segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Não estamos sozinhos



MOÇÃO DE APOIO AOS SERVIDORES E SERVIDORAS DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Apesar da Lei Federal n. 11.738/08 definir que o Piso Salarial Profissional Nacional dos Trabalhadores em Educação é de R$1.597,87, os contracheques comprovam que Minas Gerais paga, hoje, R$369,89 para um professor da educação básica. A lei é clara ao dizer que o piso é o vencimento básico do trabalhador e o Supremo Tribunal Federal tem o mesmo entendimento, mas o Estado mantém a distorção, apresentando valores que não correspondem à realidade.
Diante desta injustiça, os sindicatos que subscrevem esta moção manifestam total apoio aos trabalhadores e trabalhadoras em greve desde 8 de junho para denunciar o baixo salário pago no Estado e reivindicar o Piso Nacional, como determina a lei.
Reforçamos, também, a denúncia do Sind-UTE MG de que Minas não aplica o mínimo estabelecido pela legislação em educação – 25% da arrecadação estadual. Se avaliada a Receita Corrente Líquida, nos últimos 9 anos Minas reduziu drasticamente os investimentos em educação. Em 2001, o Estado investia 30,57% no ensino e em 2010 este percentual caiu para 16,08%. Neste período, trabalhadores da educação acumularam perdas.
O autoritarismo do governo penaliza, também, outras categorias com os eletricitários, os fiscais da Receita Estadual, os trabalhadores do saneamento básico, da segurança pública e da saúde, dentre outros. Os movimentos sociais e estudantis também sofrem com a intolerância de um governo neoliberal que não respeita os estudantes, o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e o Movimento dos Atingidos por Barragem (MLB), dentre outras entidades.
Lembramos que a recusa do governador mineiro, que é ex-professor universitário, em negociar com os trabalhadores em greve representa o risco da perda do ano letivo dos alunos, o que é lastimável. Além disso, o governo coloca Minas na contramão da necessidade emergente do Brasil. O país desenvolve suas relações democráticas e a educação se torna essencial, enquanto o autoritarismo e a truculência na relação com os trabalhadores se tornam inaceitáveis.
Reafirmamos nosso irrestrito apoio à luta dos trabalhadores da educação e reivindicamos a abertura de diálogo, pautado pelo respeito e liberdade sindical, com o Estado cumprido seu papel de negociar e administrar conflitos, sem jamais tentar impor condições.

MEXEU COM OS PROFESSORES, MEXEU COMIGO!

Assinam este manifesto:
ABEF, Ames BH, Ascobom, Ascom/Ipsemg, Aspra, Assembleia Popular, Astra, Astromig, Bloco Minas sem Censura, Brigadas Populares, CACS, CNTE, CNTI MG, CRB, CSP Conlutas, CTB Minas, CUT Minas, DARC PUC/ANECS, FNU (Federação Nacional dos Urbanitários), Grêmio Estudantil dos Estadual Central, Levante Popular da Juventude, Movimento dos atingidos por barragens (MAB), Marcha Mundial de Mulheres, Movimento dos Trabalhadores Desempregados, Movimento Luta de Classes, Movimetno Pró-Metrô, MST, MTA, PC do B, PRC, Portal Minas Livre, PSOL, PT, Senge MG, Sinarq, Sindicato dos Bancários, Sindicato dos Jornalistas, Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem, Sindicato dos Psicólogos, Sindicato dos Rodoviários, Sindicato dos Securitários, Sindados, Sindágua, Sindfisco, Sindgasmig, Sindibel, Sindieletro, Sindimetro, Sindipetro, sindmassas, Sindpol, Sindrede, Sind-Saúde, Simpro Minas, Sintest, Sinttel MG, Sitraemg, UJR, UJS, União Estadual dos Estudantes (UEE).

46 comentários:

Anônimo disse...

Em Igarapé, governador fere direito de greve e contrata professores para substituirem os grevistas para que esses dê aulas para os alunos do 3° ano do Ensino Médio.
NOTA: somente os alunos do 3° ano são importantes e mais, não precisa ter qualificação é necessário somente querer trabalhar. (... É só um bico!)

Gracieusa Brito disse...

Bia, que o Divino Espírito Santo te acompanhe sempre, para que você, tenha sempre esse raciocínio rápido e não se deixe intimidar por pessoas que insistem em nos subjugar. Obrigada a todos os que nos apoiam.
O piso é LEI.
E o Ministério Público tem o dever de fiscalizar o Estado e obrigá - lo a cumpri - las.

Anônimo disse...

Cara Beatriz. Muita força e determinação amanhã. Na Assembléia estaremos com você, e pode ter certeza, sem negociação do PISO a greve continua. Não temos mais pressa. Quem tem que ter pressa é o governo. Vamos até o fim. Subsídio é palavra proibida para quem optou pela carreira antiga. Só aceitaremos o Piso, ainda que o do MEC. E outra coisa: gostaria que você esclarecesse à categoria sobre a reposição (ou melhor, não reposição de aulas) pois isso anda gerando dúvidas e já que o salário foi cortado, não vamos repor. Já passamos o aperto nesse mês, nem interessa que o governo venha com nova folha de pagamento. Ele deveria ter respeitado a categoria que luta por lei federal. Não respeitou, já era. Não nos interessa repor. Deixe ele contratar substitutos. Ele pensa que professor está dando em árvores...

Anônimo disse...

Bia, acho que temos que ser realistas com os alunos, pois eles correm sim, o risco de perder o ano caso o governo insista em não negociar o piso. Eu estou de greve desde o dia 08/06 e não vou sair da greve enquanto o piso não vier. Acho que isso é um compromisso moral da categoria, não recuar e não aceitar outros tipos de propostas. O sindicato pode fazer a proposta que o governo pedir, mas se não for o pagamento do piso, ainda o do MEC, não devemos voltar DE JEITO NENHUM. E isso coloca sim, em risco, o ano letivo dos alunos. E outra, sei de muitas escolas que não irão repor os dias cortados, inclusive a minha. E não fazemos questão de nova folha de pagamento, o governo fez o que fez e agora que percebeu que não tem tanto professor na praça como ele achou, pode tentar negociar o pagamento em troca de reposição. Eu já passei (e estou passando) os meus apertos por aqui, me virando como posso, e não quero saber de salário porque não vou repor. E saiba que essa opinião é quase unânime. E ainda que o governo contrate substitutos para repor em nosso lugar, em sábados, feriados, janeiro (Deus me livre! Eu não pedi essa greve, quem pediu foi o governo, e se chegamos até aqui a culpa é absolutamente dele) vamos combinar que professores não estão caindo de árvores. Então acho que temos que ser realista e mostrar para os alunos a gravidade da situação. Eles podem sim perder o ano letivo. E a culpa é do governo. É bom que de repente eles e seus pais engrossem o nosso coro de "FORA ANASTASIA"!!!!

Anônimo disse...

Cara Beatriz. Sei que estamos em pleno climax dessa greve pelo piso e concordo que só deveremos sair da greve com negociação pelo Piso. Mas não deixe de lembrar que ainda que cheguemos à vitória, há outra luta a ser travada, no que diz respeito ao edital do concurso, com aquele número absurdo de vagas. Temos que lutar para que esse edital conste a vaga dos efetivados (COISA JUSTA) e temos que lutar para que efetivos com menos tempo de escola, porém CONCURSADOS, não percam seus direitos para efetivados que têm mais tempo na escola, mas muitas vezes nem habilitação tem. Essas questões estão adormecidas mas não morreram. E quando acordarem, será com a fúria de um leão. Estamos indo por partes, mas o Sindicato deve saber que ainda há muita luta a ser travada. QUEREMOS JUSTIÇA EM TODOS OS ÂMBITOS!!! E CONTAMOS COM O BOM SENSO DO SINDICATO!

Fernanda Alves disse...

"Lembramos que a recusa do governador mineiro, que é ex-professor universitário, em negociar com os trabalhadores em greve representa o risco da perda do ano letivo dos alunos, o que é lastimável." Que absurdo, lastimavel é ter que engulir pessoas como vc, se diz educadora, fazer isso com os alunos. Devia era mandar todo mundo embora e por justa causa.

Prof. Rogério Trindade disse...

Acabo de chegar de uma reunião com a comunidade, onde, pela primeira vez, a maioria era de pais de alunos. Eles nos apoiam e incentivam a continuar enquanto for preciso. Reconhecem que se voltarmos agora de mãos abanando será pior porque daqui a alguns meses estaremos entrando de greve novamente. Então, a hora é agora. Mas ainda acredito que se não sair nada dessa reunião amanhã, devemos radicalizar (não entendam como violência, mas mudar os atos). Invejo a coragem das colegas de Ipatinga. Quem dera termos a coragem delas. A população já está pagando um alto preço pelo voto equivocado nas últimas eleições. Temos que passar a incomodar mais insistentemente o governo e seus comparsas. A população já está devidamente informada, então, temos que partir pra cima deles, com cerco, ocupação, seja lá o que for pra eles entenderem que com o povo não se brinca. Contudo, vamos brigar pelo piso do MEC, ainda que proporcional. O piso da CNTE não deve ser uma briga só nossa, mas de todos os educadores do país. Rogério Trindade - Curvelo

Uatevilo disse...

Beatriz, Boa Noite!
Tenho uma dúvida e gostaria muito de seus esclarecimentos. Também estou de greve desde o dia 08 de junho e vou até o fim da mesma. Já tive meus dias cortados e com certeza terei muitos outros. Minha dúvida é o seguinte: sou obrigado por lei a repor os dias parados, visto que já paguei por eles em minha folha de pagamento? Entrei de greve pelo motivo da greve e não tenho disponibilidade para repor estes dias cortados.
Preciso desta reposta para meu fortalecimento e também de outros colegas.

benhur disse...

BEATRIZ, piso, piso, piso ,piso, piso, piso, piso, piso, piso ,piso, piso, piso, piso, piso, piso ,piso, piso, piso, piso, piso, piso ,piso, piso, piso, piso, piso, piso ,piso, piso, piso, piso, piso, piso ,piso, piso, piso, piso, piso, piso ,piso, piso, piso, SOMENTE o piso, piso, piso ,piso, piso, piso, piso, piso, piso ,piso, piso, piso, piso, piso, piso ,piso, piso, piso, SERVE !!!!! força !!!!!

Anônimo disse...

Bia,
Gostaria de aproveitar o espaço para agradecer a todos aqueles que têm fortalecido a nossa luta. Seja com um palavra, com um gesto ou à sua maneira. Nesse momento tão difícil e decisivo em que precisamos ser firmes, esse apoio é essencial. Obrigada a todos!

Anônimo disse...

Ótima reportagem sobre a greve:
http://www.youtube.com/watch?v=Ejpj_4NuzvU&feature=player_detailpage

João Paulo Ferreira de Assis disse...

Companheira Beatriz

Esta ideia que vou expor é para depois da greve. Já pensou a companheira que seria muito melhor lutarmos pela FEDERALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA? Era até uma pergunta ótima para se fazer às secretárias do Governador: se MG não tem condições de pagar nem o Piso do MEC, que é de lei, então que nos entregue para a União.
Penso, companheira Beatriz, que só com a federalização nós poderíamos alcançar o sonho do Piso da CNTE, e quem sabe? O do DIEESE. Basta de ficarmos aguentando governadores e prefeitos inescrupulosos.
Antes de a companheira ter este blog, apresentei a ideia para a sua colega Bebel, da APEOESP. Ela nem ao menos respondeu o meu comentário. Seria bom que o Sindute começasse a discutir esta ideia, e criar fóruns sobre isso.

Cordialmente, João Paulo Ferreira de Assis, Professor da EE Deputado Patrus de Sousa em Carandaí MG, GLORIOSAMENTE EM GREVE desde ontem.

Anônimo disse...

BIA,QUE DIVINO ESPIRITO SANTO TE ILUMINE;QUE SÓ SAIA DE SUA BOCA PALAVRAS CERTAS NA HORA CERTA . VAMOS TODOS NOS UNIR EM ORAÇÔES>

Anônimo disse...

BIA,QUE DIVINO ESPIRITO SANTO TE ILUMINE;QUE SÓ SAIA DE SUA BOCA PALAVRAS CERTAS NA HORA CERTA . VAMOS TODOS NOS UNIR EM ORAÇÔES>

Anônimo disse...

'BIA,QUE DIVINO ESPIRITO SANTO TE ILUMINE;QUE SÓ SAIA DE SUA BOCA PALAVRAS CERTAS NA HORA CERTA . VAMOS TODOS NOS UNIR EM ORAÇÔES>

Jaqueline Carla disse...

Fico feliz em ver tanto apoio ganhamos, no entanto, não podemos jamais nos esquecer esse episódio da greve que marcou a história da educação em Minas quando formos ás urnas nas próximas eleições estaduais. Espero que toda a nossa luta e principalmente o descaso do governo estejam cravados em nossa memória para darmos a resposta de que somos sim inteligentes,unidos e fortes!

Anônimo disse...

Um modo de pressionar pela publicação do acordão do STF é mandar um email para atendimento@stf.jus.br
perguntando o por que não foi publicado o acordão da ADI4167 até os dias de hoje. Vamos insistindo!!!

Rosilene ( professora ) disse...

FERNANDA ALVES,você vive onde? Com certeza não é educadora, pois se fosse não diria: Devia era mandar todo mundo embora e por justa causa.
Deveria saber que greve é um direito constitucional querida,quem deveria ser exonerado do cargo é o DESgovernador, pois ele não está amparado por lei nenhuma, pelo contrário, é um descumpridor da LEI.
Peça a Deus sabedoria antes de postar um comentário desse ok?

Anônimo disse...

Fernanda amiga, minha vaga está aqui se vc quiser pode vim dar aula só que te falo uma coisa nunca tenha filhos porque vão precisar de fazer faculdade e se você tiver ganhando o subsídio até lá seus filhos nunca irão poder fazer uma.ok! eu quero meu PISO! já estou sem chão.
Professora: Dois cargos de Matemática. do 2º grau ok pode vimmmmmmmm eu quero o piso!piso!piso! sua ingnorante! o dó nem estuda e fica inventando que quer estudar.

Anônimo disse...

Obrigada pessoal pelo apoio á nossa greve,que é legítima em exigir o cumprimento da lei do piso salarial nacional.
Hoje somos nós da educação em greve, amanhã podem ser outras categorias lesadas pelo governador Fora da Lei.Um aventureiro político e autoritário que pensa estar acima da Carta Magna do país.Fora Anastasia você é uma ameaça à democracia!

Anônimo disse...

Bia
Eu sei que vocês estão pensando nisso, só para reforçar informo que fui muito pressionado por colega habilitado em Física e que encontra-se desempregado, por ocasião das nossas visitas para tentar evitar a designação. Ele não pegou as aulas, mas quer que o SINDUTE tome uma posição mais firme quanto as vagas que estão sendo ocupadas por pessoas não habilitadas e que estão dando aula devido a Lei 100. Eu defendo que devemos exigir que todas as vagas aparecam e sejam colocadas no Edital pois Cargo Público só por concurso público. Assim diz a Constituição Federal. Não podemos ficar com receio dos efetivados pois há muito mais designados e desempregados que poderiam assumir por concurso, estas Vagas.
Força e firmes na LUTA ATÈ A VITÒRIA.
SOCIEDADE MINEIRA ESTÁ DO NOSSO LADO.
Sidilúcio Ribeiro Senra
Leopoldina

Maria Inês disse...

Obrigada a todos que nos apoio neste momento tão difícil. A única forma que tenho de retribuir é trabalhar com muito mais força quando estiver recebendo o Piso que vocês ajudaram a conquistar.
Abrção,
Maria Inês - Divino

jodson disse...

É ESTRANHO COMO ESSE GOVERNADOR É TIRANO E INCAPAZ DE VALORIZAR NOSSA CLASSE. ME DA NÁUSEAS VER COMO PODE UMA PESSOA MALTRATAR SEUS FNCIONÁRIOS ASSIM. VERGOMNHA PARA O NOSSO PAÍS INTEIRO UM ESTADO QUE SE DIZ RICO E EM CRSCIMENTO S EPRESTAR A ESSE PAPEL. RESPEITEM OS PROFESSORES. O PISO É LEI E PRECISA SER CUMPRIDO!!!! FORÇA COMPANHEIROS DE LUTA

JANICE disse...

A luta dos professores por um salário digno é em respeito também aos alunos e a sociedade pois, atualmente, a maioria dos estudantes de gradução não fazem opção pela licenciatura e, quando fazem, optam por atuarem no ensino superior, devido ao desafio que é a sala de aula (lotadas) da educação básica, principalmente, das escolas públicas, bem como devido ao salário desmotivador para os jovens profissionais. Falta professor no mercado e, se a sociedade ficar de braços cruzados, a situação irá ficar precária. Em Viçosa-MG, mesmo como uma das melhores universidades do país (UFV), falta, principalmente, professores de Lingua Inglesa, Filosofia e Física. Quando comparecem candidatos às vagas dos editais, não são formados na área ou são estudantes. Que educação queremos para as nossas crianças e jovens??? Acredito e respeito a luta dos nossos queridos mestres....lamento que a única forma de lutar seja através da greve, mas também diante de um Governo (ex-professor universitário)que não cumpre uma lei federal.

Mayk disse...

Olá Beatriz e colegas.

Uma nova pra nós: Minha diretora me ligou hoje dizendo que o governador está dando para os professores do 3º ano do ensino medio uma oportunidade de ministrar aulas na referida serie e permanecer na greve nas outras, na desculpa que está se importando com o ENEM. É mais um momento para dizermos não a um governo que só quer nos atropelar com sua política de desvalorização. Fiquem atentos. Quiça teremos que voltar só para retirar quem entrou em nosso lugar e voltar para a greve.

Abraços

Anônimo disse...

Beatriz, espero que o governo dê o nosso piso , caso contrário não vamos recuar , a hora é agora. Gostaria de pedir que se fosse possível mandar um representante do sindicato na cidade de Barão de Cocais ,os professores aqui não param por pressão de inspetora , diretora ,na minha escola hoje apenas eu e mais um colega aderimos a paralisação os demais foram estão trabalhando .Qual é o nome que damos para isso? Medo ? ou falta de vergonha na cara?

Anônimo disse...

Olá Beatriz,
Professoras(es) de Minas Gerais.
Bom tarde!
16/08/2011.

FORÇA, CORAGEM, PERSISTÊNCIA E DETERMINAÇÃO.

A educação é a única arma que temos para transformar o mundo”.
(Nelson Mandela)


FRASES DE MOTIVAÇÃO:

“ O homem progride, estranhamente, somente perante a um ambiente desafiador”.
(L. Ron Hubbard)

“ O que não provoca minha morte, faz com que eu fique mais forte”.
(Friedrich Nietzsche).

“ A provação vem, não só para testar o nosso valor, mas para aumentá-lo; O carvalho não é apenas testado, mas enrijecido pelas tempestades”.
(Lettie Cowman)

“A adversidade desperta em nós capacidades que, em circunstâncias favoráveis, teriam ficado adormecidas”.
(Horácio)

A NOSSA CAUSA É JUSTA.
NÃO TENHAM MEDO.
COMBATEMOS O BOM COMBATE.
FORÇA, CORAGEM, PERSISTÊNCIA E DETERMINAÇÃO.
A VITÓRIA ESTA SE APROXIMANDO.
FIRMES NA LUTA, COMPANHEIRAS(OS).

César Pedroso disse...

Bia, excelente a forma que você encaminhou a assembleia de hoje...com muita tranquilidade e serenidade...e a greve continua:
...ou paga o piso...ou paga o piso...

P.S. A gordurinha de barganha está sendo muito bem negociada...


Abraços para essa Categoria maravilhosa!!! Que orgulho estou sentindo de ser educador nessas minas gerais...

EDUCADORA disse...

Parabéns aos que apoiam aqueles que lutam para ter no Estado e no País, uma Educação Pública de Qualidade para Todos! Que venham todos juntar-se ao nosso movimento pela valorização, dignidade, respeito e reconhecimento da nossa CARREIRA! GREVE ATÉ O PISO SALARIAL no vencimento básico. Abraços e Força na Luta!

Gracieusa Brito disse...

Bia, parabéns. Cheguei cansada mas gostei de tudo que você falou. Estamos muito bem representadas pois você. Continue forte. Oramos por você. Na próxima pede para levarem das camisas " quem ama educa."

Anônimo disse...

FERNANDA ALVES,
Quem é vc para falar assim de Bia, ele é sim uma educadora e vc quem é??? Uma pelega do governo? Esta com mta dó dos alunos, te dou os meus 150 para vc, divirta- se e seja feliz ganhando R$ 550,00 como vencimento básico...
Boa a greve continua e aqui, não queremos repor aulas, que o governo se vire...

benhur disse...

Beatriz , FORÇA. O governo vai "arregar" certamente , questão de tempo , e prefiro greve o tempo q for preciso , para poder ter um futuro mais tranquilo !!!!! Força , greve , greve , greve , greve !!!!!!!! melhoria no subsidio o caramba ... mostre um cartaz da greve para o governador pq parece q ele não sabe o motivo da greve Q É O PISO.É AGORA ou nunca, FORÇA !!!!!!!!A MOBILIZAÇÃO ESTÁ MUITO GRANDE !!!!!

Anônimo disse...

Para Fernanda Alves: greve jamais dará demissão por justa causa. Pelo contrário, lutamos por uma causa justa. Lastimável também é o nosso salário e a falta de respeito que pessoas como você nutrem pela categoria. Professor merece dignidade em todas as esferas, inclusive no salário. Estamos lutando por um direito nosso, não estamos "brincado" de fazer greve. Muito pelo contrário. Não estamos para brincadeira e o governo, pais e alunos terão que entender. Greve até o Piso. Deveriam era engrossar nosso coro de "fora Anastasia", pois a culpa do caos é absolutamente dele. Não vamos desistir do nosso direito de jeito nenhum. Professor também tem honra e dignidade.

Anônimo disse...

Boa tarde Beatriz e companheiros de luta!
É ridículo a posição do Governo de Minas! A fala da secretária no jornal (que se intitula 'o grande jornal dos mineiros') "Estado de Minas" demonstra total desepero e desrespeito a inteligência alheia. E tome asneira da nossa digníssima secretária:" o sistema de remuneração antigo esta em extinção... devemos investir no subsídio que é mais atraente para o servidor... não há hipótese de aumentarmos os valores da tabela de remuneração antiga..." O que me intriga é: porque o repórter do jormal "Estado de Minas" não faz a simples pergunta que não quer calar: "Por que não pagar o piso proporcional ao do MEC, pela remuneração antiga?" Pronto! Era só isso! Gostaria de ouvir o que a nossa secretária iria responder!!! Parece que o repórter tem medo de perguntar... Cadê a essência do jornalismo investigativo? Cadê a imparcialidade? Parece que o espírito do bom jornalismo, o jornalismo de verdade que escuta ambos os lados, está morto no "Estado de Minas"...
Ao que vejo, esse sistema parece estar em extinção só na área de educação! Tenho dezessete anos de magistério. Com o pagamento do piso proporcional ao do MEC, teria um ganho considerável, fora a perspectiva de melhoria salarial graças aos biênios, quinquênios e etc.
A que grau chegamos na educação: pela tabela, um professor com nível superior, PEB 3 A, receberia R$ 1060,00. Isso é menos que dois SALÁRIOS MÍNIMOS! É triste ver que muitos colegas graduados voltam para a sala de aula contentando-se em ganhar menos que 2 SALÁRIOS MÍNIMOS!
E que fique bem claro a toda a sociedade, NÃO ESTAMOS PEDINDO AUMENTO! Só estamos cobrando o que nos é de direito! Qualquer cidadão, se infringir uma lei, em especial uma lei federal, vai ser julgado e deverá pagar por isso. Pois devemos mostrar a todo país: Minas Gerais descumpre uma lei federal!!!
A luta ainda é grande companheiros!!! Pelas notícias de hoje, alguns partidos que eram oposição debandaram-se para o lado do governo... devemos ficar atentos a todos os deputados e suas atividades na assembleia.
Aquele que votar contra os professores, contra a educação, deve ter o nome marcado na memória de todos e nunca mais ser reeleito!
Prof. Eduardo
B.H.

leonita disse...

Beatriz, estou desesperada sei que não é somente a minha situação, mas estou com muito medo de ser dispensada, pois o governo não cumpre uma lei federal, cortou o nosso pagamento , contratou servidores no meu lugar ou seja nosso lugar e nada acontece com ele, que sempre esta certo então só falta dispensar e ficar por isso mesmo. por favor responde algo para mim pois não volto para a sala mas posso perder o meu emprego e aí como ficará. obrigada

Anônimo disse...

Leonita:

você não pode ficar com medo de ser dispensada. Se você ficar com medo, além de atrair a coisa ruim para você, você ainda ajuda a desmobilizar os companheiros que estão em greve.

Saudações.

Anônimo disse...

Senhora Beatriz Cerqueira por favor não negocie subsídio por melhor que ele possa parecer pois poderá ser bom agora mas no futuro será o fim da carreira dos profissionais da Educaçao, não caia nesta armadilha tucana, negocie somente o piso.

professorandre disse...

Enquanto não pagar o Piso Salarial, que seja o do MEC mas para a nossa carga horario de 24 horas, a GREVE tem que continuar. Só podemos voltar após o nosso objetivo. Parabéns ao Sind-UTe e a Beatriz por estarem com UM OBJETIVO APENAS: DO PISO SALARIAL. Na greve de 2009 o sindicado vinha com umas vinte reivindicações, conseguia negociar duas ou três e propunha para acabar com a greve e o objetivo principal que era o salario não negociava. PARABÉNS a BEATRIZ.

professorandre disse...

Enquanto não pagar o Piso Salarial, que seja o do MEC mas para a nossa carga horario de 24 horas, a GREVE tem que continuar. Só podemos voltar após o nosso objetivo. Parabéns ao Sind-UTe e a Beatriz por estarem com UM OBJETIVO APENAS: DO PISO SALARIAL. Na greve de 2009 o sindicado vinha com umas vinte reivindicações, conseguia negociar duas ou três e propunha para acabar com a greve e o objetivo principal que era o salario não negociava. PARABÉNS a BEATRIZ.

Anônimo disse...

Beatriz, gostaria de saber o que pensa este Governo de Minas. Acho que quando ele tomou posse, jurou a constituição, ou será que a constituição foi comprada no Paraguai? Transformar os quinquênios e adicional trintenário em salário, chamando isso de "subsídio", é uma vergonha. Este governo não governa com responsabilidade esse Estado que é respeitado pelos outros Estados por ser terra de Tiradentes, José de Alencar, Itamar Franco e outros que foram importantes neste país chamado Brasil democrático. Beatriz, parabéns pela sua luta. É de pessoas como você de que nosso querido Estado das Minas Gerais precisa. J.L.Carvalho

Anônimo disse...

BEATRIZ, TENHO VERGONHA DE SER MINEIRA NUMA HORA DESSA... ISSO É UMA VERGONHA,QUE GOVERNANTE É ESSE? UM DITADOR, LUNÁTICO...ESTAMOS EM GREVE ATÉ O FIM, POIS A LUTA CONTINUA COMPANHEIROS!!!!!!!

Anônimo disse...

A decisão do STF, tão aguardada por milhões de trabalhadores em educação, torna incontestável qualquer opinião que desafie a constitucionalidade e a aplicação imediata da lei.
É bom também contar para a sociedade que o Estado pode pedir ao MEC uma verba complementar para estender o piso nacional à todos os professores. Paraconseguir o dinheiro, é preciso comprovar que aplica 25% da arrecadação em educação, como prevê a CF, e que o pagamento do piso desequilibra as contas públicas. O MEC tem R$ 1 bilhão disponíveis para este fim, mas, desde que a lei foi criada, nenhuma das prefeituras que solicitaram a complementação de recursos cumpriu as exigências necessárias para receber o dinheiro.
Rodrigo Luiz Sousa - Diretor SINDUTE Padre Eustáquio.

Marcela (estudante) disse...

É muito ruim quando vou para a escola e vejo meus professores até desanimados em ir lá dar sua aula pelo fato de não receber aquilo que eles têm direito!!! Mesmo eu sabendo que posso até correr o risco de perder o ano, eu fico ao lado daqueles que me ajudam no meu conhecimento e aprendizagem, pois eu sei que o "governador" desvaloriza essa profissão, e a maioria da população também, por pura ignorância deixa o governo colocar rédeas na opinião deles tentando persuadi-los e colocar uma imagem ruim dos professores!! Esse será um dos temas do meu vlog!!! Se vamos perder um ano (não se sabe), é horrivel, mas é melhor do que todos os alunos passar o resto dos anos escolar com uma educação sem qualidade!!!
UM GRANDE ABRAÇO A TODOS OS PROFESSORES E FORÇA NESSA LUTA!!!

Anônimo disse...

Parabéns Beatriz pela mulher guerreira que vc é...
Estamos todos com vc, que Deus te ilumine sempre.

MENINA MORENA disse...

Sou mãe de aluno da rede pública e vejo que é gratificante perceber que a greve está se tornando sólida a cada dia. Precisamos de professores solidários para difundirem o movimento nas cidades do interior. A greve é justa e necessária.A educação precisa melhorar e essa melhoria se inicia com a vaçorização do profissional. Vocês não estão reivindicando nada mais do que o DIREITO de uma remuneração dígna! Força!
Podem ter certeza que a maioria dos pais estão com vocês!

Anônimo disse...

O comportamento do governo é marca registrada do partido dele, o PSDB, acostumados ao arrocho salarial histórico aos trabalhadores em geral. Acho que devemos pegar mais pesado contra o comportamento desse partido que é especialista em corroer o salário dos trabalhadores em geral. Vamos atacar o PSDB. Anônimo...