sábado, 27 de agosto de 2011

Um balanço da semana

  • A capacidade de mobilização da categoria em greve

Cadeiras posicionadas no cruzamento das Avenidas Amazonas e Afonso Pena em Belo Horizonte compuseram o cenário da Aula Pública realizada pela categoria em greve e pelos movimentos sociais no dia 23 de agosto. Traballhadores rurais sem terra e cidadãos mineiros atingidos pela política mineira de construções de barragens foram os alunos. E todos puderam dialogar com a sociedade belo horizontina os motivos da greve, a situação da educação mineira e a necessidade de uma maior participação da sociedade numa questão tão importante que é o direito à educação. Quem participou ou assistiu se emociou.
Antes desta Aula Pública, o dia começou com uma grande panfletagem na BR 381, na altura da Ponte Rio das Velhas. Em seguida a MG10, no sentido Aeroporto de Confins, ficou parcialmente interditado por 1 hora e 20 minutos pela categoria em greve que realizou nova manifestação. Paralelo, acontecia uma atividade no Restaurante Popular do Barreiro e na PUC Minas do Coração Eucarístico.
Todas estas atividades demonstraram a capacidade de articulação da categoria da
Região Metropolitana de BH e Região Calcária e foram fundamentais para chamar a atenção da sociedade e imprensa a respeito da nossa greve.
  • Um Marco na história da classe trabalhadora mineira
O isolamento de uma categoria em greve é um importante passo para que ela seja derrata sem negociação. O governo mineiro trabalhou ativamente para alcançar este objetivo. O isolamento traz a idéia de indiferença da sociedade. Contribui também para que as pessoas desistam de continuar participando do movimento.
Conseguimos transpor esta situação quando vários sindicatos, movimento estudantil, movimentos sociais reconheceram que a nossa greve não é apenas uma questão corporativa mas de valorização do profissional, respeito ao direito à educação da classe trabalhadora e de denúncia da forma de tratamento das categorias em greve e tentativa de tutela do movimento sindical por parte do governo.
A jornada de lutas do MST e da Via Campesina se transformou na Jornada de Lutas pela Educação, os estudantes secundaristas e universitários se envolveram numa luta maior que o seu cotidiano. Conseguimos construir uma rede de solidariedade que há muito tempo não se via em Minas Gerais.
Foi o isolamento dos movimentos que possibilitou a ascensão de um projeto de estado que não está a serviço dos interesses da população. Por isso esta "rede" que se construiu a partir da nossa greve é tão importante.
O dia 24 de agosto foi, por tudo isso, um Marco em nossa história recente.
Confira:
  • O apoio da Universidade Federal de Minas Gerais

Os professores da Faculdade de Educação da UFMG apresentaram, durante a assembleia realidade no dia 24, um manifesto de apoio à nossa greve.

Este manifesto agrega grande valor político ao nosso movimento.

  • A publicação do Acórdão

Já sabíamos o resultado desde o dia 6 de abril.

Mas a ausência da publicação do resultado da votação da Ação Direta de Inconstitucionalidade do Piso certamente seria a próxima desculpa que o Governo de Minas nos daria para protelar o cumprimento da Lei Federal 11.738/08.

Os trabalhaodores em educação de Minas Gerais tiveram uma participação decisiva para a publicação do Acórdão. Com a ajuda do Deputado Federal Padre João agendamos reunião com vários gabinetes de Ministros do Supremo Tribunal Federal. Levamos a nossa situação ao ex-Presidente Lula, que nos disse que teríamos nele um parceiro para que esta questão fosse resolvida.

A publicação do Acórdão no dia 24 de agosto legitimou a nossa luta pelo Piso Salarial no vencimento básico.

Confira:

http://www.sindutemg.org.br/novosite/conteudo.php?MENU=1&LISTA=detalhe&ID=2312

  • Atuação do Ministério Público Estadual

Procuramos o Ministério Público em junho, na primeira semana da nossa greve.
O primeiro retorno ocorreu um mês depois, no dia 12 de julho, onde o sindicato foi convidado a comparecer à Promotoria para prestar esclarecimentos.
O segundo contato ocorreu no dia 10 de agosto, numa reunião que contou com a presença das Secretarias de Estado da Educação e de Planejamento e Gestão.
Nova reunião aconteceu no dia 16 de agosto e o compromisso firmado foi a tentativa de interlocução junto ao Governo para que o mesmo negociasse. Foi a última reunião.
Antecedendo a nossa assembleia do dia 24 fiz contato nos dias 22 e 23 e obtive retorno na manhã do dia 24 de que no provavelmente no dia 25 haveria uma reunião, o que não se confirmou.
Deste relato, cada um faça a sua avaliação.
  • Todos têm direito ao Piso Salarial
Ao optar, o servidor não teve a tabela de vencimento básico (atualizada com o valor do Piso) como uma referência para opção. Esta opção se deu entre a tabela de subsídio e uma tabela desatualizada (propositalmente para induzir o servidor).
É importante registrar que o sindicato orientou a categoria a sair do subsídio e esclaremos através de inúmeros boletins e inserções nos meios de comunicação que o Piso Salarial Profissional Nacional seria pago na remuneração de vencimento básico. Mas para os que ficaram no subsídio, deve-se ser dada nova oportunidade de opção.
Da mesma forma, os designados que, pela Lei Estadual 18.975/10, não tiveram o direito de opção, precisam ter este direito resguardado.
O Edital do concurso público também precisa ser revisto uma vez que ele não paga o Piso Salarial e sim subsídio.
  • O que esperar do Governo do estado
Juntando cada "retalho" em que se transformou a postura do governo a que tive acesso através dos meios de comunicação, percebo que vamos enfrentar a velha desculpa da Lei de Responsabilidade Fiscal e estudos aos quais precisamos estar muito atentos.
Dentre os retalhos, alguns merecem a nossa atenção:
- o cumprimento da lei do piso seria apenas para os que saíram do subsídio;
- escalonar a aplicação do piso;
- projeto de lei à Alemg para alterar direitos e vantagens em vigor;
É importante ressaltar que o Governo NÃO APRESENTOU nenhuma proposta ao sindicato nem há reunião agendada.
A importância do fortalecimento da greve
A publicação do Acórdão não encerra a nossa luta. Ao contrário, trouxe legitimidade para que continuemos e mostrou a coerência em nossas reivindicações.
Por isso, é importante fortalecer a greve, continuar visitando escolas, realizando atividades de rua.
Conhecemos este governo. Ainda enfrentaremos anúncios e propostas que não refletirão a correta aplicação do Piso Salarial. O momento é de unidade e fortalecimento.

47 comentários:

Anônimo disse...

Estou emocionada sou professora há 28 anos,sempre participo dos movimentos,e gora começa a sentir o gosto da vitória,avante professores,não vamos recuar,só retornaremos com o piso.O governos estadual é mentiroso,e agora toda comunidade escolar tem ciência.

Anônimo disse...

Beatriz, DIVINO continua firme na greve, com as três maiores escolas 100% paradas. Hoje conseguimos fechar Fervedouro, e na próxima segunda vamos visitar mais duas escolas. Estamos na reta final, agora é o PISO ou o PISO. Professora Dalgiza

Anônimo disse...

Beatriz, é importante esclarecer à população a questão de que o pagamento do piso independe da lei de responsabilidade fiscal. Se o governo não tiver dinheiro, basta abrir as contas do Estado e mostrar o que falta que a União complementa... A população precisa sber disso... Outra coisa, é possível o Sindicato entrar com uma ação de impeachment do governador em cso de descumprimento da lei??? Obrigado.

Anônimo disse...

só voltamos com o pagamento do piso integral sem escalonamento. O governo desde 2008 tevetempo para se preparar. Agora nos só voltamos para escola com o piso. Piso Já..

Anônimo disse...

Companheiros e companheiras de guerra, travamos varias batalhas nessa greve e vencemos. Nossa luta ainda não acabou, vamos permanecer firmes na greve e só voltar com o piso.

dilvanio unai mg disse...

concordo com vc Bia não podemos acomodarmos neste momento vamos buscar os companheiros que ainda não aderiu a nossa greve para a nossa luta .Só assim chegaremos ao final com o sentimento de vencedores ok Bia quero convidar a subsede de unaí para se fazer presente no dia 02/09/2011 no salão rural de unaí , onde estará ocorrendo uma audiência publica com diversas autoridades estaduais e federais para discutir a implantação do campus da universidade federal em nossa cidade.

Anônimo disse...

Boa Noite Bea,

Voce tem sido incansavel, atuante e competente! Os colegas precisam entender que voce esta à frente da batalha e não há como se deslocar em tantos eventos e estar aqui postando.
Seria bom se tivessemos um clone da Bea, para atender a tanta demanda!

Ja comentei e volto a faze-lo, ate agora so houve uma listagem publicada com mais de 84 mil optantes. Voce tem as outras listagens? Em que se basou para informar o numeros?
É importante que haja a publicação de todas as listagens dos optantes pelo retorno à carreira. Acredito que somos mais de 153 mil.
Muito importante tb, uma chamada a todos os que ja estão na carreira, incluindo, diretores e secretarios, para que não cometam a loucura de aceitar o subsidio.
Um domingo repousante para voce!
Graça

Anônimo disse...

Olá Bia, pode ter certeza: estamos mais fortes do que nunca. Sem o piso a GREVE continua. O governo vai tentar nos manobrar, mas de forma nenhuma aceitaremos outra proposta que não seja o pagamento imediato e integral do piso. Nada de pagamento escalonado. Nada de aprimorar subsídio. É o PISO E PRONTO. CASO CONTRÁRIO, A GREVE CONTINUA!

Anônimo disse...

Olá Beatriz, tudo bem? Ando com muitas coisas fervilhando em minha cabeça, além do piso, muito me preocupa o número de vagas no edital. O que o sindicato pode fazer para recorrer e pedir a inserção das vagas dos efetivados no edital? Isso não pode ficar assim. Sei que a greve é pelo piso, temos que nos manter o mais unidos possível, mas o tempo está passando e daqui a pouco chega a hora de fazer as inscrições para o concurso! Mas com esse número de vagas não dá! Em minha cidade há apenas 1 vaga para meu conteúdo, e muitos efetivados (até não habilitados) ocupando vagas que poderiam estar no edital e nos dar chance justa. Por favor, Beatriz, olhe essa questão por nós, por favor!

Anônimo disse...

Boa noite! Tenho uma dúvida: em relação à reposição de aulas, após o corte nos nossos pagamentos e com professores nos substituindo nos 3º anos somos obrigados a repor? O que pode acontecer com quem não quiser repor os dias cortados? E se houver aulas em janeiro, somos obrigados a repor, ou após cortar nossos salários e nós recusarmos a repor o governo pode contratar substitutos para fazer a reposição? Outra: há possibilidade do ano letivo se perder? Espero ansiosa por informações. Obrigada!

PROFESSORA ELAINE-CARATINGA disse...

Parabéns Beatriz, pela força que você dá no movimento,precisamos de uma líder ética,forte e capaz como você.Com certeza venceremos!

Anônimo disse...

Beatriz,

Agradeço a resposta - postada diretamente no blog - sobre a situação do professor que optou pelo subsídio.

Me identifico no perfil de quem optou pelo subsídio por total falta de segurança, devido ao ocultamento, pelo governo, da tabela do Piso Salarial.

Assim como eu, tenha certeza que tantos outros encontram-se na mesmíssima situação.

Obrigado pela atenção!

Anônimo disse...

O povo unido, jamais será vencido! Greve até o piso!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Bia, sou designado. A conquista do PSPN para os 153 mil que optaram em retornar à carreira antiga já são favas contadas. Parabéns à luta do SindUte-MG, pois, apesar de ser Lei Federal, se não fosse a pressão da greve o governo não cumpriria a Lei.
Agora, temos que acompanhar a Adin 4631 que está no STF e que deverá ser votada por esses dias. Se a lei do Subsídio for decretada inconstitucional, será muito bom. No entanto, pelo que li hoje no jornal "O Tempo", alguns especialistas disseram que será muito difícil.

Maria Beatriz Fontoura disse...

Bia, ficou ótimo e esclarecedor o texto da semana.Surgiro, que neste momento, façamos contato com a secretária da educação através do email por ela divulgado na Conferência de Caxambu,onde inclusive tem fotos e gravações dela com os participantes da Conferência, cobrando seu posicionamento junto à categoria,afinal é ela a responsável pela Secretaria e automaticamente pelas negociações.Vamos forçar a barra pra cima dela,a categoria precisa ter acesso ao seu email e fazer a cobrança necessária.Parabéns pela coragem e dedicação,um forte abraço.Beatriz subsede Capinópolis

Antônio Augusto disse...

Beatriz,como fica nossa situação agora. Será que receberemos alguma coisa em setembro?Só podemos voltar as aulas com garantia que o Estado irá repor todos os dias cortados imediatamente e nos dando garantia de pagar o Piso. Temos professores zerados de caixa e precisamos urgentemente termos garantia de receber todos os dias cortados, já que nossa greve é legal.

Beatriz Cerqueira disse...

Prezado Antônio,
acredito que ainda não podemos falar em voltar. Temos a decisão do STF mas as recentes falas do governo merecem a nossa atenção e várias questões precisam ficar muito claras como o pagamento do piso, a atualização da escolaridade para que todos realmente recebam pela formação que possuem.
Ainda é hora de fortalecer a nossa greve.

Anônimo disse...

... será que conseguiremos vencer essa batalha, o governo parece indiferente...

Beatriz Cerqueira disse...

Prezado colega,
ainda acho cedo para falarmos em reposição. Mas o corte do salário desobriga a reposição. O servidor não deve nada uma vez que não recebeu. É a minha opinião. Mas acho que devemos amadurecer esta questão coletivamente.
Um abraço
Beatriz

Beatriz Cerqueira disse...

Prezada Graça,
obrigada! Faremos nova cobrança pela publicação de todas as opções de retorno.
Um abraço
Beatriz

Cristina Costa disse...

Só faltava esta agora!!!
Escalonada deve ser a saída destes incompetentes do governo.
Queremos nosso PISO já e o retroativo também.
AH!!! Ela deve está falando do atrasado.
Este sim, podemos estudar esta possibilidade, eu disse estudar, isto porque, nós professores pensamos nos alunos, coisa que o governo não fez, nem esta fazendo.
Escalonar é mais uma piada das muitas sem graças que esta secretaria de planejamento está soltando esses dias... Este piso foi aprovado em 2008 para ser aplicado no máximo até janeiro de 2010. Todos os governos tiveram tempo para se adequarem a lei.
Agora, eu nem meus colegas podemos esperar.
Já esperamos muito, já sofremos muito, já passamos por várias provações, já tivemos que engolir um subsídio (venenoso, e maléfico) agora, queremos o que é nosso e o mais rápido possível.
Essa Renata Vilhena consegue me surpreender a cada entrevista. Impressionante o seu arsenal de maldade para com os educadores!! Socorro!!!

Lei de responsabilidade Fiscal x lei do PISO Nacional
I) Não há conflito entre as duas Leis porque cada qual deriva de comandos constitucionais diversos;
II) A Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece normas de finanças públicas direcionadas à gestão fiscal, enquanto a Lei nº 11.738/2008 trata da reserva legal para fixação do piso dos profissionais do magistério público;
III) Se, ao implantar o piso salarial, a despesa total com pessoal ultrapassar o limite de gastos estabelecidos pela LRF, deve a administração pública adotar medidas para corrigir o desequilíbrio fiscal;
IV) Essas medidas estão previstas na própria LRF, quais sejam, eliminação do percentual excedente nos dois quadrimestres seguintes, sendo pelo menos 1/3 no primeiro.

Anônimo disse...

NADA no site da Educação!
Será que estão em estado de CHOQUE, após a publicação do ACÓRDÃO?
ESSE SILÊNCIO É ASSUSTADOR!...
O FILHO DAS TREVAS está em meditação
para nos causar mais dor.
VOCÊ, QUE AINDA ESTÁ NA ESCOLA...
VENHA LUTAR...
para mais rápido alcançarmos a VITÓRIA!

Beatriz Amigo Poncio disse...

Boa noite xará, muito bom o balanço da semana.Quero aproveitar esse espaço maravilhoso para agradecer a todos pela moção de apoio à nossa luta.Quero também agradecê-la pelo carinho e dedicação que você tem demostrado à frente dessa luta. Parabéns guerreira, não sei não(Esse nome Beatriz, é de mulher guerreira rsrsr).Tenha um domingo abençoado, de refrigerio ao balanço de uma boa caminha.abraço amigo.Até dia 31 se Deus permitir.Que Jesus continue te fortalecendo e te guardando e nos livrando de todo o mal.

Anônimo disse...

Agora é a hora!!! Força na luta companheiros!!! Com Deus chegaremos lá. Não podemos desanimar. A vitória está próxima.... Uma educadora....

Anônimo disse...

Bom dia!
Já que o governo estuda pagar o piso, mesmo que seja de forma escalonada, e o estudo dessa possibilidade deve sair na terça(30/08), o governo não deveria agendar uma reunião para esse mesmo dia à tarde, haja vista que a nossa Assembléia é na quarta(31/08)? Pelo que vejo esse governo não está com pressa de resolver a situação da greve. Se no dia 31/08 não houver uma proposta escrita e com garantias, a greve continua. Força aí pessoal!

Anônimo disse...

Bom dia...
Uberlândia necessita de uma frente mais forte, para outras escolas aderirem ao movimento.

Abraços

Elizete - Bocaiuva disse...

Parabéns Beatriz, pela postura tranquila, ética e sábia com que tem conduzido a situação. Que Deus a ilumine sempre para conduzir nossa categoria a caminho da justiça e do bem.

Anônimo disse...

BEATRIZ,
PARABÉNS, pela sua postura de liderança!!!
O Brasil precisa de pessoas como você no senário político. Estamos carentes de políticos lutadores, honestos e a cima de tudo que sejam representantes dos de baixo.

Que Deus te abençõe!!!

marcospachecao disse...

BOM DIA! BEtriz, parabenizo pela coragem e juntos sairmos vitoriosos. portanto caso o governo relutar em não apresentar a tabela, que tal aquartelar no colegio central igual os bombeiros dos rio quem sabe ele reconhece a nossa força pois da uma repurcução nacional e por que nao internacional......

Anônimo disse...

Hoje saiu uma reportagem muito interessante no jornal Tribuna de Minas (Juiz de Fora); a reportagem ressalta que a nossa espera pelo piso não é, ao contrário do que muitos pensam, desde 2008 e sim desde a Constituição de 1988, que já previa a instituição de um piso salarial para os professores! Confesso que fiquei até surpresa com a reportagem, dado a benevolência da mídia com o governo. Além da versão impressa, a reportagem pode também ser conferida no site do jornal. O acesso depende de um cadastro, que é gratuito e rápido de se fazer, vale a pena conferir e divulgar: http://www.tribunademinas.com.br/politica/professor-luta-ha-mais-de-20-anos-por-piso-salarial-1.823387

Edina Roseci de Brito Naedzold disse...

Continuaremos firmes na luta até a conquista do piso. Sem piso não piso na escola!

marcospachecao disse...

OLA BEATRIZ, MARCOSPACHECAO(SINDUTE POUSO ALEGRE), ESTA FOI A MOÇÃO DE REPUDIO DA SUBSEDE, QUE FOI APROVADA E LIDA PELO DEPUTADO JOÃO LEITE, SE POSSIVEL PUBLICAR NO INFORME DO SINCATO.

Conforme solicitado, segue moção aprovada no encontro de varginha, foruma violencia nas escolas).
Contra a Gestão do Governo para a Educação
Pelo não cumprimento da Lei Federal 11.738/08 (Lei do Piso), na qual o Sr. Governador Antônio Anastasia se recusa em reconhecer e aplicar com total apoio do Judiciário e do Poder Legislativo, principalmente a base aliada. Esses três poderes ficam alheios a essa situação sem respeitar a Constituição Federal sobre os princípios da legalidade, imparcialidade, moralidade, impessoalidade, eficiência no Serviço Público, os quais juraram quando da sua posse. E para piorar a situação, o Executivo criou a Resolução 1905/11 autorizando a contratação de profissionais habilitados ou não para assumirem temporariamente os professores em greve para atuarem no 3° ano do Ensino Médio, com a desculpa do Exame do Enem, contradizendo o princípio da “Educação de Qualidade” na CF, CE e LDB.

Em razão desses fatos a rede estadual de ensino está em greve há 70 dias."

Anônimo disse...

Sai hoje no grande jornal dos mineiros uma reportagem muito tendenciosa sobre a Beatriz, cada dia que passa esse governo mostra a sua verdadeira cara.....como pode ser tão baixo

Anônimo disse...

Bia,
Boa tarde!
Esse (des)governo já passou dos limites. Me diga, uma pessoa que ocupa o cargo de Secretária de Estado pode mentir púplica e descaradamente, como fez a Renata(SEPLAG), afirmando que Minas Gerais não recebe verbas do FUNDEB? Ela deveria responder por essa mentira e as demais ditas ao longo da greve.
Maria de Lourdes

Marly Gribel disse...

Beatriz, vc realmente conseguiu construir a teia; reuniu vários segmentos sociais também pauperizados como nós nesta grande cruzada contra este governo, que desafia a própria LEI. Gravíssimo o que ocorre em Minas: uma extrema falta de respeito deste governador com a Justiça.
Estamos com o Sind_UTE até a vitória!

jodson disse...

Bia, queria pedir que fosse descartada qualquer possibilidade de se aceitar uma eventual proporcionalidade para o piso. A lei é clara, jornada de trabalho de no máximo de 40 horas, significa que é a maior carga horária aceita pelo mec, mas não propõe nenhuma proporção para cargas horárias menores. Evidentemente não devemos aceitar a proporcionalidade. cair nessa armadilha, é um erro inaceitável

Anônimo disse...

Aumentou a nossa lista a cidade de papagaio , tem duas escolas estaduais e as duas aderirão a greve nesta ultima sexta.

Roberta disse...

Beatriz, é preciso que o sindicato lute, sim, por aqueles que permaneceram no subsídio. Não podemos nos esquecer de um detalhe de suma importância: a grande maioria dos que permaneceram no subsídio o fez não por considerá-lo a melhor opção, mas sim por não ter informações suficientes sobre o que realmente estava acontecendo; por receber informações desencontradas; por influência das SREs que mantinham sempre o seguinte discurso: "o subsídio é a melhor opção para os iniciantes". Aqui no interior, por exemplo, não pudemos contar com o apoio do sindicato no momento de decidir (pelos mais diversos motivos), os dias estavam nebulosos e conclusão: muitos sentiam-se perdidos e advinhe quem aparecia para ajudar: a "querida" diretora, cujo discurso é fácil imaginar qual era.
Em síntese: Lute, Beatriz, para que todos possam se beneficiar da vitória que já está tão próxima. O subsídio deve ser extinto das vidas de todos os professores mineiros..

PROFESSORA ELIZABETH -AIMORÉS-MG disse...

BOA NOITE BEATRIZ!!!!! QUE VC E TODOS QUE ESTÃO NA FRENTE DESSA BATALHA ,QUERO QUE SAIBAM QUE EXISTE UM BATALHÃO EM ORAÇÕES POR ESSE MOVIMENTO ,POIS , ESTÁ ESCLARECIDO PARA A POPULAÇÃO QUE NOSSA LUTA É POR UMA LEI QUE NÃO ESTÁ SENDO CUMPRIDA . TENHAMOS TODOS CONVICÇÃO QUE NOSSO DEUS É O DEUS DE MILAGRES,
DO IMPOSSÍVEL , DO EXTRAORDINÁRIO . ELE ESTÁ À FRENTE DESSA BATALHA E NÃO DEIXARÁ QUE O GIGANTE GOLIAS TENHA VITÓRIA . NOSSAS ORAÇÕES FORAM OUVIDAS E CONTINUARÃO SENDO OUVIDAS E ATENDIDAS POR DEUS ,POIS COMO JÁ DISSE , É POR JUSTIÇA A NOSSA LUTA . AQUI EM AIMORÉS A MAIOR ESCOLA EE.FREI AFONSO MARIA JORDÁ ESTÁ COM 90% DE PROFESSORES EM GREVE E ESTAMOS FIRMES .TEMOS TAMBÉM MUITAS ESCOLAS DO INTERIR E CONSEGUIMOS TAMBÉM QUE OUTRA ESCOLA DA CIDADE EE.MACHADO DE ASSIS ,QUE OS PROFESSORES SE CONSCIENTIZASSEM E ADERISSEM A GREVE . PAIS , MESMO ESTARRECIDOS COM AS NOTÍCIAS NOS APOIAM ,POIS ,RECONHECEM A INJUSTIÇA DO GOVERNO PARA COM OS PROFESSORES DESDE A ÚLTIMA GREVE EM 2010. CONTINUEMOS COM NOSSA FÉ E TEREMOS NOSSA VITÓRIA . DEUS ESTEJA ABENÇOANDO A VC E TODOS OS COMPANHEIROS DE FRENTE E TODOS QUE ESTÃO EM GREVE , APOIANDO DE UMA FORMA OU DE OUTRA O MOVIMENTO . PEDIMOS TAMBÉM AO NOSSO DEUS ,QUE DÊ SABEDORIA ,DISCERNIMENTO , CORAGEM , INTREPIDEZ ,ÀQUELES QUE AINDA ESTÃO EM SALA DE AULA . MISERICÓRDIA COLEGAS !!!! PORQUE ESTÁ TÃO DIFICIL DE ENCHERGAREM A VITÓRIA ????? AGUARDAMOS POR VCS ... CORAGEM ...

César Pedroso disse...

Queridos Educadores desse Estado das Gerais, pois as Minas, como sempre, ficam com eles...
Na minha humilde avaliação, penso que a greve começou a partir da nossa última assembleia na quarta-feira, agora prescisamos mostrar para este governo que estamos vivos e coesos em busca do nosso objetivo. Na escola que sou lotado, E.E.Júlia Lopes de Almeida, eu apenas eu, estava parado desde o início, agora têm mais dois: benvindo a greve professora Flavia e prof. Rossine, e com muita vontade na próxima quarta todos estarão parados e na nossa assembleia...vamos colocar é 20.000 nas ruas de BH.
Vamos até o nosso objetivo: OU PAGA O PISO...OU PAGA O PISO...
Abração pra todos educadores mineiros que ainda não deixaram que sua dignidade profissional fosse escarrada para o chão....

César Pedroso disse...

Ah!!! eu me esqueci de pontuar a nossa última passeata..."1...2...3...4...5...10.000, nós é que fazemos a história do Brasil"...lindo...lindo...lindo...

Simone - Sete Lagoas disse...

"Quem sabe faz a hora, não espera acontecer..."
Foi emocionante a passeata do dia 24 de agosto. Foi lindo demais ver o apoio das pessoas...
E nós todos juntos "caminhando e cantando" rumo à vitória, se Deus quiser!

Anônimo disse...

Prof° Edmar (geografia) - Escola Estadual Sebastião Dias Ferraz - Tupaciugara.
Beatriz, gosto muito de ler suas análises. Parabéns pela postura que vem tomando quanto ao desenrolar dessa greve.
Gostaria muito que pedisse aos dirigentes da subsede Uberlândia viesse fazer uma visitinha aqui em Tupaciguara. Os professores cobram muito a presença do Sindicato. Pra você ver, muitos apesar de eu falar e orintar todos os dias, não retornaram à nossa carreira legítima porque o Sindicato não veio exclarecer alguns pontos que eles julgaram obscuros. Quem veio foi somente o pessoal da Superintendência que falou pra eles "vendendo o peixe do governo". Eu leio todos os dias o Blog do Euler e também entro todos os dias no seu pra ver se já foi atualizado. Chego na escola e relato a todos o que estou vendo, mas é somente um falando. Fica difícil influienciar a todos. A escola continua funcionando normalmente e nem se falam em greve. Acho que o momento era do sindicado marcar serrado nas escolas que ainda estão funcionando. Pra você ver, nem em Uberlândia o Sindicato está tendo muito influencia, uma vez que são poucas as ecolas que estão totalmente parada. Uberlândia é uma cidade grande (2ª maior do estado) e se parasse, seria um peso muito grande nesta greve. Em Tupaciguara, todas as escolas estão funcionando normalmente. Tem servidores da escola que nem sabe que está acontecendo uma greve. Eu muitos outros servidores da minha escola gostaria muito que o sindicato fosse mais presente em nossa cidade. Alguns servidores revoltados com a falta de presença do Sindicato dizem que eles só aparecem aqui em épocas de eleição e estão pensado até mesmo em se desfiliar.
Sem mais para o momento, agradeço a atenção que me for dispensada.
Grande abraço!!
Prof° Edmar

Anônimo disse...

PROF° EDMAR (GEOGRAFIA) TUPACIGUARA - ESCOLA ESTADUAL SEBASTIÃO DIAS FERRAZ.
O SINDICATO PRECISA AGIR E TENTAR FAZER COM QUE TODAS, SE NÃO TODAS, MAS PELO MENOS A MAIORIA DAS ESCOLAS DE UBERLÂNDIA, ARAGUARI, TUPACIGUARA, MONTE ALEGRE DE MINAS, TAMBÉM ENTRASSEM NESSA GREVE. SÓ MINHA ESCOLA AQUI EM TUPACIGUARA(ESCOLA ESTADUAL SEBASTIÃO DIAS FERRAZ), TEM MAIS DE 1600 ALUNOS.
FAÇA COM QUE O SINDICATO SEJA MAIS OPERANTE NESTAS CIDADES.
GRANDE ABRAÇO E PENSE NA SUGESTÃO!!

Visita urgente a algumas escolas! disse...

Boa Noite!
Enquanto algumas escolas aderem ao movimento neste momento crucial, momento em que devemos nos unir mais e fortalecer a luta justa, fiquei sabendo que na EE Maria Josefina Sales Wardi, no bairro Jardim Canadá, em Nova Lima, alguns professores vão retornar ao trabalho amanhã, dia 29/08. A atitude destes professores é uma demonstração indiscutível de COVARDIA!
Pessoal do sindcato, vocês poderiam fazer uma visita a esta escola?
Já escrevi antes sobre a necessidade de uma visita do sindicato a esta escola. Por favor, Beatriz, sei que estão todos ocupados, mas você mesma falou que é preciso intensificar a luta, inclusive com visitas às escolas.
Meu último comentário não foi publicado e falava do mesmo assunto.
Parabéns pelo trabalho, Beatriz!

César Pedroso disse...

Boa Noite!
Prof. Edmar de Tupaciugara, temos que ter responsabilidade maior em nossos objetivos, nossas opiniões, nossos sonhos, principalmente, nossos sonhos, veja bem, são as motivações maiores de estar VIVO!!!
Tudo bem quando cobra a presença do sindicato, mas a sua força ultrapassa a instituição do sindicato, pois você é educador e nada mais forte quando um EDUCADOR fica endignado...abraço meu irmão...pois tenho certeza da sua força e vai parar TUPACIUGARA e vai contribuir pra botar 20.000 na próxima assembleia...
Vamos lá Educador!!!! Até o Piso!!!!

Anônimo disse...

Olá Bia, se permite chamá-la de Bia, gostaria de lhe parabenizar pela inteligência, postura, coragem e honradez com que conduz o Sindute e a nossa greve, faltava há muito tempo em Minas, uma representante fiel a categoria, mas finalmente encontramos esta guerreira mulher,que respeitosamente, além de ser bonita,é leal aos seus representados. Deus lhe dê muita força, saúde, proteção e a vitória,todos estão de alguma forma esperando um bom resultado, acredito na vitória desse movimento. Com certeza será um marco na História Educação mineira. Piso já!