidio? E por que só no final do governo e no inicio desse o sindicato se mobilizou? Esse governo é herança de mais de 20 anos. A greve não os atingiu no passado, o subsidio hoje é chance de se ganhar um pouco melhor apesar de todos os problemas que poderemos ter no futuro, pois todos têm ciência do que é o piso salarial. Se congelar o subsidio onde estará o sindicato? A lei do piso é para todos os professores. Pedro Parabéns precisamos fazer o movimento na sala de aula, pois, mas 850 municípios bem trabalhados em cada sala de aula mudarão essa herança e desertará os futuros herdeiros.

Anônimo disse...

Bia
Tenho pedido a Deus que dê força e paciência a todos vcsque estão participando dessa comossão, pois imagino como teem se desgastado com a ironia desse governo inconsequente!
Vc é nossa esperança!
Deus te ampare!

benhur disse...

Beatriz , pare com essa negociação e vamos para a greve novamente ... Como assim ? não a q negociar uma nova tabela! um acordo q o governo aceite, uma proposta melhor para o governo ... Olha , reflita nesses valores q desde o primeiro temos direito 1.597,00 .( 1.187,00 o governo se nega a pagar o valor mais certo ... ) E agora o absurdo , absurdo ... d 712,00 , 712,00 !!! e ainda apresenta diferentes formas d se pagar esse valor com tabelas e bla , bla, bla , bla !!! q isso 712,00 e ainda faz enrola pra pagar ?!!!! q vergonha!!! GREVE !!!!!! E NADA D ESCALONAMENTO NO PAGAMENTO !!! É O PISO NA TABELA JÁ ANTIGA ... Q ISSO? ENROLA PRA PAGAR 712,00 !!DEPOIS D SE REDUZIR TANTO ! !!!

Anônimo disse...

Estou indignada com o anúncio do governo de que não irá expedir contracheque impresso, sob a alegação de que fará economia financeira e estará preservando o meio ambiente.Ora, quanta basta de hipocrisia Anastasia!
Nós ,os servidores temos o direito de receber os nossos comprovantes expressamente ,como descritivo da remuneração percebida , documento comprobatório da nossa vida funcional e atestado do recolhimento da contribuição previdênciaria, necessária para a aposentadoria e atendimento ao IPSEMG.Temos que tomar providências imediatas pois o governo quer nos roubar tudo,não podemos perder a dignidade,se for preciso, recorreremos ao judiciário para retomar o que já é um direito adiquirido pelos servidores.

werley disse...

na minha escola os contratados nao foram dispensados, fico indignada com tal situaçao. Fiz greve sozinha em meu turno e pago as consequencias. fico triste com a morosidade das negociaçoes.

LÚCIA disse...

Bia,
Vamos pensar na possibilidade de o SIND UTE contratar o melhor escritório de advocacia desse país. Nós somos 153 mil pessoas interessadas. Isso é animador para os profissionais do Direito. Vamos partir pra cima, Bia. Essas reuniões estão virando piada. Ninguém dá conta de tanto descaso desse governo. Eu a admiro. Não sei como você aguenta. Parabéns! Você é uma mulher forte e honrada - um exemplo para todos nós.
Fique em paz.
Lúcia.

Renata M disse...

oi Beatriz,
Vc poderia criar uma área no blog para quem quiser mudar de lotação. Assim talvez muitos colegas conseguiriam ir para uma escola mais perto de casa. O que vc acha?

Eu moro no Novo Eldorado-Contagem e trabalho no Betânia-Belo Horizonte a escola mais perto da minha casa é a E.E.Deputado Renato Azeredo. se alguem tiver interesse em trocar.

Madson disse...

Bia, sempre acompanho o seu blog e a admiro pela clareza e transparência. Mas na postagem de hoje, talvez pela pressa, faltou mencionar os nomes do deputados que participaram da reunião. Soou estranha a afirmação de que "um deputado chegou a propor a discussão de um modelo de remuneração única". Qual deputado fez tal proposta? Por favor, continue mantendo a transparência que tem sido a característica principal deste blog tão importante. A confiança entre todos nós é importantíssima neste momento tão delicado.

Reitero meu amplo e irrestrito apoio à sua atuação frente ao Sind-UTE.

No mais, aproveito para dizer que li a sua entrevista no jornal Voz Acadêmica (jornal dos estudantes da Faculdade de Direito da UFMG) e gostei muito. A propósito, a edição especial toda dedicada à greve deveria ser lida por todos nós. Espero que em breve saia a edição eletrônica dessa publicação. Quem for de Belo Horizonte pode buscar gratuitamente a edição na Faculdade de Direito da UFMG (Av. João Pinheiro, 100, Centro - ao lado da praça Afonso Arinos).

Abraços!

Professora Flávia Carvalho disse...

Sem pedir desculpas, louvável papel que vc desenvolve.... Parabéns e continue assim....
Mas, não aceite forma escalonada de alicação do piso!!!!!!!!!

Charles Magdey disse...

Prezada Beatriz,
Bom dia!
Repasso o retorno de algumas demandas que lhe encaminhei e que em parte, ou seja, ainda que não seja o esperado pela categoria, já tem o posicionamento oficial da SEE/MG e, portanto, sua solução: a dispensa das reposições de aulas do período de 08/06/11 a 28/09/11 nos casos que especifica a Resolução SEE/MG Nº 1.975/11, "MG" de 28/10/11, pág. 47, col. 01; o direito de usufruto das férias-prêmios já publicadas, mesmo quem tem falta greve a repor, conforme Ofício Circular SG Nº 25/2011, de 04/11/11. Contudo, a questão seguinte ainda continua sem resposta/solução: a Resolução SEE/MG Nº 1.935/2011 e o Ofício Circular Nº 201/2011 da Subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica determinam utilizar os recessos, o período de planejamento de dezembro e os meses de janeiro e fevereiro de 2012, que para o pessoal do magistério é recesso, dia escolar ou férias, para a reposição do Calendário Escolar e conseqüente reposição de falta greve. Como serão considerados estes mesmos dias para o pessoal administrativo que aderiu ao movimento de paralisação: cumprimento do dia normal de trabalho ou reposição de falta greve?
É importante frisar que a Resolução SEE/MG Nº 1.975/11 dispensou a reposição de "aulas" e, portanto, a reposição de falta greve do pessoal administrativo continua sem solução. Continuo insistindo nesta questão porque os prejuízos financeiros/funcionais do pessoal administrativo serão irreparáveis, se este tratamento desigual continuar. Por que nas questões do magistério se encontra uma solução mais rápida, do que nas do pessoal administrativo? Não será pelo tratamento desigual nas reposições das faltas greve que desmotiva e se encontra ainda muita resistência do pessoal administrativo na adesão aos movimentos de paralisações?
Espero resposta urgente à questão levantada, até porque uma semana inteira de reposição no mês de outubro já se passou, sobre pena de não conseguirmos mobilizar nem mesmo os poucos que ainda aderem ao movimento.
Atenciosamente,
Charles Magdey Alves Soares

Anônimo disse...

E a tabela que voce apresentou para o governo nesta última reuniao nao vai ser divulgada,estamos aguardando.Um abraco forte

Jayme- Ubá - MG disse...

Olá, talvez esse comentário esteja repetitivo já que até o momento voce nao pode publicar nenhum. Contudo, esta é uma pergunta que colegas de escola pediram para que eu lhe fizesse.

Segundo esse último informe, caso o governo aceite a proposto do sindicato. Como ficaria a situação dos professores que estão em via de se aposentar? Caso todos sejam colocados na situação "A", eles depois de aposentados não teriam as vantagens do escalonamento sugerido pelo sindicato. Muitos aqui estão se sentindo prejudicados.

Como o numero de profissionais em via de se aposentar é reduzido, não seria mais certo estes serem os primeiros contemplados na negociação?

Fica a dúvida, seria bom um esclarecimento.

Obrigado.

Espero que Deus te ilumine.

Att.

Jayme - Ubá - MG

Professor de Salinas-MG disse...

Beatriz,
Certamente essas negociações estão exigindo muito esforço do sindicato e sei que vocês não polpam forças em fazê-lo.
No entanto, sei que vcs já tentaram realizar mais de uma reunião por semana e acho que devem continuar tentando.
Essas reuniões estão demorando muito para chegar a um acordo.Sem dúvida, essa situação deve-se principalmente a conduta adotada pelo governo.

Espero que nas próximas 2 reuniões um acordo seja concretizado para que possamos receber o piso salarial no mês de janeiro.

Gostaria de ratificar nossa gratidão ao Sindicato por nos representar tão bem.

Abraço a todos.

Leonardo disse...

A tabela apresentada no dia 31/10 é ridícula e exclui os Técnicos e Analistas Educacionais. Não há o que se discutir diante dessa tabela. A primeira tabela apresentada era menos pior, porque pelo menos eram 5% mais posicionamento de acordo com o tempo de serviço. A comissão do Sindute não está pressionando? Parece que está sendo conivente com o Desgoverno de Minas. Não há outra opção senão o retorno à greve. É necessário mobilizar também os servidores das SREs, pois também estamos sendo prejudicados!

Anônimo disse...

boa tarde. na minha escol (e. E. tancredo de almeida neves, cidade de unai) a direção na dispensou todos os substitutos com a justificativa do calendario. o que fazer

Anônimo disse...

Beatriz,

O governo esta descontando o que pagou a mais no subsidio. Minha colega terá que devolver a diferença dos salários, pois, optou pelo vencimento básico. Isto é mais um absurdo.Como proceder diante de mais está barbaridade?

Deise disse...

Oi Beatriz,
nas escolas em que trabalho estamos iniciando um movimento com pais e alunos, escreveremos uma carta informando o que estamos reivindicando e o retorno governo para cada item, que se o retorno não for dentro do que queremos poderemos voltar à greve. Desta forma, eles que já viveram o prejuízo da greve nos apoiariam montando uma rede na internet. Com a força dos pais e alunos podemos criar um movimento forte, seria interessante que fosse uma ação em todas as escolas, teríamos um movimento em todo o estado.

Anônimo disse...

BIA, boa noite! Ser EDUCADOR não está fácil não!!! Mais energia e proteção divina pra nós! Abraços. Rosana.

Anônimo disse...

Bia entendi que a tabela seria postada aqui hoje ,terça feira.Entendi errado?
Essa comissão por parte do governo está embromando ,e o tempo passando ,e o pior assembleia em dezembro saí de recesso so retornando em fevereiro , e o Piso como fica?
Creio que você sindicato terá de pressionar essa gangue .

Anônimo disse...

E a tabela? Ainda nao saiu por que?

Anônimo disse...

OI BEATRIZ!
CADÊ A TABELA DE VENCIMENTO BÁSICO QUE SERIA DIVULGADA HOJE?

Anônimo disse...

Bia,
Pelo que entendi no seu Blog, você disse que a tabela de Vencimento Básico apresentada na última reunião de negociação estaria disponibilizada no site do Sind-UTE nesta terça-feira para consulta de todos. Porque ainda não postou? Sei que deve estar muito ocupada, mas estou anciosa pra ver, pois estou perdendo um valor significativo no meu salário, desde que deixei o Subsídio e voltei para o Regime antigo de remuneração. Vendo as correções que você citou dá pra ter uma noção do que vamos receber, caso este governo ditador concorde.
Bjs

Cintia disse...

E em SP,a Camara de deputados aprovaram o novo valor do Piso Salarial dos professores de R$2600,00.
Apesar do valor incompativel ao custo de vida paulistano,os colegas de SP, apesar das constantes paralisações e greve, não sofreram e não sofrem a "humilhação" que o governo de MG está impondo a categoria.

Anônimo disse...

Prof Antonio Jerônimo Neto - BH

Beatriz,

Na quarta-feira, 16/11, esperamos que a comissão não aceite nenhuma proposta do governo que não seja continuar na carreira, como estávamos em dez/2011, alíás, opção que ele próprio nos deixou escolher. Nada de voltar para a letra A. Como ficaria quem já está na letra L, por exemplo,voltar para A seria um absurdo. Também entendo que escalonamento NÃO. O governo teve desde 2008 para arrumar a casa e se não o fez, incompetência dele. Acho aínda que, à medida que o governo vai ganhando tempo, nosso prejuízo por termos escolhido nossa opção será cada vez maior. Será que ele nos ressarcirá?

Antônio Jerônimo Neto disse...

Prof Antonio Jerônimo Neto - BH

Beatriz,

Na quarta-feira, 16/11, esperamos que a comissão não aceite nenhuma proposta do governo que não seja continuar na carreira, como estávamos em dez/2011, alíás, opção que ele próprio nos deixou escolher. Nada de voltar para a letra A. Como ficaria quem já está na letra L, por exemplo,voltar para A seria um absurdo. Também entendo que escalonamento NÃO. O governo teve desde 2008 para arrumar a casa e se não o fez, incompetência dele. Acho aínda que, à medida que o governo vai ganhando tempo, nosso prejuízo por termos escolhido nossa opção será cada vez maior. Será que ele nos ressarcirá?

Anônimo disse...

Prof Antonio Jerônimo Neto - BH

Beatriz,

Na quarta-feira, 16/11, esperamos que a comissão não aceite nenhuma proposta do governo que não seja continuar na carreira, como estávamos em dez/2011, alíás, opção que ele próprio nos deixou escolher. Nada de voltar para a letra A. Como ficaria quem já está na letra L, por exemplo,voltar para A seria um absurdo. Também entendo que escalonamento NÃO. O governo teve desde 2008 para arrumar a casa e se não o fez, incompetência dele. Acho aínda que, à medida que o governo vai ganhando tempo, nosso prejuízo por termos escolhido nossa opção será cada vez maior. Será que ele nos ressarcirá?

Anônimo disse...

blegatsbeatriz , na reuniao do dia 07, foi mencionado a respeito da carga horaria de 1/3 de extra classe isto é 16 aulas na sala e 8 extra classe, conforme manda a lei.

Anônimo disse...

A proposta apresentada ainda não está no site do sindute

Andrade disse...

Beatriz. A tabela apresentada na reunião, ficou de ser colocada para consulta na terça-feira. Até agora não foi postada.Por que.

Valmorio Junior disse...

Boa tarde, onde está a tabela apresentada nesta reunião pelo Sindute? Não há nada no site do Sindute, conforme informado que estaria disponibilizada terça-feira.

Anônimo disse...

Será que haverá mesmo correção de algumas distorções de escolaridade?
Então caírá por terra quem estava na época em período probatório, quem estava de licença para estudar, quem aposentou com licenciatura curta? Que Deus tenha misericordia, porque estamos tendo um prejuízo de quase 500 reais.E se não for para ganhar de acordo com o nível de escolaridade, para que estudar? Querem profissionais com qualidade!!!

Anônimo disse...

Então será corrigida as distorções de escolaridade? caírá por terra quem na época estava em período probatório, quem estava afastado para estudar e não teve as avaliações, quem aposentou .Que deus abençõe,porque estamos tendo um prejuízo de 500 reais.Para que estudar se para dar aula para o ensino fundamental precisa somente de licenciatura curta?É de desanimar qualquer um. Querem prifissionais de qualidade.Onde está nossa valorização?Maria Célia.

Anônimo disse...

Bia escalonamento só concordo se for para pagar o retroativo do piso!

Anônimo disse...

Beatriz,vamos retomar a greve.Só assim esse governinho vai aprender a respeitar os educadores.Os substitutos da e.e.Orôncio Murgel Dutra- vila Sâo Tomas -BH Metrop. C. continuam trabalhando.

Marcel disse...

Beatriz, porque a tabela de Vencimento Básico de ATB tem os mesmos valores nos níveis II e III?????

Já tem algum tempo que tem sido publicadas esta tabela com estes valores incorretos.

Valmorio Junior disse...

E tabela salarial para os diretores? Nao foi feita?

Wagner disse...

Prezada Beatriz,
Bom dia !
Gostaria de saber como fica a questão do Pessoal Administrativo, nesta questão da negociação salarial "Plano de Carreira" ? Há algum sinal do governo contemplar também os lotados na carreira do Administrativo da Educação?
Um abraço,
Wagner

Anônimo disse...

Prezada Beatriz,
Bom dia !
Gostaria de saber como fica a questão do Pessoal Administrativo, nesta questão da negociação salarial "Plano de Carreira" ? Há algum sinal do governo contemplar também os lotados na carreira do Administrativo da Educação?
Um abraço,
Wagner

Wiliam disse...

Cadê a tabela apresentada pelo Sindute? Ainda não colocaram no site www.sindutemg.org.br

Anônimo disse...

Vejam o PROJETO DE LEI Nº 2.571/2011, que vai reduzir a jornada de trabalho na cidade administrativa. Daí, os servidores da SEE (Analistas Educacionais – ANE - e Assistentes Técnico Educacionais – ATE) lotados lá terão redução de carga horária diária de 8 horas para 6 horas. Isso não fere a Lei n° 15.293/2004, que dispõe sobre as carreiras da educação? Como pode: os cargos são os mesmos, regidos pela mesma lei, e só alguns terão este privilégio? Além disso, os termos do projeto de lei prevê a redução “atendendo à conveniência do serviço público”. Que conveniência, se o serviço público é para atender ao público? O público é que ficará prejudicado.

Se a alegação, como se tem falado nos corredores, for distância da Cidade Administrativa do centro de Belo Horizonte, então, todos os servidores de outras unidades terão direito de avaliar a distância de suas residências até o local de trabalho, seja na capital ou no interior do estado de Minas Gerais. Estou achando que isso será “abafado” com a distribuição de “Funções Gratificadas”, que hoje já são muitas, para todos os servidores da Cidade Administrativa, para que permaneçam com as 8 horas.
Sugiro a discussão desse projeto no encontro de técnicos, que acontecerá nos dias 19 e 20 de novembro em São João Del Rei, e na comissão Tripartite.

PROJETO DE LEI Nº 2.571/2011
Art. 13 - O art. 8º da Lei nº 18.710, de 7 de janeiro de 2010, passa a vigorar com a seguinte redação:
“Art. 8º - O Poder Executivo, atendendo à conveniência do serviço público, poderá reduzir em até 25% (vinte e cinco por cento), nos termos de regulamento, a jornada de trabalho dos servidores que venham a desempenhar suas funções na Cidade Administrativa Presidente Tancredo de Almeida Neves.”.

Beatriz Cerqueira disse...

Prezado Wagner,
continuamos defendendo que o Piso salarial seja para todos os cargos da educação.
Atenciosamente
Beatriz