sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Breve avaliação

A resposta do Governo do Estado encaminhada ao Sind-UTE MG e aos deputados estaduais no início da noite desta quinta-feira será avaliada pelo Comando Estadual de Greve, que se reunirá neste sábado. Esta reunião ficou definida na Assembleia da categoria realizada no dia 27/09. É reunião do Comando por ser mais abrangente que o Conselho Geral da entidade.
Gostaria de apresentar uma avaliação preliminar a respeito do que estamos vivenciando.
A dificuldade do Governo de Minas em estabelecer um processo de negociação
Durante a greve, ouvimos repetidas vezes que era princípio do Governo não negociar com categoria em greve. Explicamos à comunidade que a categoria tentou, por seis meses, um processo de negociação e a deflagração da greve ocorreu exatamente pela ausência de negociação. Conquistamos a negociação, a greve foi suspensa e já no dia 29/09, o sindicato apresentou toda a sua demanda estabelecendo uma pauta de trabalho da Comissão Tripartite. No entanto, 10 dias após a suspensão da greve o governo ainda não conseguiu estabecer um ritmo de trabalho, um processo de negociação.
Um processo de negociação não é feito através dos meios de comunicação mas numa relação direta entre os envolvidos. No momento em que o Governo apresentava sua resposta, apresentou-a simultaneamente à imprensa. O sindicato, por sua vez, tentou durante toda a manhã desta sexta-feira, discutir os pontos apresentados pelo Governo, mas novamente ele não tinha agenda.
Não é possível uma comissão formada para um assunto tão importante para toda a sociedade conseguir se reunir apenas um vez por semana, por dificuldade de agenda. O interesse de resolver as questões precisa ser prioridade em todas as agendas.
O desrespeito a pais e alunos
Durante a greve, acompanhamos a Federação de Pais de Alunos se manifestar contra a greve. O Ministério Público também se posicionou contra o nosso movimento. Todos argumentaram a defesa dos interesses dos alunos.
Contrariando os princípios de participação da comunidade escolar, o processo de reposição da carga horária nas escolas estaduais não foi discutido com ninguém. Prevalece, até o momento, a posição unilateral da Secretaria de Estado da Educação que editou uma Resolução e várias orientações. Ninguém foi ouvido e pais, mães, alunos, profissionais da educação foram ignorados pela Secretaria. A situação de profissionais sem formação, assédios, um jovem de 17 anos chegou a ser contratado numa escola de Belo Horizonte para responder pelas aulas de educação física do Ensino Médio acontecem sem que nenhum órgão que se dizia defensor dos interesses de crianças e adolescentes de fato defendam os interesses desta parcela da sociedade.
A qualidade de ensino
As escolas já avaliaram o desenvolvimento dos conteúdos curriculares feito pelos substitutos durante a greve?
É possível garantir bons resultados com profissionais sem formação sendo responsáveis pelos conteúdos curriculares?
É possível garantir bons resultados à adolescentes que não tiveram o direito de estudar todas as disciplinas do ensino médio, como é o formato atualmente do Ensino Médio da Rede Estadual?
O direito ao pagamento
O pagamento do salário é condição para a continuidade das negociações. É a minha opinião.
Isso porque a disposição para negociação pressupõe um comportamento para a solução dos conflitos e não o seu acirramento. Não há argumento técnico ou jurídico para a manutenção do corte de salários após a suspensão de greve.
Aliás, o Governo assinou que as punições futuras estariam suspensas, desde a greve fosse encerrada. A greve foi encerrada. Os próximos pagamentos são eventos futuros, posteriores a data de 27/09.
Não é possível estarmos numa mesa de negociação em todos - deputados estaduais e Secretários de Estado - com salários em dia e a categoria passando por uma situação financeira insustentável por capricho um ou outro Secretário/a de Estado.
O direito de férias-prêmio
Me parece que o sentimento na Secretaria de Educação é: "que a punição sirva de exemplo e pacifique a categoria!"
Durante a reunião do dia 03/10, a Secretaria de Educação chegou a argumentar que para ter direito de usufruir as férias-prêmio, o servidor desveria esperar a publicação em exercício. Aí lembramos o governo: mas a greve acabou, a categoria está na escola, em exercício. Aí disseram que era preciso repor a greve para ter direito. Aí lembramos que o servidor já tinha adquirido o direito de férias-prêmio, independente da greve uma vez que o período utilizado para adquirir o direito já havia sido cumprido pelo servidor.
Quem o governo novamente tenta punir? Servidores de carreira que têm muito tempo de serviço.
Novamente, não há fundamentação técnica ou jurídica para nova negativa.
Todos estes pontos e outros como os relacionados a transformação de falta-greve em falta comum, situação dos designados e a questão salarial serão discutidos na reunião que será realizada nesta segunda-feira, dia 10/10. Antes disso, o Comando Estadual de Greve fará avaliação da greve, dos trabalhos da Comissão e os retornos do Governo do Estado.

63 comentários:

Beatriz Cerqueira disse...

Um questão importante: as respostas do governo foram enviadas por escrito. Não teve reunião nesta quinta-feira. O documento chegou na sede do sindicato no início da noite.

Beatriz Cerqueira disse...

Quanto ao calendário de reposição, encaminhamos orientação às subsedes: é necessário aguardar o processo de negociação da questão salarial para decidirmos sobre a reposição.

Anônimo disse...

Beatriz; Enqto Ana Lúcia Gazzola e Renata Vilhena sentarem à mesa para negociação, nada alcançaremos.
Elas não têm compromisso com a educação nem com a categoria.
Mês do Professor e nós estamos no sufoco. Desânimo é que vemos por todos os lados.
Precisamos de outros interlocutores. E o Secretário de Estado, Danilo de Castro? Ele não prometeu interceder?
Sem salário está mto difícil sair para trabalhar na escola. Muitos professores irão procurar um BICO que pague em dia e não oprima tanto. Estou arrependida por ter dedicado 24 anos à educação do Estado. ABC

Anônimo disse...

Bia, de posse desse documento eu acho que é possível entrar com um mandato de segurança na tentativa de obrigar o estado a pagar em folha complementar alegando que a greve já acabou e que temos vários educadores passando por necessidades financeiras ( filhos em leite, aluguel atrasado dinehiro para fazer compras. Em fim a falta do pagamento causará danos irreparáveis aos educadores e seus dependentes.
Idinei - Ipatinga

PROFESSORA ELIZABETH -AIMORÉS-MG disse...

Boa Noite Beatriz!!!!!
Existe uma certa inquietude de nossa parte , pois , o PL 2355ainda está na ALMG para ser votada . Esta enrolação por parte do governo vai dar de encontro com o prazo que foi dado para a suspensão na votação do PL ,que foi de 15 dias . Este governo vai nos enrolar e os dep do governo vão votar e vamos perder nossa carreira . É preciso ficarmos atentos e tomarmos medidas drásticas contra as atitudes do governo para que ele não venha ter a vitória sobre nós. Chega de sofrimentos. Em conversa virtual, twiter ,com o Senador Cristóvam Buarque ,ele disse que as atitudes do governo , principalmente pelo não cumprimento da lei 11738 , deve ser feito uma ação contra o governo
O sindicato já fez isso ??
Sabemos que o MPMG, TJMG , estão todos sendo manipulados pelo governo . Então o que está nos restando fazer ??? Deus tem que nos dar uma luz . Nossa esperança está agora na subcomissão q já está a caminho de MG. E vc ? Está confiante ??? Estamos tão judiados !!!! Deus possa estar sendo presença constante em sua vida.
Força em Deus !! Aguardo sua resposta . Estamos também querendo alguma explicação jurídica ,sobre a nossa posição de não repor a greve , o que pode nos acontecer ???

Anônimo disse...

Sugestão: Mandato de segurança pedindo que o governo pague o salário dos cortes realizados durante os meses de greve em caráter emergencial, já que em outubro e novembro os contracheques dos educadores estarão zerados. Como trabalhar, pagar transporte, comprar comida, comprar remédios, roupas, sem um único centavo no bolso?
Idinei - Ipatinga

Anônimo disse...

ACHO PERTINENTE O SINDICATO TRATAR DE QUESTÕES RELATIVAS AO SALÁRIO ,REPOSIÇÃO ...MAS GOSTARIA DE SABER SE NÃO FOI QUESTIONADA A POSSE DOS DIRETORES E VICE DIRETORES ELEITOS EM JUNHO DE 2011?Que absurdo!Será se somos palhaços na mão desse governo por ter paticipado desse processo e agora os pais ou seja a comunidade em geral nos cobrando, principalmente onde houve mudanças...

Anônimo disse...

O dia hoje foi difícil para todos nós! No final da noite ,oro por vocês. Que Deus nos abençõe!

ROSANA disse...

BIA, BOA NOITE. O GOVERNO NÃO NEGOCIA,APENAS IMPÕE. TEMOS COLEGAS QUE ACATAM A NÃO REPOSIÇÃO SEM NEGOCIAÇÃO. OUTROS ESTARÃO NAS ESCOLAS JÁ NA SEMANA QUE VEM. EU ESTAREI SÓ, PROVAVELMENTE, DE RECESSO, APESAR DE A DIRETORA INFORMAR QUE NÃO EXISTE CALENDÁRIO DE RECESSO, SÓ A NOVA ORDEM DA RESOLUÇÃO X. COM 18 ANOS DE CARREIRA NUNCA VI TANTO MASSACRE. HÁ POSSIBILIDADE DE REVERTERMOS ESSE QUADRO JUDICIALMENTE? A SUBCOMISSÃO VEM? UM ABRAÇO. FORÇA NA LUTA! POR FAVOR, NÃO DEMORE MUITO PARA ATUALIZAR SEU BLOG. A CATEGORIA ESTÁ MUITO ANSIOSA.PARABÉNS PELO SEU ESFORÇO.

Anônimo disse...

Os diretores das escolas não estão pedindo, estão exigindo a reposição. apresentaram o calendário vindo da secretaria e não querem nem saber

Anônimo disse...

Dá-lhe Beatriz!!!

Parabéns pela assertividade, altivez, respeito e empenho ao defender os objetivos dos educadores mineiros.
A LUTA não está fácil, mas contamos com você e tantos outros colegas e autoridades envolvidas nesse impasse para que se cumpra a lei do piso salarial. Você tem conhecimento, tem boa oratória e argumentação. Torço para que suas virtudes combatam os interesses mesquinhos e burocratas do governo, nos anunciando boas notícias. Poderia me responder, por favor, por que a Gazzola está participando das negociações, uma vez que na última assembleia em BH foi dito que ela e Vilhena não participariam das reuniões dos acordos????

Abraço! E continue assim: Forte, resoluta, perseverante e amante da Justiça! Obrigada!

Luciana - Caratinga.


P.S.Por favor, sei que sua agenda é bem tumultuada, mas sempre que possível, escreva no blog os acontecimentos para nos deixar informados. A ansiedade e a angústia por notícias é desesperador!!!Se você não puder fazê-lo, e achar que deve, peça a alguém da sua confiança e que seja capaz de reproduzir os acontecimentos que vocês vivenciam aí sem deturpar sua fala e pensamento, claro. A categoria agradece imensamente!!!

Anônimo disse...

Olha, é tão sério as designações que foram feitas. Não tiveram critérios. todos que desejaram pegar as aulas, não tiveram restrições se são capacitados ou não. Tenho turmas do 3º ano do ensino médio, leciono matemática. O meu substituto (O DESIGNADO)não conseguindo ensinar o conteúdo aos alunos, deu como atividade avaliativa que os alunos fizessem um resumo do conteúdo " em estudo" que retirassem do livro, com esse resumo avaliou em 10 pontos, 0 2º bimestre tem o valor de 25 pontos. 5 pontos de participaçao. Imagine o quanto aprendeu esses alunos.

Anônimo disse...

Beatriz,

Se for possível, acrescente na pauta de negociação, por favor, a questão da promoção automática por nível, visto que temos que esperar pelo período probatório e mais 5 (cinco) anos para mudarmos da graduação para a especialização e assim por diante.

Obrigado!
Um grevista de Uberlândia

Anônimo disse...

Beatriz,
na E.E. Melo Viana chegamos a iniciar a reposição. Mas hoje decidimos cumprir o calendário aprovado antes da greve, já que não vemos disposição do governo em negociar.
Vejo aqui muita revolta. Professores de grande qualidade falam da vontade de mudar de profissão após 20 anos ou mais de dedicação.
Enquanto isto uns "porcaria" ficam confortavelmente assistindo nossa luta.
Digo por mim, se não há acordo, haja greve.
Bom trabalho amanhã. Deus lhe abençoe e guarde.
Abraços,
Maria Inês.

Anônimo disse...

está difícil aguardar, pois minha escola voltou picada e já tem calendários a diretora está insestindo em mandar falta. ainda estamos resistindo, mas depois de segunda ficará inviavel.

Anônimo disse...

Beatriz, veja o oficio que recebebmos em Itabira, dá para vc explicar porque eu não entendi nada
ATENÇÃO!

Mediante várias dúvidas apresentadas sobre a reposição da greve/2011 fizemos um questionamento à SEE/ SISAP Central.
Recebemos, no dia 06-10-2011,orientação verbal da Fátima Lima/SISAP/SEE, (será enviada pela SEE, posteriormente, via e-mail) os procedimentos a serem adotados para a reposição da carga horária do período da greve/2011, em caráter de urgência.
Assim, ORIENTAMOS:

POR DETERMINAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA DE PESSOAL/SEE, O SERVIDOR TITULAR, NO MOMENTO DA REPOSIÇÃO, É O RESPONSÁVEL PELA MESMA E RECEBERÁ UM PAGAMENTO EXTRA POR ELA.

O SERVIDOR QUE NÃO FEZ GREVE E CUMPRIU O SEU HORÁRIO NA ESCOLA É O RESPONSÁVEL PELA REPOSIÇÃO E RECEBERÁ UM CHEQUE EXTRA POR ELA.

O SERVIDOR DESIGNADO QUE SE RECUSAR A CUMPRIR A REPOSIÇÃO SERÁ DISPENSADO PELO MOTIVO 10-24 E FICARÁ IMPEDIDO DE ASSUMIR NOVA DESIGNAÇÃO POR 120 DIAS.

Para maiores esclarecimentos procure o seu Inspetor Escolar ou o Supervisor de Taxação responsável pela sua escola.

NA DÚVIDA, NÃO FAÇA.
PERGUNTE.


Atenciosamente,



Karla Renata Vieira Quintão
Coordenadora de Taxação SRE Nova Era
sre.novaera.sisap@educacao.mg.gov.br
(31) 3861 1234 - ramal 6

Anônimo disse...

Beatriz, o governo é sempre assim. Na época de eleições ele fica que nem um gatinho rodando em volta dos eleitores para ganhar o mísero voto. Isso não é de hoje, vem se arrastando há muito tempo. Quando ganha se sente um leão. Quer mandar e coloca aquele eleitor que às vezes o colocou lá em cima bem lá em baixo. Tomara que com isso os professores e familiares pensem bem antes de votar. Não vai demorar....Deixe quieto. Quanto a nós ,que Deus nos dê a benção e que isso passe logo. Vamos orar e pedir a ele. Porque está dificil. Mas vamos vencer ,tenho certeza.

Alisson Lobo disse...

GREVE!

ANA disse...

VCS FORAM ENGANADOS NOVAMENTE! QUANDO VC CHEGOU NA ASSEMBLEIA E DISSE DA PROPOSTA DO GOVERNO, EU GRITEI NA HORA QUE JÁ CONHEÇO ESSE FILME! VC DISSE QUE AS SECRETÁRIAS NÃO PARTICIPARIAM DAS REUNIÕES. NÃO É O QUE ESTÁ ACONTECENDO. NÃO ESCUTEI NEM UM PONTO POSITIVO PRA NÓS NESSA REUNIÃO. ELES SABIAM QUE MOBILIZAR A CATEGORIA NOVAMENTE SERIA DIFÍCIL. EU NÃO VOU REPOR NADA. TEMOS DIREITO A 30 DIAS DE FÉRIAS. ATÉ ISSO NOS TIROU! FICAMOS SEM DINHEIRO E SEM NOTÍCIA!

Anônimo disse...

Bia,

Que o manto sagrado de Nossa Senhora Aparecida te cubra contra todo o mal .Te proteja e te fortaleça. Você é uma mulher forte e grande guerreira. Que o Divino Espírito Santo ilumine a ti e todos os membros do comando de greve com muita sabedoria divina. Deus está conosco.

Vera Oliveira disse...

Nós, professores, precisamos ter incentivo para estudar, aperfeiçoarmos ainda mais nossos conhecimentos. Mas, para isso precisamos de tempo, dinheiro,e, especialmente, da valorização dos governantes para que sintamos essa necessidade. Todos sabemos da importância de ingressar na era da informática e adequar nossas aulas ao uso das novas Tecnologias ao mesmo tempo inovar o cotidiano de nosso trabalho educacional.Só que a autoestima não nos permite buscar tais coisas.

inaloppes disse...

Os diretores estão fazendo pressão para que a reposição seja feita o mais rápido possível. será por quê? o sindicato ainda não negociou o calendário de reposição, para que tanta pressa? já tive meus dias cortados, não tenho interesse em repor nada mesmo, quero saber se sou obrigado, já que tem substitutos tampões em meu lugar sem fazer nada. eles que reponham , uma vez que estão recebendo mais do que eu.

Anônimo disse...

Beatriz, cuidado, tem traidores entre o pessoal das sub-sedes torcendo pela vitória do governador Anastasia e do subsídio, e travando caravanas.

Anônimo disse...

Beatriz, cuidado, tem traidores entre o pessoal das sub-sedes torcendo pela vitoria do governador Anastasia e do subsídio e travando caravanas.

Anônimo disse...

Oi, Beatriz!!!
Gostaria de saber novamente sobre a nomeação e posse dos diretores e vice-diretores... Uma questão tão séria, que envolveu toda a comunidade escolar, deixada de lado... Não ouvimos nenhum comentário... nenhuma posição a respeito!

Anônimo disse...

Nada tira da minha cabeça que esse Governador TIRANO ainda vai aprontar,por isso ele e os seus capangas estão enrolando.Que DEUS continue velando por nós.

José Alfredo Junqueira disse...

Cara Beatriz,penso que estas negativas do govêrno às primeiras reivindicações são meras pirraças e vinganças,pois jamais imaginaram que os mestres de MG conseguiriam as façanhas de,principalmente,ocupar a ALMG daquela maneira.De que personalidades como o Frei Gilvander ficasse do nosso lado,além de tantos Mestres da UFMG,de tantas outras entidades e Universidades.Então acredito que o piso será respeitado,como deve ser,pois o último argumento dos deputados governistas era:Minas não recebe verbas do Fundeb,não pode pedir complementação para pagar o piso nacional federal,já caiu por terra.Penso que se a pirraça e a enrolação continuarem(espero que não)deveríamos fazer uma greve diferente,todas as têrças ocuparíamos a ALMG,comtodos os tipos de pressão e repercussão possíveis(isto é que incomodou o "govêrno").Trabalharíamos normalmente segundas,quintas e sextas.Teríamos entre 7 e 9 faltas mensais.Não ficaríamos sem dinheiro para as contas básicas.Desta maneira é possível que o número de manifestantes aumente.Diferentemente da maioria dos comentários,não tenho nada contra os substitutos.Tenho mágoa,sim,dos "colegas" que não aderiram à greve,com o argumento cínico e covarde que não queriam prejudicar os alunos.Abraços!

José Alfredo Junqueira disse...

P.S.:Ir a Brasília é bobagem,lá o cheiro de enxofre é ainda maior que em Minas,além de ser muito longe!Aqui em BH podemos ser muitos.Foi provado que "funciona".

Graça Sette disse...

Beatriz,o Sindicato avalia como viável para a categoria haver duas formas de remuneração: o subsídio e o sistema de salário + vantagens? Qual é o real objetivo disso? Caso permaneçam as 2 formas de remuneração,quem, como eu, optou por continuar no sistema anterior ficará numa situação atípica, à margem de reajustes,por exemplo? Isso ocorreu na RME , com quem se manteve no regime de CLT.

Anônimo disse...

quero saber onde foi parar o decimo quarto? não recebemos.queremos receber esse premio de produtividade.

Anônimo disse...

Sou aposentada,tenho mais de 70 anos de idade e nunca na minha vida vi um governo tão ruim, autoritário, inseguro e incompetente. Mais parece uma máquina. Faz lembrar Charles Chaplin no discurso do filme "O Grande Ditador" :" Não sois máquina, homens é que sois!"- ele disse aos soldados. No caso em pauta, Anastasia quer que os profissionais da Educação sejam máquinas. Impressionada é pouco. Estou de boca aberta. Mas, nada como um dia após outro. Ele sentirá as consequências brevemente.E a vocês que estão na luta, meus parabéns pela coragem.Você, Beatriz, é uma grande lider. Nosso abraço.

MARIA AMÉLIA de Montes Claros disse...

Beatriz, infelismente, as escolas estão seguindo adiante com o calendário de reposição sugerido pelo governo. E no meu caso, conversei com a diretora da Escola que trabalho. falei que estava agurdando as negociações, então, a professora substituta foi convocada para repor as aulas, ou seja, de todo jeito já estou penalizada. Mas esse tem sido o procedimento de muitas outras escolas aqui de Montes Claros. Penso que estamos vivienciando algo que fica difícil de decifrar. É muito humilhante. Mas vamos aguardar essa suposta "negociação". Um abraço!

Anônimo disse...

Por que o governo não comparece nas reuniões de negociações?
As pessoas mais antigas sempre diziam:'Quem realmente faz, não manda recados, vai pessoalmente"
O PSPN veio para ficar.

Anônimo disse...

O que é mais triste diante da permanência dos substitutos nas escolas não são os gastos do governo com eles, mas a triste constatação é que esses substitutos que estão entrando na educação pelas portas dos fundos usufruindo de forma negativa de um movimento de greve que, vale lembrar, pela luta dos direitos deles mesmos, serão os futuros “ educadores” ( se é que podem ser chamados assim), esses substitutos serão os herdeiros dessa luta. Infelizmente a palavra que pode traduzir esse momento na educação e principalmente na situação dos substitutos é INDIFERENÇA, pois eles fingem que são cegos ( o pior cego é aquele que não quer ver), de surdos e mudos e vão como carneirinhos para sala de aula, pois são INDIFERENTES ao futuro deles mesmos. Que moral um substituto tem para lutar pelos seus direitos futuramente? Se é que sabem o que é direito, justiça e, principalmente HONESTIDADE. A educação virou cabide de emprego de pessoas que vendem sua dignidade por um mísero salário e ainda por cima com a conivência do estado, que vale lembrar, não acreditamos que representa o anseio do cidadão e nem se importa com educação de qualidade.
Aos professores titulares que entraram pela porta da frente do ensino público e que deram aula de cidadania para a população e aos seus alunos nessa greve, resta uma dura tentativa, através do diálogo de dar uma aula de cidadania aos substitutos nas escolas,pois fica claro que os substitutos precisam reaver seus conceitos acerca do que seja HONESTO, JUSTO, O QUE É MEU DE DIREITO E O QUE PERTENCE AO OUTRO POR DIREITO,LUTAR PELO BEM COMUM e dentre tantas outras coisas que cabem a atitude dessas pessoas que se disponibilizaram a essa situação. Lutar pelo bem comum e por justiça com dignidade é sinal de humanidade. E, mesmo que OS VERDADEIROS EDUCADORES que tanto lutaram nessa greve não venham a gozar dos seus direitos futuramente,podem ter a certeza que agiram com humanidade, pois lutar por justiça e pelos sonhos é que nos torna verdadeiramente HUMANOS e nos distingue de qualquer outro animal que vive apenas para sobrevivência do seu corpo e das necessidades do dia a dia e que se enquadra bem a situação dos INDIFERENTES ao que acontece ao seu redor.
Diante disso tudo e apesar dos pesares, do Anastasia, dos Substitutos, da falta de consciência, daqueles que vivem apenas pela ração do dia a dia, fica a ESPERANÇA que amanhã vai ser outro dia.
Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia
Eu pergunto a você onde vai se esconder
Da enorme euforia?
Como vai proibir
Quando o galo insistir em cantar?
Água nova brotando
E a gente se amando sem parar

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros. Juro!
Todo esse amor reprimido
Esse grito contido
Esse samba no escuro. ( Chico Buarque).

Bocaiúva- MG

Sonia disse...

Pelo que estou presenciando quanto á qualidade dos nossos substitutos posso te responder: os alunos estão "desaprendendo" o que foi ensinado e, quanto a isso, concordo com você: ninguém se manifesta!

Clarice disse...

Beatriz,Um grande abraço. Não consigo conviver com tanto descalabro.Trabalho há 41 anos como professora,por amor e vocação.Pelo amor de DEus, use todos os meios que puder, justiça,parlamentares o que for; mas é preciso que o pessola receba o salário.Tem muitos colegas meus em quase miséria .Também estes "substitutos" isto é uma afronta a ética e moral. Abraços. Que Deus te ilumine.

Anônimo disse...

A punição como exemplo é uma conduta que faz parte da cultura deste país. Vejam alguns exemplos:
NO BRASIL COLÔNIA, IMPÉRIO E REPÚBLICA os líderes de rebeliões eram enforcados, esquartejados publicamente; alguns escravos eram açoitados em praça pública, etc.; Vejam o caso de Lampião (O Cangaço), Antônio Conselheiro (Canudos),João Cândido (Chibata),entre outros. NOSSOS GOVERNANTES AINDA NÃO DESCOBRIRAM O REAL SENTIDO DA DEMOCRACIA! TAMBÉM, COM TANTAS DITADURAS!

Anônimo disse...

Esse governo é louco não tem mexida com ele. Deve-se acionar a justiça para garantir nossos direitos. enquanto isso devemos deixar suspensa as reposições.
Maria Helena - Ipatinga

Sãozinha Maciel disse...

É muito triste o descaso deste governo tirano e os seus discipulos. Eles estão por toda parte contaminando a rede estadual de ensino. Inspetora diz uma coisa para grevista outras para os " " sei lá que nome recebem. É... não sei onde vamos parar.Pessoas nos acusam, nos ofendem e esquecem que um dia vão descer do pedestal. Peço a Deus que nos força e coragem para enfrentar a tirania dessas pessoas que usam a inocencia e a descencia de muitos. Aguardo ansiosa pelas noticias. Forte abraço para todos os guerreiros. A você Bia meu carinho e admiração.

Ruth (S. Lourenço) disse...

Parabéns,Beatriz! Seus comentários são todos pertinentes.Já esperávamos que o governo continuaria com "chumbo grosso" contra os professores:desmarcando reuniões agendadas,enviando à SEE o calendário de reposições sem negociação, etc.
O que mais lamento é que todos os poderes públicos estão contra nós, vendados,ignorando a nossa Carta Magna e todas - absolutamente todas- as leis que nos protegem. Aonde vamos parar? Precisamos retomar o movimento grevista caso haja outra investida cretina do desgoverno mineiro.

Força na luta rumo à vitória!

Anônimo disse...

progiBeatriz, parabéns pelo nosso movimento, mas infelzmente, ficou provaa a desunão da classe e a subserviência. Se todos realmente tivessem parado e outro não tivessem assumido as aulas, seria um caos geral e talvez o Governo agisse com rapidez, digo talvez porque nossos governantes não estão nem aí p a qualidade da educação básica no Brasil e os universitários que assumiram as aulas estão provando que não entendem nada de cidadania, só pensam no próprio umbigo e também não estão preocupados com a educação nem com seus futuros salários! è burrice demais para minha mente!
reginalucia9@hotmail.com

Anônimo disse...

Em vez de mesa de negociação parece que os professores estão pedindo favor, pedindo pelo amor de Deus para não serem punidos. Isso é um absurdo, esse desgoverno ditador não respeita ninguém, não cumpre as Leis e persegue a categoria que fez greve LEGAL, LEGÍTIMA e com todo direito de fazê-la.
País que tem Leis só para os de cima.
Tudo isso é, no mínimo, nojento!
A greve não podia ter acabado, mas a culpa é de quem não aderiu, se todos participassem, o desgoverno nada poderia contra uma categoria inteira.
Pelegos malditos!!!

Anônimo disse...

Beatriz,
Com a resposta do governo consegui entender mais claramente porque os substitutos foram mantidos. Com a possibilidade de retorno à greve ele mantém os substitutos para manter as aulas caso isso aconteça. Na escola que trabalho eles tem ficado o tempo todo sem fazer nada, aguardando o que?
Um grande abraço
Cris

Anônimo disse...

Bom dia, Beatriz!!!!!!!!!!!Muita LUZ,JESUS e todos os SERES de LUZ estão presentes em nossa luta, é só prestarmos atenção que saberemos que caminho TRILHAR!!


Beatriz,preciso URGENTEMENTE relatar, a você ,um fato.Para que você me oriente,porém, devo fazê-lo por e-mail.POr favor,se possível deixe-o (e-mail)em seu blog para que eu possa relatar, a você, o fato.

Abraços.

Anônimo disse...

Beatriz, a força dos valorosos trabalhadores do ensino de Minas Gerais demonstrou não só a nossa capacidade de luta por uma educação melhor e profissionalismo, mas também a natureza desse governo que ora ocupa o poder.
Gostaria de perguntar o seguinte:
. Em janeiro de 2011 o governo concedeu 5% de aumento nos salários do subsídio, imposto à categoria naquele momento.Após a chance de volta ao quadro antigo, prevista em lei por ele mesmo elaborada,o governo retira dos que fizeram opção, cometendo uma ilegalidade, já que temos a lei da paridade e, ao meu ver, não poderia deixar os 5% para uns e retirá-los de outros. Escrevi ao setor juridico na época, mas não obtive resposta. O Sindicato já conversou isto com o governo?
Abraços
Muita luz e força nestas negociações futuras
Iraides Madeira
Uberaba MG

Professor Helvanio disse...

Onde estão as decisões da reunião do Comando de sábado?
Aqui na minha cidade todo mundo está perguntando.
Quando é que o Sindicato vai postar no seu site?

Anônimo disse...

Gratificação de servidor pode ficar só na promessa

Governador Antonio Anastasia disse que bônus de produtividade depende da arrecadação

Humberto Santos - Do Hoje em Dia - 7/10/2011 - 20:22

Marcelo Prates
anastasia

Anastasia: 'Estamos aguardando o desempenho da receita com cautela'

Criado para gratificar e estimular os servidores a atingirem metas, o prêmio de produtividade do Governo de Minas corre o risco de ficar apenas na promessa em 2011. O governador Antonio Anastasia (PSDB) disse, nesta sexta-feira (7), que o seu pagamento está vinculado ao aumento da arrecadação. Tradicionalmente, o bônus era depositado na conta do servidor no quinto dia útil do setembro. Neste ano, porém, o prazo foi estendido.

“Estamos aguardando o desempenho da receita, temos muita cautela. Há uma estabilidade de nossa receita e tão logo tenhamos condições (pagaremos). Claro que nosso intuito é fazer esses pagamentos o mais rápido possível. Dependemos do desempenho e o desenrolar da arrecadação do Estado” disse Anastasia.
Embora o governador afirme preocupação com a arrecadação para pagar a gratificação aos servidores, o Orçamento do Estado enviado à Assembleia Legislativa no último dia de setembro prevê arrecadação e gastos de R$ 51,5 bilhões para 2012. O montante é 14,40% superior ao de 2011, cuja previsão era de R$ 44,9 bilhões. Do total previsto para o próximo ano, R$ 22,1 bilhões serão gastos com o pagamento dos mais de 500 mil servidores espalhados por todo o Estado.
Em setembro, o Hoje em Dia mostrou que o pagamento do prêmio não havia sido realizado. O Governo justificou o atraso dizendo que não havia uma data definida para o repasse e que ele seria pago no segundo semestre. Tem direito ao bônus os servidores públicos efetivos, designados, concursados e contratos que trabalharam pelo menos 90 dias em 2011.

Cerca de 300 mil servidores públicos de Minas foram contemplados com o prêmio no ano passado. Na ocasião, o Governo cogitou dobrar o valor pago, mas acabou recuando da ideia. O benefício é proporcional aos dias trabalhados. O pagamento, no entanto, é condicionado à disponibilidade de caixa no orçamento estadual. É preciso que o Governo tenha registrado no ano anterior um resultado fiscal positivo.
Complemento salarial, o prêmio por produtividade foi instituído por meio da Lei 17.600, promulgada durante o Governo do senador Aécio Neves (PSDB), em 2008. O objetivo é estimular os servidores a perseguirem resultados e, de quebra, inflar os rendimentos mensais. Quando o assunto é o 13º do funcionalismo, o Governo tranquiliza os servidores e prevê o pagamento, integral, na primeira quinzena de dezembro.

Beatriz Cerqueira disse...

Prezada Ana,
toda a minha fala foi acompanhada e gravada pela imprensa e por inúmeros colegas. Li o documento que foi proposto. A greve não foi suspensa em função de nenhuma 'enganação'. Da mesma forma, o que afirmei era que as secretárias saíram da coordenação do processo de negociação e isso de fato aconteceu.É só você ler os relatos de todos os momentos pós a greve. No entanto, tem uma realidade que não mudou: o governo é o mesmo e a forma de lidar com a categoria é desrespeitosa.
Que notícias você gostaria de receber e não as recebeu? Todos os passos desde a suspensão da greve foram postados no site do sindicato. Alem disso informamos todas as 79 subsedes do sindicato, além dos comandos locais de greve. Sei que estamos enfrentando momentos difíceis mas não podemos trabalhar com situações que não correspondem a realidade.
Concordo com você no que se refere ao período de férias. Por isso a orientação do sindicato foi de que a categoria aguardasse a negociação para iniciar a reposição.
Atenciosamente,
Beatriz

Beatriz Cerqueira disse...

Prezado colega,
a respeito do "travamento" das caravanas, gostaria que me relatasse a situação concreta para que possamos tomar as medidas cabíveis.
Atenciosamente,
Beatriz

Beatriz Cerqueira disse...

Professor Helvanio,
as questões discutidas pelo Comando Estadual de Greve serão postadas no blog ainda hoje.
Atenciosamente,
Beatriz

Beatriz Cerqueira disse...

Prezado colega de Uberlândia,
a questão da promoção automática de acordo com a formação está em nossa pauta de reivindicações já apresentada ao governo.
Atenciosamente,
Beatriz

Andrade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andrade disse...

Sou professor a 12 anos na rede pública estadual, eu e muitos colegas estamos passando necessidades financeiras com o corte de salários, comprometendo até as necessidades básicas de um ser humano. Esse Governo desrespeita pais, alunos e principalmente seu rebanho(professores).É como ele esta nos tratando como seu rebanho a mercê de esmolas e sofrimento. Se é que exista algum ser humano que trata algum rebanho desta forma. Acho dificil!

Beatriz Cerqueira disse...

Iraides,
acredito que a postagem sobre a reunião do Comando de Greve ajuda a responder seu questionamento. Abordamos esta questão diversas vezes e será ponto de discussão na Comissão Tripartite.
Atenciosamente,
Beatriz

Anônimo disse...

O governo deve fazer a sua parte para que o ensino melhore, agora não é só ele, mas cada um de nós, ouvindo o outro por exemplo para saber o que tem que melhorar, dando nossa opinião, sendo honestos uns com os outros, sem discursão e violência, entre outras coisas.

Anônimo disse...

Ate parece que os professores estao pedindo um favor ao governo e nao exigindo o que é de direito da classe, ainda levam a ma fama diante de grande parte da populaço que nao abre os olhos pra ver que o nosso desgovernador não cumpre as leis e persegue a categoria que fez greve legal e com todo direito

Anônimo disse...

O que esse desgoverno mostra para a sociedade, é que eles não são capazes de lidar com essa responsabilidade, ainda mais com esse desgovernador, que é professor. Ele não poderia, se quer hesitar, em abrir negociação, com o sindicato. Eu penso que ele não deveria nem negociar, e sim cumprir as reivindicações dos professores, que dão a vida pela educação, em busca de um país melhor. Professores do Brasil e principalmente Minas Gerais, CLASSE DESFAVORECIDA! Não cruzem os braços SOCIEDADE, é a educação dos seus filhos que está em jogo !

Victor Ferreira do Nascimento(aluno 3º ano do Estadual Central)

Fernanda lopes f. de souza disse...

É tão ridicula a atuação do Governo perante a educação pois o mínimo que poderia ser feito pelos professores era o pagamento de seus salários perante o que já avia sido negociado!
Mas são poucos cidadãos que enxergam que greve é por um motivo claro de exigência de salário, pois médicos, militares e etc. fazem grave por aumento e por incrivel q pareça eles conseguem o que querem. Não estou falando que ninguém deve fazer greve mais sim que ela seja JUSTA!!

Lays Trade disse...

a situaçao da greve neste momento estava em situaçao complicada pois o governonao estava desposto a fazer negociaçao e os professores axaustos e com razao.Havia grnde desrespeito a pais e alunos pela qualidade do ensino,eu sendo aluna do ensino medio nao estava satisfeita com a situaçao em que se encontrava a escola,pois o governofoi infeliz na ideia de contratar professores despreparados para dar aula,sendo um desrespeito com os professores efetivos que sao profissionais capacitados e que so estavam lutando por seus direitos.

Anônimo disse...

Acho uma falta de respeito o modo como o governo trata os professores, uma categoria de grande responsabilidade na sociedade, tirando deles o que é de direito assim como o salário também corta o direito de férias-prêmio que já havia sido conquistado, é pura sacanagem. Espero que o governo tenha um pouco de consciência e cumpra a lei, pois no final quem esta sendo prejudicado são os alunos.
Thiago Henrique, aluno Estadual Central, turma 109

Aluno do Walmir disse...

É impressionante como o governo coloca a educação em segundo plano, sempre alegando que não há espaço na agenda, apenas dificultando a resolução dos propósitos da greve que; eram bem simples.

Anônimo disse...

É uma grande falta de respeito com os professores o que o governo esta fazendo. O senhor Anastasia poderia pelo menos querer enxergar que os professores são a base de toda a sociedade. Agora com o salário cortado e querendo cortar também as férias-prêmio isso já é demais.
O governo também anda desrespeitando os pais e alunos com as contratações de “novos professores”; professores (se podemos os chamarem assim) que não tem formação, estrutura e ética para lecionar.
A onde Minas ira parar com GOVERNO???

Anônimo disse...

É uma grande falta de respeito com os professores o que o governo esta fazendo. O senhor Anastasia poderia pelo menos querer enxergar que os professores são a base de toda a sociedade. Agora com o salário cortado e querendo cortar também as férias-prêmio isso já é demais.
O governo também anda desrespeitando os pais e alunos com as contratações de “novos professores”; professores (se podemos os chamarem assim) que não tem formação, estrutura e ética para lecionar.
A onde Minas ira parar com GOVERNO???