segunda-feira, 10 de outubro de 2011

2ª Reunião da Comissão Tripartite

2ª Reunião da Comissão Tripartite – 10/10/11
Cidade Administrativa, Gabinete do Secretário de Governo
Presentes:
Governo do Estado: Danilo de Castro, Secretário de Estado do Governo; Renata Vilena, Secretária de Estado de Planejamento e Gestão; Ana Lúcia Gazola, Secretária de Estado da Educação; Flavio Henrique, Secretário Adjunto da Casa Civil.

Deputados Estaduais: Adalclever, Antônio Júlio, João Leite, Sebastião Costa, Rogério Correia, Pompilio, Duarte Bechir.

Sind-UTE MG (Comissão de Negociação): Beatriz Cerqueira, Lecioni Pereira Pinto, Marilda Abreu, Feliciana Saldanha.

Foram discutidos dois pontos:
- Pagamento/questões funcionais;
- Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN)
1) Pagamento do salário/questões funcionais

O sindicato insistiu na necessidade de manutenção dos salários dos meses de agosto (recebido em outubro) e setembro (recebido em novembro) além das questões funcionais como o retorno das publicações de férias-prêmio.
Sobre a publicação de férias-prêmio (suspensas a partir de setembro/11) o sindicato trouxe à memória a realidade deste direito da categoria. Nos últimos anos, embora o direito tenha sido adquirido pelo servidor, ele foi impedido de usufruí-lo gerando um grande passivo. Em 2010, a conquista da mudança do percentual de 10% para 20% foi para tentar reparar este passivo.
O Governo argumentou que precisa respeitar uma base legal para concessão deste direito, que é necessário realizar a reposição e que a Administração Pública tem a conveniência e oportunidade para publicar as férias prêmio.
O sindicato argumentou que a concessão das férias prêmio é um ato em que a Administração Pública deve observar o que está descrito na Lei. Na legislação em vigor não existe o critério que exclui os servidores que fizeram a greve de ter este direito respeitado. Portanto respeitar a legislação em vigor é suspender a proibição das publicações dos pedidos de férias prêmio. A manutenção dos substitutos (conforme política defendida pela Secretaria de Estado da Educação) supriria o problema de reposição, argumentado pelo Governo. Além disso, a forma como a Secretaria determinou unilateralmente a reposição através de uma recomposição de calendário contradiz o argumento de ser necessário aguardar a reposição uma vez que não haveria uma correlação de dias a serem repostos.
Ainda, solicitamos o desligamento imediato dos substitutos contratados durante a greve. A Secretaria de Estado da Educação afirmou que eles continuarão. Apresentamos a denúncia de um rapaz de 18 anos contratado para trabalhar com o Ensino Médio numa escola estadual de Belo Horizonte. Discutimos a ausência de debate pedagógico uma vez que a realidade das escolas estaduais é de que os substitutos, em sua maioria, não estão cumprindo a jornada de trabalho, não há nenhum planejamento pedagógico para reforço no processo de aprendizagem dos alunos. Ainda discutimos que a reposição precisa ser pactuada com quem fez a greve e isso não ocorreu. Houve a imposição de regras que não foram discutidas com ninguém. Não é possível a Secretaria de Educação impor a renúncia das férias coletivas de janeiro como tem feito.

Na questão do pagamento dos meses de agosto e setembro, o Governo argumentou que não poderia pagar duas vezes pela mesma situação uma vez que pagará o substituto pelas aulas. Argumentou também que obteve autorização da justiça para contratação e a greve foi declarada ilegal. Por isso, para manter o pagamento de setembro, haveria um problema operacional. Quanto a legalidade da greve apresentamos a decisão do Desembargador comprovando que não houve declaração de ilegalidade, a greve de 2011 é legal. Além disso, com a decisão de manter os substitutos, o Governo efetua dois pagamentos para uma só função. A decisão da justiça foi de autorização para contratação uma vez que o Estado não ajuizou nenhuma ação com este pedido. Existe um Mandado de Segurança impetrado pelo sindicato pedindo a proibição destas contratações e não há decisão definitiva sobre isso. Argumentamos então a manutenção dos pagamentos de junho e julho. A princípio se posicionaram contra o pagamento antecipado, mas os encaminhamentos foram os seguintes:
- no que se refere à suspensão da publicação de férias prêmio, a Secretaria de Educação fará um levantamento de todos pedidos requeridos e não publicados, para, até 201/10 apresentar ao sindicato e resolver esta questão.
- No que se refere ao pagamento, os deputados estaduais apresentaram a proposta do governo antecipar o pagamento integral do 13º salário para pagamento em outubro e realizar o pagamento antecipado dos meses de junho e julho. Quanto ao 13º a resposta da operacionalidade deste pagamento será dada no dia 17/10. Quanto ao pagamento dos meses de junho e julho, o Governo fará uma consulta ao Tribunal de Contas e discutiremos na próxima semana.

2) Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN)

O governo apresentou três princípios para iniciar a discussão das tabelas do Piso Salarial:

a) o universo das carreiras atingidas pelo Piso Salarial

O sindicato apresentou que as 8 carreiras da educação devem ser contempladas pelo Piso Salarial uma vez que exercem a função de docência ou de suporte pedagógico à docência. Apresentamos o conceito de unidade escolar descrito na Lei Estadual 15.293/04 (para definir quem de suporte pedagógico teria direito ao PSPN) e apresentamos a descrição das funções da carreira também prevista na Lei Estadual 15.293/04.
A Secretaria de Estado da Educação discorda da reivindicação argumentando que somente professores e especialistas teriam direito ao Piso Salarial.
Continuamos argumentando uma vez que o que define as funções é a legislação estadual. Foi proposto um encaminhamento dos deputados de continuarmos este debate para definição na próxima reunião da Comissão onde sindicato e governo voltarão ao debate para definir este ponto.

b) o Valor do Piso do MEC

Quanto ao valor do PSPN apurado pelo Ministério da Educação, lembramos que durante as reuniões com o Ministério Público, o sindicato já havia se disponibilizado a discutir este valor. Mas reivindicamos que, uma vez que os impactos financeiros do Piso serão a partir de 2012, o valor não será mais R$1.187,00 e, para a negociação, deve ser considerado o reajuste anual projetado em 16%. Houve concordância de toda a comissão que o reajuste será considerado.

c) a aplicação da proporcionalidade

Também durante as reuniões com o Ministério Público já havíamos informado da disponibilidade do sindicato em discutir o Piso com sua aplicação proporcional.

Próxima reunião: 17/10, 15 horas, Cidade Administrativa.
Novamente o sindicato registrou a necessidade de agendamento de mais de uma reunião por semana.

Quanto à situação do designado, a Secretaria havia informado que não colocará obstáculo para que o servidor que participou da greve concorra à nova designação ainda este ano. Por isso, caso algum servidor seja impedido de concorrer à nova designação, deverá informar ao Departamento Jurídico do Sind-UTE MG através da nossa advogada Dâmaras.

Observações:
a) a manifestação de opinião da categoria diretamente aos deputados estaduais através de e-mails, telefonemas, procura nos escritórios regionais está ajudando.
b) tentei ser fiel no relato da reunião. Um ou outro argumento utilizado pelo sindicato pode não ter sido registrado aqui, mas o conteúdo e encaminhamentos estão aqui.

94 comentários:

luciana disse...

Beatriz,Parabéns pela postura firme e pela serenidade,vc é um exemplo de luta.Estou muito confiante mas ansiosa porque não poderei repor os dias parados, fui lotada a partir de agosto em uma escola que vergonhosamente não aderiu ao movimento? Terei implicações em minha vida funcional? BJS!!!

Luciana-Montes Claros disse...

SOS Beatriz! A comissão tripartite irá discutir as questões funcionais relativas a resolução, sei lá!que impede as reposições dos dias parados, para professores que fizeram greve mas, foram lotados em uma escola de destino que não participou do movimento?Como devo proceder?Aguardo orientações.
BJS!!

Anônimo disse...

Beatriz, gostaria de saber se você sabe alguma coisa do 14º salário, se ele sai em novembro, até dia 20 de outubro ou não sairá.

Anônimo disse...

Bia, onde está o nosso prêmio por produtividade? O tal 14º, porque não se toca nesse assunto; estamos todos zerados.

Anônimo disse...

Vamos ficar sem salários até quando?
precisamos de agilidade neste processo....

Anônimo disse...

Olá beatriz
Não queremos adiantamento de 13° salário e sim nosso salário!

Por favor, o sindicato precisa cobrar mais o governo!


abraço

Anônimo disse...

Oi Beatriz,
sei que minha opinião contrariará muitos....
Não discordo do governo em querer pagar o piso somente para professores e especialistas. Até porque quem fez a greve foram os professores, poucos foram os ATB`s e ASB"s que aderiram ao movimento. Essa é, pelo menos, a realidade da minha escola. Uma funcionária da escola chegou até mesmo a perguntar a colega que trabalha na biblioteca(professora em desvio de função): "por que vc está fazendo greve, se não é professora?" Acredito, inclusive, que o sindicato desses funcionários deveria ser separado do de professores. Na Prefeitura isso é assim. São categorias diferentes, portanto deveriam ter sindicatos diferentes. Até para uma conquista salarial seria melhor para ambos.

Anônimo disse...

Os professores "genéricos" na minha escola estão substituindo os professores de verdade durante a reposição nessa semana. Ontem, à noite, no quarto horário, um aluno me disse que eu era a primeira professora a dar aula, pois os genéricos estavam só no bate-papo. Passei em frente a outra sala e realmente constatei. Um outro genérico estava sentado na mesa dos professores no maior bate-papo. É de dar náuseas!!!

Vânia Cruz disse...

Beatriz e toda sua equipe.
Parabéns pelo trabalho de vocês. Estamos torcendo para que as pessoas que participam da Comissão Tripartite cheguem num acordo logo e que, logicamente, esse acordo atinja, se não todas, pelo menos a maioria de nossas reivindicações. Principalmente a do Piso salarial.

Márcia disse...

Beatriz... o governo não pagou ainda o Premio por Produtividade, que foi instituído pela Lei 17600 de 1 de julho de 2008.Este Bonus ajudaria aos professores que tiveram seus salários suspensos pela greve. O SIND UTE não tem discutido este assunto com o governo do Estado. Precisamos cobrar este benefício, afinal é lei, e a maioria dos professores conta com o salário extra.

Anônimo disse...

E a posse dos novos diretores? Já tem data, Beatriz? Por que a demora?

Anônimo disse...

JA QUE ESTAMOS EM NEGOCIAÇAO QUE TAL LEMBRAR DO PREMIO POR PRODUTIVIDADE QUE AINDA NAO FOI PAGO E É DIREITO.

Anônimo disse...

JA QUE ESTAMOS EM NEGOCIAÇAO QUE TAL LEMBRAR DO PREMIO POR PRODUTIVIDADE QUE AINDA NAO FOI PAGO E É DIREITO.

LEIA: Liberta Minas NDG disse...

NDG de vigília nas negociações

NDG de Plantão

Atenção !!! ATENÇÃO !!!

NDG DE PLANTÃO
TWITTASSOOO

Fwd: sugestão para twittasso


Vamos fazer o twitasso a partir de sexta-feira para os DEPUTADOS membros da TRIPARTITE:

Deputados Estaduais:
http://www.almg.gov.br/deputados/conheca_deputados/index.html (PARA MAIORES INFORMAÇÕES)

Rosangela de Aguiar disse...

Como vai, Beatriz!

Gostaria de saber qual a data do pagamento do nosso premio por produtividade.


Voce tem esta informação com objetividade?


Abralo.

Anônimo disse...

Só uma dúvida, nas escolas que aderiram a greve, todos segmentos de profissionais participaram da mesma, porque o que acontece na minha escola é que somente professores participam do movimento, alguns auxiliares de serviços gerais demonstram interesse, mas nunca aderem, e os auxiliares da Secretaria, esses ainda ficam é fazendo força contra o movimento. Essa realidade é da escola em que trabalho, eu gostaria de saber se nas outras escolas também é assim, porque se for, pra que o sindicato ficar lutando pela melhoria do salário desses segmentos?

conceição Penna disse...

Este governo está nos embromando ... estamos cumprindo o acordo- voltamos e estamos pagando a greve mas nada avançou. Os professores substitutos é a maior vergonha já vista na educação- ficam na sala dos professores simplesmente sem fazer nada apenas cumprindo horário. Lembrando ao governo que estes "profissionais" foram contratados apenas para o 3 ano e se não pagar meu salário não tenho nem como ir trabalhar já que estou sem salário há dois meses .E a nossa produtividade que está relacinada com o ano passado e não vai ser paga -greve 2011???? Isso está me cheirando a calote .... nunca me senti tão desrespeitada e tenho 27 anos de trabalho
Força Beatriz estamos com voce até o fim .

Anônimo disse...

Beatriz, como fica o pagamento da produtividade referente ao ano 2010, que erroneamente alguns chamam de 14º salário, porque não foi pago?

Anônimo disse...

BEATRIZ,
GRAÇAS A DEUS QUE VOCÊ É FORTE E GUERREIRA.
NOSSO DESTINO, COMO PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO, ESTÁ MUITO BEM ADMINISTRADO POR ESTE COMANDO DE GREVE SOB SUA COORDENAÇÃO.
OS CRETINOS DO PODER ESTÃO TENDO QUE NOS ENGOLIR.
JÁ NÃO AGUENTÁVAMOS MAIS TANTO DESCASO.
PELA PRIMEIRA VEZ EM MUITOS ANOS, TEMOS CERTEZA DA VITÓRIA.
NOSSA SENHORA PASSE ADIANTE E O DIVINO ESPÍRITO SANTO CONTINUE ILUMINANDO A TODOS VOCÊS.
ATÉ BREVE, NA COMEMORAÇÃO DE NOSSA CONQUISTA HISTÓRICA.

Anônimo disse...

Não podemos ser individualistas e muito menos egoístas. Mas se caso o governo não quiser de forma alguma pagar o piso para todas as carreiras da educação, ou seja, pagar apenas para professores e especialistas, deveríamos aceitar. Não podemos correr o risco de perder todo nosso esforço de 112 dias de luta por causa disso. Além do mais uma vez que o piso estiver sendo pago a professores e especialistas não demorará muito para ser estendido para outras carreiras. Será apenas uma questão de tempo, e dedicação de nossa parte. Temos que ser pacientes em relação a isso, pois melhor será o piso sendo pago a professores e especialistas (e com chance futuramente de ser estendido para outras carreiras) do que ninguém receber nada! Que Deus possa nos dar juízo e maturidade nestas negociações, que Deus te ilumine e te guarde, AMIGA Beatriz!

Anônimo disse...

Não podemos nos esquecer do um terço de carga horária extra-classe que é essencial para o bom andamento das atividades do professor. Principalmente em tempos de projetos que devem ser feitos e temas transversais que temos que trabalhar, tudo isso de forma paralela aos conteúdos do CBC que somos obrigados a ministrar na íntegra durante o ano além de preparar os alunos para as avaliações externas. Isso justifica a importância deste tempo extra-classe que se torna dentro da atual conjectura primordial. Não será possível o governo dizer que cumpre a lei do piso se ao mesmo tempo não oferecer ao professor este tempo extra-classe. Estamos lecionando para um cargo de 24 horas semanais 18 horas aula em sala de aula e pela lei do piso deveria ser apenas 16 horas aula. Espero que haja esta "consciência" por parte do governo.

Pensamentos e outras letras disse...

Bia, e o 14º salario...nada....
abraço, Pedro

Pensamentos e outras letras disse...

Bia,
e o premio por produtividade até agora nada????
abraço
Pedro

Anônimo disse...

Parabéns Beatriz...continue a luta...estamos atentos e prontos para o que der e vier!

Anônimo disse...

Não estou entendo qual a vantagem para nós. Ao fim de tudo, sem férias, feriados, pagando 112 dias e continuamos sem salário da mesma forma que na greve de 2010. E o prêmio produtividae onde está? Não será pago este ano? O Sindicato já perguntou? Tudo como o governo quer e decide né? Aqui ficará sem resposta como sempre.

educapontocom disse...

BEATRIZ URGENTEE!!!!

O reajuste do piso pelo MEC não segue o índice do custo aluno Fundeb. É outra variável e a previsão é de 22% de reajuste. Busque mais informações. Não podemos negociar 16% de reajuste, mas o valor que o MEC indicar, pois o que saiu na imprensa é apenas estimativa.

Anízio Bragança Júnior, Uberaba

Anônimo disse...

E a questão do prêmio de produtividade, como fica?

Anônimo disse...

Beatriz,
Que o Divino Pai Eterno te dê toda força para enfrentar este cretino que só fez destruir sonhos.
Eu, e muitas jovens ex- diretoras, somos vítimas da intrasigência deste estado que não tem compromisso com o pedagógico e a inovação.
Quanta petulancia manter os substitutos de ningém e negar salário a um educador, dentre tantas outras contradições.
Seja uma pesssoa de luz.Continue com toda sabedoria e a lei do amor como ciência.
Diante de um afastamento por invalidez,devido a uma grave doença. Hoje, só resta-me resar. Agradeço por ter a oportunidade de desabafar, no seu blog.
Fique com Deus, sempre.

Professores Espinosa disse...

Bia,
Até quando este governo vai ficar mandando suas meninas de recado pra negociar. Por que ele não mostra a cara? Está com medo. Se a ultima palavra é dele, quem tem que negociar direto com o SINDUTE é ele!
Desse forma as coisas não andam, nem se resolve. Tudo que acontece tem que ser enviado pelas meninas de recado. Ele deverá aparecer pra discutir todos os critérios a serem aplicados.
Abraços

Anônimo disse...

Beatriz, por favor me responde: quando iremos receber alguma coisa em relação a salário(13º ou 14º)?
Estou angustiado demais, me dê notícias. Obrigado.

ORGULHOSA DE SER PROFESSORA,MAS NAO ORGULHA O GOVERNO QUE TEM. disse...

Ei companheiros(as), o dia 15 de outubro é só nosso, só nós que somos dignos de ser chamados de PROFESSOR.Pode ser chamado de PROFESSOR quem ficou 112 dias lutando por seus direitos, é quem sabe o verdadeiro sentido do que é CIDADANIA, é quem sensibilizou ao ver nossos GUEREIROS ABDON E MARILDA fazerem greve de fome em prol da educaçao,é quem nao se curvou diante as ameaças deste governozinho,é quem nao teve medo e quebrou todas as algemas pela sua dignidade.....
PRA SOBREVIVER!! PRA SOBREVIVER!!
PROFESSOR é aquele que toda semana estava lá praça da assembleia gritando:FORA ANASTASIA!! FORA ANASTASIA! FORA DITADOR! FORA DITADOR! PROFESSOR é aquele que decidiu e vestiu a camisa do QUEM LUTA, EDUCA toda semana, durante estes 112 dias de massacre,tortura psicológica,de humilhaçao, repressao...mas que apesar de tudo,RESISTIU E RESISTE!! Um grande abraço no dia 15 de outubro pra todos nós que realmente somos PROFESSORES E PERSONAGENS desta HISTÓRIA ÚNICA que JAMAIS se fragmentou,MAS UNIU, PARTILHOU...
Bia, quero ver como vc ou nossos companheiros vao definir: PROFESSOR É........

Marlene professora revoltada disse...

Espero que poste

O movimento dos educadores - para onde vai?

Após 112 dias de greve com suspensão cabe aqui avaliações.

1-Avaliar as avaliações do Sind-UTE, ou de seus representantes legais .

O Comando geral de greve considerou a greve positiva. Aí eu pergunto: em que sentido?

Positiva é quando se alcança o que se pretende. Onde os acordos são concluídos em definitivo. Até o presente momento não houve acordo nem quanto ao dias parados, as reposições, os pagamentos zerados. Ou seja, as coisas mais simples de se negociar numa greve não foram contemplados. Claro, não podemos esquecer que aqui "democracia" só figura no dicionário ou na Magna Carta. A democracia só existe no Brasil na base da fachada. Mas , independente disto, não podemos fazer o mesmo discurso: do faz de conta, que tá tudo bem, que vai dar certo, que tá andando. Não está.

os professores permanecem em grande e grave crise.
Os educadores reclamam o prêmio de produtividade. O governo obviamente mente, dizendo que não tem receita
Reuniões são agendados, mas o aluguel não espera, as contas de água, luz, telefone, o dinheiro para o ônibus... Há uma impotência nos rondando. Isto não é bom.
Ao fazer o retorno antecipado, os professores temerosos, não garantiram absolutamente nada, pelo contrário, todos foram penalizados, inclusive os que retornaram.
Quanto aos diretores: Muitos resolveram fazer o joguinho do Estado: de instaurar o terror entre os seus pares e somos sempre ameaçados( claro que nem todos diretores participam destas maldades) mas inclusive já há ameaças de que com 5 faltas anuais já estaremos sofrendo processo administrativo e isto, segundo estas, a mando de Anastasia, que já mandou fazer levantamento de faltas não justificadass desde o ano de 2010
Tem mais uma rodada de negociações, é importante arrancar as coisas mínimas, porque em tese, não há como Anastasia escapar do Piso Salarial para o próximo ano.
Outro ponto abordado na reunião: O governo se negou a demitir os professores designados e portanto, não pode nos pagar( porque se é "pobre" não tem como pagar dois funcionários para mesma função).
Não receberemos nada este ano, porque ele vai pagar os designados para ficar lá à toa. Não seria então o caso dele nos anistiar no tempo de serviço e nos colocar em férias coletivas. Pagando é claro, o que nos deve: Prêmio de produtividade, 13º salário, recomposição dos salários reduzidos quando do nosso retorno para o antigo sistema remuneratório, visto que pela Lei isto não existe. Enfim, ele estaria nos devendo várias coisas confiscadas nestes últimos meses, inclusive o Piso, para todos que optaram pela antiga carreira, já este ano.

Portanto, temos direito de forma retroativa, dentro do salários confiscados e atrasados: a recomposição dos salários reduzidos de forma ilegal e o Piso, que seja, o de 712,00, retroativo ao período da publicação do acordão.

O que não pode permanecer é este estado de caos, enrolação e deterioração da saúde dos educadores, que atualmente estão sem rumo, desorientados, pressionados, no hospício que se tornou as escolas de Minas Gerais.
Portanto, companheiros, no meu entendimento e na minha avaliação, conquistamos até agora só aborrecimentos e muito sofrimento. Se permanecer como está até a próxima reuinião, é dever do Sindicato decretar estado de emergência e calamidade em Minas, porque os professores estarão terrivelmente prejudicados e sem condições de sobrevivência. Recorrer aos orgão nacionais e internacionais( de apoio e proteção em casos de calamidades públicas) porque é isto que está ocorrendo em Minas, no sentido de mitigar o sofrimento daqueles que estão sem alimento, sem condições de locomover para o local de trabalho, sem condições de pagar aluguel e escola de seus filhos e pior de tudo, trabalhando de graça.


MARLENE LOPES

Anônimo disse...

13º ??? Esse já nem tenho mais pois ele fica disponível desde fevereiro no Banco do Brasil e eu já saquei há muito tempo... E os colegas ATB'S e ASB'S não podem ficar fora do piso, pois, a Lei fala claramente que todos que dão suporte a educação tem direito ao piso.

Carmem.

Anônimo disse...

Beatriz,
Se deus quiser, depois que culminarmos com nossa vitória nesta luta que foi travada contra a ditadura, gostaria de propôr ao sindicato, observar a situação de inúmeros educadores que assim como eu, estão refém dos consignados.
O BMG, encontrou uma forma de burlar a lei e com o cartão de crédito, descontam além dos 30% mais 10%, mensalmente de nosso salário.
O pior é que a dívida nunca será paga.O que eles descontam , refere-se apenas ao pagamento mínimo e todo mês vem a boleta do principal, acrescida de juros.
Agora, já colocaram meu nome no SPC.
Socorro.... Socorro...socorro......

Nininha disse...

E o prêmio por produtividade?Ninguém vai pedir pelo menos explicações para o governo?Ou vamos cruzar os braços e engolir mais essa???????????

Nininha disse...

E o prêmio por produtividade?Ninguém vai pedir pelo menos explicações para o governo?Ou vamos cruzar os braços e engolir mais essa???????????

Anônimo disse...

EM minha escola alguns colegas e eu não repusemos aulas ,conforme instrução do sindute...as ameaças estão cada vez maiores.Espero que o sindicato não nos abandone à prórpia sorte na maõs desse insano ditador...Aqui no interior já estão bloqueando utilização do ipsemg...coloque isso tambémna pauta de negociação do dia 17/10

Westerley disse...

Olá, Beatriz!
Descansou um pouco?

1)Tenho acompanhado os pronunciamentos no Senado, Câmara federal e audiências públicas nestas duas casas. A nossa situação aqui em MG está na pauta do dia, com avaliações bem fidedignas por parte dos parlamentares. Parece-me que estes estão abertos a discutir o assunto no Congresso inclusive com a participação da liderança dos professores de MG. Entendo que isso pode ser um importante aporte político a ser aproveitado. Sugiro ao sindicato marcar audiências públicas no Congresso Nacional com Senadores e outra na Câmara Federal e nas comissões parlamentares com aqueles que sempre estão abordando o tema do piso, da greve etc. Acho que você será facilmente recebida!

Obs: Além de ser uma forma de pressionar as negociações por aqui, leva a questão para o nível da política nacional.

2) Na próxima semana será criada oficialmente na Câmara dos Deputados uma “Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Professores”, a principal atribuição desta frente será a visita e levantamento em todos os Estados sobre a questão do pagamento do Piso salarial e das condições dos professores.

O Presidente desta comissão será o Dep. Wilson Filho . (PMDB/PB). Que solicitou contatos dos líderes dos professores.

Gabinete 534 Anexo 4
Fone 3215-5534
Fax 3215-2534
dep.wilsonfilho@camara.gov.br

Juliano disse...

Beatriz,
Boa noite.
Sou formado em História e irei fazer o concurso previsto para o inicio do próximo ano. No entanto um item do edital do concurso, que saiu no momento em que a categoria estava em greve, me deixa preocupado, ele inclui como política remuneratória o subsídio, tão criticado, e justamente, durante a greve. Gostaria de saber se há, ou haverá, alguma modificação no edital, ou se vocês d sindicato estão pretendendo debater este assunto na comissão tripartite. A meu ver, posso estar errado, a manutenção deste item do edital seria uma derrota a posteriori para o movimento grevista.

Juliano disse...

Beatriz,
Boa noite!
Gostaria de saber se o sindicato está negociando com o governo a revisão do edital do próximo concurso para a educação, edital este que foi uma clara afronta ao movimento grevista e que impõe o subsidio como política remuneratória. Há alguma corrente de negociação sobre este concurso?

Juliano disse...

Boa noite Beatriz!
Gostaria de saber informações sobre o edital do concurso, que aliás já será realizado no início do próximo ano, e que, a meu ver, foi uma afronta ao movimento dos professores. Ele será revisto, ou ficará do jeito que está?

Rosângela-Campos gerais disse...

Bia,
quando o governo diz que não paga os meses de agosto e setembro porque pagaria duas vezes por causa da contratação dos substitutos, o que ele quis dizer???que não é pra gente substituir por que os "dublês" farão isso????

Anônimo disse...

Milhares de professores efetivos/efetivados atuam hoje em dia com cargo reduzido, por exemplo, 12, 15 aulas etc. Inclusive este é o meu caso e sou professor efetivo há 12 anos e devido a uma remoção com redução de carga horária hoje leciono numa escola com cargo de apenas 14 aulas semanais. Segundo funcionários da SRE só posso completar o meu cargo com as 18 aulas semanais na mesma escola em que leciono. Porém no mesmo município há escolas com poucas aulas sobrando, por exemplo 6, 8, etc. Conversei na SRE para pegar estas poucas aulas em uma destas escolas e me disseram que só posso completar o meu cargo na mesma escola em que leciono. É impressinante isso pois enquanto o estado contrata novos professores para ministrar estas poucas aulas que sobram nas escolas de todo o estado milhares de professores efetivos/efetivados ficam com seu cargo reduzido. O estado deveria publicar uma resolução permitindo que os seus professores possam completar seus cargos em outras escolas do mesmo município. Isso seria bom para todos pois o professor completa sua carga horária enquanto o estado economiza na contratação de novos professores, ou seja todos saem ganhando. Adoraria que você, Beatriz, olhasse essa questão com a secretária agindo assim você ajudaria milhares de professores que estão hoje com sua carga horária reduzida. Acho que a secretária vai até gostar dessa sugestão pois vai ajudar o governo a economizar pois vai contratar menos professores, e pelo que vimos no andamento da greve o que eles mais querem hoje em dia é economizar, por isso talvez permitam que possamos completar nosso cargo em outra escola. Na certeza de sua consideração e empenho nesta questão deixo desde já meus sinceros agradecimentos.
Me chamo Luciano e leciono em Ponte Nova que pertence a SRE de Ponte Nova.

Sheila disse...

Caros colegas, me sinto cada vez mais indignada e desanimada com os demandos do nosso dignissimo desgovernador. Sinto uma tristeza enorme a cada dia que passa e uma vontade imensa de abandonar essa profissão tão desvalorizada e humilhada pelos governantes e outros, e principalmente o judiciário que nada faz a nosso favor. Tenho 21 anos de magistério e de muita dedicação, esperei mais de dez anos para ter um pequeno aumento, quanto aconteceu foi tão pequeno que nem deu pra cobrir os aumentos da inflação decorrente destes anos. Agora como fiz opção pelo vencimento básico tive que amargar também com a perda dessse pequeno aumento esperado por mais de dez anos, é pra morrer de desgosto não é mesmo? Não pedi pra ir pro subsídio, me colocaram, me deram a opção para retornar,retornei, daí é justo perdeu esse pequeno e esperado aumento de mais de dez anos?É repugnante, o que falta mais pra acontecer?

Laece Falete, educadora em Coronel Murta, Vale do Jequitinhonha disse...

BIA, CADÊ VC???
POR FAVOR, APAREÇA..O QUE TÁ ACONTECENDO NOSSA GRANDE COMPANHEIRA.
15 DE OUTUBRO DE 2011 - PARABÉNS A TODOS NÓS PROFESSORES, PORQUE APESAR DA INÉRCIA DO GOVERNO DE MINAS COM A NOSSA CATEGORIA, AINDA ACREDITAMOS QUE AMANHÃ SERÁ ,COM CERTEZA VAI SER OUTRO DIA.....CADA VEZ MELHOR!!!!
GOVERNADOR, "AINDA PAGAMOS PRA VER O JARDIM FLORESCER QUAL VOCÊ NAO QUERIA"!
VOCÊ VAI SE DAR MAL, ETC...E TAL...LA LAIA LA LA IAÁ...
GRANDE GUERREIRA, , ASSISTA ESTE LINDO VÍDEO. É PURAMENTE EM NOSSA HOMENAGEM. BEIJOS CARINHOSOS
VEJA O LINK
http://www.youtube.com/watch?v=T3yH4HokCuw&feature=fvsr

ORGULHOSA DE SER PROFESSORA,MAS NAO ORGULHA O GOVERNO QUE TEM. disse...

Ei companheiros(as), o dia 15 de outubro é só nosso, só nós que somos dignos de ser chamados de PROFESSOR.Pode ser chamado de PROFESSOR quem ficou 112 dias lutando por seus direitos, é quem sabe o verdadeiro sentido do que é CIDADANIA, é quem sensibilizou ao ver nossos GUERREIROS ABDON E MARILDA fazerem greve de fome em prol da educaçao,é quem nao se curvou diante as ameaças deste governozinho,é quem nao teve medo e quebrou todas as algemas pela sua dignidade.....
PRA SOBREVIVER!! PRA SOBREVIVER!!
PROFESSOR é aquele que toda semana estava lá pra ça da assembleia gritando:FORA ANASTASIA!! FORA ANASTASIA! FORA DITADOR! FORA DITADOR! PROFESSOR é aquele que decidiu e vestiu a camisa do QUEM LUTA, EDUCA toda semana, durante estes 112 dias de massacre,torturas psicológicas,de humilhaçao, repressao...mas que apesar de tudo,RESISTIU E RESISTE!! Um grande abraço neste dia 15 de outubro pra todos nós que realmente somos PROFESSORES E PERSONAGENS desta HISTÓRIA ÚNICA que JAMAIS se fragmentou,MAS UNIU, PARTILHOU...PARABÉNS PRA TODOS NÓS!!!!!ESPERAMOS QUE AUMENTE CADA VEZ MAIS ESTE PERFIL (acima relatado) DE PROFESSOR!

Beatriz Amigo Poncio disse...

AO MESTRE COM CARINHO. ESSA EQUIPE É VENCEDORA.

Jamais desista de seus sonhos
Ontem lutamos,
Ganhamos
Ou quem
Sabe perdemos, não importa.
PROFESSORES
Amigos dessa
Nação verde e
Amarela, fazendo a diferença
Mudando e transformando a
EDUCAÇÃO
Realizando sonhos
Inspirando nossos alunos, fazendo-os
Capazes de pensar, transformar o mundo
A todos os professores parabéns
Nossa luta continua, com vitória ou não, mas na certeza de que
O estado mineiro e o mundo dependem de nós.
Sou professor com orgulho !

Westerley disse...

Olá, Beatriz!
Descansou um pouco?

1) Tenho acompanhado os pronunciamentos no Senado, Câmara federal e audiências públicas nestas duas casas. A nossa situação aqui em MG está na pauta do dia, com avaliações bem fidedignas por parte dos parlamentares. Parece-me que estes estão abertos a discutir o assunto no Congresso inclusive com a participação da liderança dos professores de MG. Entendo que isso pode ser um importante aporte político a ser aproveitado. Sugiro ao sindicato marcar audiências públicas no Congresso Nacional com Senadores e outra na Câmara Federal e nas comissões parlamentares com aqueles que sempre estão abordando o tema do piso, da greve etc. Acho que você será facilmente recebida!

Obs: Além de ser uma forma de pressionar as negociações por aqui, leva a questão para o nível da política nacional.

2) Na próxima semana será criada oficialmente na Câmara dos Deputados uma “Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Professores”, a principal atribuição desta frente será a visita e levantamento em todos os Estados sobre a questão do pagamento do Piso salarial e das condições dos professores.

O Presidente desta comissão será o Dep. Wilson Filho . (PMDB/PB). Que solicitou contatos dos líderes dos professores.

Gabinete 534 Anexo 4
Fone 3215-5534
Fax 3215-2534
dep.wilsonfilho@camara.gov.br

Vera Lúcia Oliveira Pereira disse...

Beatriz,

Sou professora aposentada e manifesto minha admiração pela sua garra, postura democrática e compromisso com os educadores. Essa comissão só foi constituida por empenho e penso que vocês estão demonstrando que a união é caminho de conquistas maduras e o diálogo uma maneira de educar as pessoas. Parabéns por isso somos mestras de esperanças.
Vera Lúcia Oliveira Pereira- Varginha

Anônimo disse...

Olá Beatriz!

Você não escreveu nada a respeito da anistia dos dias de greve. Isso não foi discutido? Será discutido na próxima reunião? Já que os substitutos ficarão na escola de plantão até o final do ano, por que o governo não deixar a opção do professor titular repor ou não as aulas? Tem vários colegas, inclusive eu, não querendo repor, caso ocorra a anistia desses dias.
Obrigado!

Valeskinha disse...

Beatriz, será que este governo irá pagar o 14, pois ele é referente ao ano anterior, não pode usar a greve como justificativa para inviabilizar o pagamento.

Anônimo disse...

Olá Beatriz, tudo bem?
Gostaria de saber o que o Sindicato tem feito em relação aos professores eleitos em 5 de junho deste ano. A posse que seria no início de agosto foi adiada.Corre o boato que não será dada a posse a quem participou da greve.Ligo para o Sindicato (várias vezes) e não obtenho resposta. Gostaria de saber se este direito será respeitado, ou seremos punidos, sem que haja uma defesa.

Anônimo disse...

Triste pensar que em um estado onde gigantescas minerdoras são insentas de impostos, o nosso governador se quer pode pagar o que é de direito dos professores. Tudo que podemos concluir é que se aqueles que formam os profissionais de amanhã , não tem seus direitos assegurador, o que será de nós profissionais de amanhã. Pobre Brasil, evoluiu em tantos sentidos menos na educação, isso me assusta muito.

Anônimo disse...

Meu Deus do céu: até hoje voc~es não decidiram nada! deve ser porque vocês do sindicato não tiveram salários cortados. Se estivessem há 3 meses sem salários, como eu, já teriam feito alguma coisa. Estou indignada com esta situação! Vergonha e omissão definem esta situação.

Anônimo disse...

Meu Deus do céu: até hoje voc~es não decidiram nada! deve ser porque vocês do sindicato não tiveram salários cortados. Se estivessem há 3 meses sem salários, como eu, já teriam feito alguma coisa. Estou indignada com esta situação! Vergonha e omissão definem esta situação.
Maria Paula
BH - MG

Anônimo disse...

Olá Beatriz. Alguma notícia sobre o nosso salário cortado? Ou 13°? Ou prêmio de produtividade?

abraço

Anônimo disse...

numa palavra: RIDÍCULO!!!!

Anônimo disse...

Beatriz,
Parabéns pelo dia do educador. Obrigada pelo cartão virtual.
Pode ter certeza que estarei resando por você e todos os que estão enfrentando este governo monstruoso a nosso favor.
3 horas, é a hora da divina misericórdia. Estarei em vigília para que nossa senhora te cubra novamente com seu manto, livrando-te de todo o mal.Desejo ainda, que o divino espírito santo de sabedoria,ilumine suas mentes privilegiadas.
Se puder, divulgue novamente o resultado da reunião.Ficarei acordada e resando para que a vitória que já está a caminho, concretise.
Seja feliz, você e sua família.

Junia Paixão mendes de Castro disse...

Beatriz,

Como vai ficar a situação dos Diretores eleitos? Fala-se algo a respeito?

fatinha disse...

Beatriz, obrigada pela vitória, mas gostaria de saber se foi acertado também a posse dos novos diretores eleitos e o pagamento do prêmio produtividade.

Anônimo disse...

E O PRÊMIO DE PRODUTIVIDADE QUE EQUIVALE AO ANO PASSADO SEM GREVE NÃO SERÁ PAGO??????????? ELE TEM QUE PAGAR É UM DIREITO PRA ONDE VAI ESTE DINHEIRO QUE JA TINHA SIDO PREVISTO NO ORÇAMENTO DO ANO PASSADO PRA SER PAGO ESTE ANO?

Anônimo disse...

Notícias, beatriz?
Precisamos de ação do sindicato!

Educadora de Jequitibá disse...

Querida Beatriz,
Por que esse sumiço todo?
Já estamos ficando preocupados.
Por favor nos dê notícias
Abraços

Anônimo disse...

Se o sindicato aceitar o piso só pra professor e especialista, me desfilio imediatamente e NUNCA mais quero saber de greve!!!!
ATB

Beatriz Cerqueira disse...

Prezada colega ATB,
acho que a posição do sindicato a respeito do Piso sempre foi muito clara: defendemos o Piso para todas as carreiras da educação. Verifique em nossos boletins, porque além de defendermos, argumentamos. O impasse na última reunião com o governo foi exatamente este: nós defendemos o Piso para todas as carreiras, a Secretaria de Educação defendendo Piso apenas para professor e especialista.
Atenciosamente,
Beatriz

Anônimo disse...

Olá Beatriz, tudo bem?
Novamente pergunto o que o Sindicato tem feito em relação aos professores eleitos em 5 de junho deste ano. A posse que seria no início de agosto foi adiada.Corre o boato que não será dada a posse a quem participou da greve.Ligo para o Sindicato (várias vezes) e não obtenho resposta. Gostaria de saber se este direito será respeitado, ou seremos punidos, sem que haja uma defesa.Estou a cada dia perdendo a confiança no SINDICATO devido a este silêncio. E se caso os boatos sejam verdadeiros jamais darei os atenção aos apêlos de paralização e com meu exemplo irei incentivar meus colegas que esta briga é vazia, pois se não é assegurado um direito publicado em edital, como o SINDICATO conseguirá cumprir junto ao governo propostas que ainda estão em estudo? Entre no site Fenix Educação e você verá que não estou sozinho nesta indignação.Confiei em vocês!Será que devo continuar confiando?

Anônimo disse...

O Nosso digníssimo governador se diz professor então estou propondo, que tal ele traga o meu salário com o dele????

Anônimo disse...

Beatriz. sou professora aposentada com muito orgulho. Quando me formei em l966, minha mãe me deu um abraço e me disse:filha voce agora pode defender o pão seu de cada dia. Lutei, tive humilhações de diretor ,de serventes,pães de alunos, mas venci os 25 anos de serviço. HOJE TE PERGUNTO: SERÁ QUE ESTE AUMENTO VEM TAMBÉM PARA OS APOSENTADOS .......ME RESPONDA PELO AMOPR DE DEUS. PORQUE VOLTEI PARA A CARREIRA ANTIGA E PERDI BASTANTE.tENHO DOBRA DE TURNO E SO TENHO DIPLOMA DO CURSO NORMAL. QUANTO SERÁ QUE VOU RECEBER SE TIVER DIREITO

Beatriz Cerqueira disse...

Prezado colega,
a questão da posse dos diretores eleitos foi discutida em 2 das 3 reuniões da comissão tripartite. Nesta última reunião, a Secretaria apresentou a data de posse. Em nenhum momento foi apresentada sequer a idéia de que quem fez a greve não poderia tomar posse. Mesmo porque o Governo assinou um documento se comprometendo em não realizar futuras punições. Impedir a posse dos eleitos seria uma punição futura. Neste momento estamos tentando modificar as punições já realizadas durante a greve. Quanto a confiança, é um juizo de valor, você é que tem que decidir em quem confiar. Procuro desempenhar a minha função da melhor maneira.
Já li o site que indicou.
Espero ter esclarecido.
Atenciosamente,
Beatriz

Beatriz Cerqueira disse...

Prezados colegas,
questionamos o pagamento do prêmio por produtividade. Segundo o governo não há previsão para o pagamento.

Beatriz Cerqueira disse...

Prezado colega,
o sindicato não abandonará quem aguardou orientação para realizar a reposição. Por isso discutimos esta questão exaustivamente durante as últimas três semanas.
Atenciosamente,
Beatriz

Beatriz Cerqueira disse...

Prezado colega, a questão da anistia foi tratada especificamente na reunião realizada esta semana. Acredito que na quarta-feira teremos um documento a respeito.
Atenciosamente,
Beatriz

Beatriz Cerqueira disse...

Prezadas Junia e Fatinha,
a previsão é que a posse dos diretores ocorra em dezembro.
Atenciosamente
Beatriz

Beatriz Cerqueira disse...

Prezada Luciana,
discutiremos esta situação na reunião que será realizada na quarta-feira, dia 19/10.
Atenciosamente,
Beatriz

Andre Leao disse...

Se eu fosse professor, o que seria o mais triste para mim seria eu estar lutando para uma condição de vida para todos os professores em quanto algumas pessoas denominadas substitutos dando bola para o governo ao invés de dizer não a ele. O mais legal dessa historia é ver os deputados apoiando vocês, por mais que sejam uns trastes, fico uma imagem legal.

Fernanda Lopes F. de Souza disse...

Quanto descaso com todos e com a educação no geral! Estamos precisando de representantes mais sérios e comprometidos com a Educação, até agora foram só promessas... Penso que esse enrolado do desgovernador é mesmo sem noção pois o que foi proposto é simplesmente um direito sonegado e não um “aumento absurdo” como foi de deputados de quase 60% (e isso eles aprovam né). Será que estamos passando por uma crise de Estado?!

Lays Trade disse...

no dia 10/10 houve uma segunda reuniao em que buscavam em 1°lugar pagamento do salario e questoes funcionais que reivindicavam por salarios retroativos e em 2°lugar piso salarial;pagamento que nao é pago corretamente aos professores,sendo esse um dos motivos principais motivos da greve e é por esse motivo que eu, mesmo sendo uma estudante apoio a greve pois cada cidadao tem direito de lutar por seus ideais.

bruna ribeiro disse...

boa noite;
o GOVRNO sempre tenta esconder a realidade e com isso colocando ´subistitutos` no lugar de trabalhadores que reivindica com melhores salarios; cortantando os salarios dos que estao reivindicando para fazer uma pressao, verdadeiro Governo sem vergonha

Anônimo disse...

É realmente muito difícil entender o governo, a única imagem que eles nos transmitem é o egoísmo, pois quando se trata de tira o direito do outro de acordo com a lei eles tiram, no caso das férias-prêmio(dizem que está lei, o trabalhador perdeu o direito por causa da greve e só poderá ter esse direito depois do pagamento da mesma) mas dar o que é direito eles não dão, só fazem lá uns cálculos para dizer que está fazendo certo que é o caso do piso em eles fazem como teto. Precisamos de seriedade, de alguém que de valor a classe para não prejudicar a ninguém, como ocorre hoje.
Thiago Henrique, aluno Estadual Central, 109

Mari Loures disse...

Pagar o salário dos substitutos que o governo colocou no lugar dos professores de uma forma ridícula e dos professores titulares é contra lei, a greve é contra lei, tudo é contra lei, menos eles, porque eles podem fazer o que quiserem que não é contra lei, não precisam nem cumpri-lá para ser mais exato. Isso dá muita raiva. E quanto ao calendário escolar, quem sabe como deve ser feito é quem está dentro da sala e sabe a matéria, não os governantes que não sabem nem exercer seus cargos direito. Quanto ao piso, não deveria nem precisar de ter discussão sobre isso, os professores tem um papel importantissimo na sociedade e deveriam receber muito bem para formar não só pessoas com conhecimento em matérias mas também cidadãos. Se o governo está querendo colocar mais categorias para aumentar o piso, coloque e aumente de todos, o que não falta é dinheiro para isso quando vemos o salário dos governantes.

Anônimo disse...

Na 2ª Reunião de negociações com o governo, o salário e o piso tiveram destaque. Os substitutos também foram mencionados, e fica então comprovado o descaso governamental com a educação, ao colocar um jovem de 18 anos para dar aula. Acredito que as férias prêmio devam continuar, pois o próprio nome nos informa do que se trata, desde que o substituto de professor esteja a altura do mesmo. Com relação ao piso (PSPN), ao meu ver, ele deveria ser cumprido apenas para os que fizeram a greve, e não para aqueles que bateram ponto ou que simplesmente ficaram em casa atoa. Porém, reconheço que a lei é para todos. e para finalizar, sempre foi uma dúvida minha, ' o porque dá não realização de mais de uma reunião por semana?' Obrigada !

Aluno do 3°ano 121/14 disse...

Acho muito estranho um estado que acha que pode ter suas próprias leis, cumprir apenas as que lhe prevalecem, ter um choque de gestão e ficar ainda mais endividado, ter milhões pra cidade administrativa que em pouquíssimo tempo já está caindo aos pedaços e não ter pra educação! além de não ter não investe a porcentagem que a LEI FEDERAL manda investir OBRIGATORIAMENTE. E depois quer só impor como as coisas vão ser depois que a greve acabar como acabar com as férias em janeiro! isso é um absurdo!

Gabriela Ferreira disse...

Olá,

O Governo está sendo muito inconsequente em continuar com os substitutos nas escolas, ainda mais se tratando de que a maioria deles não possui qualificação para o cargo. Enquanto ao corte de férias prêmio, se o professor adquiriu este "benefício" é porque ele mereceu, e não devia ter sido cortado, por ele ter entrado em greve.
Que as negociações gerem algo a favor da classe dos educadores, e que o Governo finalmente cumpra a Lei, e o que "prometeu" para que a greve acabasse.

Aluna do Estadual Central/BH

laryssa alves disse...

Não concordo com a reposição de aula, se os professores não receberão os dias que eles estavam de greve porque tem que repor as aulas agora? Fora que nunca da certo estas reposições, nem todos os alunos podem ir, e os professores não podem aplicar matéria direito sendo assim acaba tendo que repetir tudo na outra aula. Os substitutos não faziam nada mesmo, ficavam conversando com os alunos, tinha escola que os aos sabiam mais do que os substitutos e tinha que ficar corrigindo, nessa tentativa do governo de tentar invalidar a greve colocando substitutos no lugar foi a pior coisa que eles fizeram pois ele colocaram la sem saber se o substituto era professor mesmos ou não, em algumas escolas tinha advogados recém formados dando aula de história. Penso que mesmo com a greve dada como ilegal os professores deveriam ter continuado, pois só assim o governo sentiria a pressão que os educadores estão fazendo, não adianta começar uma coisa e deixa-la pela metade, o que aconteceu com a greve foi isso deixaram ela pela metade e o governo percebendo que os professores se renderam fácil eles irão sempre prometer e nunca irão cumprir com a lei do piso salarial.

Anônimo disse...

L.S.C. Aluno do Estatual Central

O governo declarar que não pode pagar os salários dos grevistas relacionados aos meses de agosto e setembro é um desrespeito, ainda mais falando que já pagou os substitutos para reporem as aulas durante esse tempo e que se eles pagassem estariam infringindo a lei porque a greve foi considerada ilegal. Mas não pagar o que os professores tem que receber não é ilegal para eles.

Samuel disse...

Boa tarde Beatriz!

Achei muito boa a postura do comando de greve em relação as intolerancias do governo. Foi firme naquilo que queria, e não abriu mão disso.

Anônimo disse...

É um absurdo o governo alegar que não ira pagar o salário dos professores grevistas porque já pagou os “professores” substitutos. Paga o que para os substituto? Sendo que eles não estavam ensinando nada para os poucos alunos que estavam presentes.
O próprio governo às vezes cai em contradições, como ele pode pagar os professores reais e os “professore substitutos” e não pode pagar o piso? O governo deveria dispensar os substitutos e utilizar o dinheiro que seria destinado à paga-los para cumprir a lei, pagando o piso aos professores da rede estadual.

Estadual Central..

Mariana Campos disse...

Mariana Campoos C. - 3º estadual central
A cada dia vemos como o desgoverno está caminhando para a decadência do nosso país. Sou a favor da greve da mesma forma que tenha anseio em ter bons professoras, pois está muito claro que, de uma forma geral, nenhum estudante está com alguma ideia de se tornar professor, mesmo tendo ele uma profissão tão gratificante e de suma importância para TODOS. E a culpa dessa ausência de profissionais qualificados é dos salários, pois neste mundo capitalismo em que vivemos o dinheiro é um fator que pesa muito na decisão de qual procissão escolher, e neste caso a de professor não é uma das primeiras, sendo o seu salário tão absurdo.
O desgoverno prefere pagar aos “substitutos”, que não estão substituindo nada, do que pagar o que é de direito dos professores que estão lutando a anos por uma remuneração digna.
“Tudo que podemos concluir é que se aqueles que formam os profissionais de amanhã , não tem seus direitos assegurador, o que será de nós profissionais de amanhã.”

Anônimo disse...

É impressionante como o Governo a todo momento busca um modo de não cumprir os direitos salariais e de férias prêmio dos profissionais da educação. Com o desfecho das reuniões, vejo o Governo tentando contornar a situação e procurando não cumprir com o direito dos professores, procurando apenas beneficiar a si proprio.

Anônimo disse...

Antes de mais nada, gostaria de parabenizar a Beatriz por esse belíssimo texto e criticar essa postura incoerente perante o Governo de Minas. Sou aluno do 3º ano e vejo que esses professores não possuem qualificação para lecionar aulas. Como que o Governo garante educação por meio dssas práticas? É revoltante uma coisa dessas, ainda mais ver nossos professores sendo desvalorizados perante a irresponsabilidade que esse governo exerce sobre a educação como um todo.

Aluno do 3º ano do Ensino Médio.

Anônimo disse...

O governo tem que pagar os professores, como eles irão viver? O governo esta sendo desumano esta desrespeitando os professores "ao extremo". Sobre o pagamento nem preciso falar que é uma lei e tem de ser cumprida !

Aluno 3ano estadual central disse...

Foi discutido o pagamento do salário, o antecipamento do 13º salário, a questão da suspensão da publicação de férias prêmio.
A discussão da tabela do Piso Salarial girou em torno das carreiras atingidas por ele, o valor e a aplicação proporcional. Continua firme que a batalha está sendo ganha!!

tom disse...

Uma estratégia usada por políticas desleais ao seu povo. No intuito de ganhar mais votos é favorável ao governo simplesmente apaziguar a educação à população. E exaustar o profissional confinando-o a simples objeto maniúlável. Espero que os professores não se cansem da batalha e que a classe pernmaneça unida na luta em questão.

Anônimo disse...

Beatriz, cada dia o governo busca novos métodos, novas "trapaças" para não cumprir os direitos salariais e de férias premiodos profissionais da educação, isso é um absurdo. A todo momento eles tentam buscar novas alternativas, a cada reunião uma nova proposta absurda que nao satisfaz a necessidade real dos profissionais.
Essa falta de consideração do governo chega a ser inacreditavel.


Rodolfo Fabrini Mendes - Aluno do terceiro ano da escola Estadual Central.