segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O debate sobre o Congresso do Sind-UTE MG

Podemos adotar as mesmas estratégias cujos resultados já sabemos porque vivenciamos lutas muito difíceis como em 2008, 2010 e 2011.
Podemos iniciar 2012 como iniciamos 2011, com assembleias e definir por uma nova greve sem conseguir resolver os problemas que enfrentamos como o corte de salário e a substituição, o que provavelmente acontecerá.
Podemos realizar uma greve em que nem todos participem, mas cumpriremos o nosso dever de "combativos".
Podemos esquecer quem é o nosso inimigo comum e a estratégia do governo de destruir o sindicato e começar a brigar e a estabelecer a disputa eleitoral do final de 2012. Afinal, não foram nisso que se transformaram os últimos Congressos do Sind-UTE? O último, realizado em Poços de Caldas, no valor aproximado de R$900.000,00 teve qual repercussão em nossa luta cotidiana?
O que foi proposto e discutido no Comando Estadual de Greve realizado neste sábado, dia 10/12, foi uma mudança de lógica, mudança desta lógica. As instâncias do sindicato precisam estar a serviço da luta. O Congresso, cujo investimento não é barato, precisa estar a serviço da luta da categoria. E qual será a nossa luta em 2012?
O que faríamos em 2012? Iniciaríamos o ano com dezenas de problemas que acontecerão em função das Resoluções de quadro de escola, jornada do professor e designação e o sindicato sem ter condição de dar nenhuma resposta, porque o canal de negociação está fechado, o objetivo é desqualificar a entidade como interlocutora e representante da categoria. Teríamos o primeiro contracheque no subsídio. E com tudo isso adotaríamos as mesmas atividades? Esperaríamos as coisas se organizarem na escola para começar a campanha?
A idéia de iniciarmos o ano com o Congresso é para tentarmos aglutinar, termos quase 3 dias de discussão de estratégias e organização. Possibilitar que as pessoas participem, falem, avaliem e tentar estabecer algumas diretrizes. Não há como filtrar que somente os que já têm consciência de classe e combatividade participem do Congresso. Mas não precisaremos de todos em 2012, ou pelo menos da maioria? O Congresso não é também o espaço para aglutinarmos ou somente faremos a luta de 2012 com quem fez a luta de 2011?
De fato, esta idéia deve ter decepcionado aqueles colegas que estão acostumados a fazer do Congresso apenas um espaço de disputa interna e não estavam preparados para fazê-la agora.
O Comando de Greve é aberto à participação da categoria. Por isso sugiro que as pessoas participem para que tenham a legitimidade de fazer as críticas. O que não pode é fazê-las sem saber o que foi discutido e decidido, porque assim deturpa o que foi discutido.
O Congresso estava na pauta que foi enviada a todos os participantes, portanto não foi novidade a sua discussão. Durante a tarde de sábado, 29 pessoas falaram, ou seja, todos que quiseram apresentaram a sua avaliação, mesmo que não seja do Comando. Ao final, seriam feitos os encaminhamentos. O Comando foi suspenso por cerca de 10 minutos após todas as falas para que as pessoas pudessem conversar sobre a idéia do Congresso. Na retomada da reunião ficaram duas propostas de data: fevereiro ou março. Ainda foi feita a defesa de cada uma das datas e as pessoas votaram e a maioria decidiu pelo Congresso em fevereiro.
Ainda durante o Comando foi definida a contratação de um escritório com repercussão nacional para encaminhar as demandas específicas do Piso, da diferença salarial da opção entre as formas de remuneração e de assédio moral. A direção do sindicato informou que já começou a negociação com alguns escritórios. Também foi sugerido uma comissão para acompanhar, ajudar a pensar, contribuir em relação a estas ações e o encaminhamento feito, com a concordância de todos os presentes, foi fazer um grupo com a participação de todas as subsedes do estado.
O que as pessoas perguntam é o que fazer? O que o sindicato vai fazer? Além da indignação, muita gente quer discutir, quer construir o próximo passo. Resta saber se as subsedes do sindicato estarão preparadas para fazer este debate. Muita subsede faz um excelente trabalho de base, mas também tem subsede que fez apenas o boicote ao nosso movimento achando que assim estaria boicotando a direção do sindicato e fazendo o seu desgaste. Entre fevereiro e março, a diferença é já começarmos o ano em mobilização. A mobilização não cai do céu, precisa ser feita. O movimento de greve dos últimos 2 anos foi construído, por todos que o fizeram e pela direção estadual também.
Além da atuação jurídica, vamos investir na mobilização, por isso a realização do Congresso, para que todos que queiram participem e possamos juntos avaliar e construir 2012. Esta idéia pode dar certo ou errado, vai depender de cada um, de cada grupo organizado. O que não dá é adotarmos as mesmas estratégias, cujos resultados já conhecemos.
Durante toda a greve recebemos inúmeras sugestões de que era importante levar uma atividade do sindicato para o interior do estado, que nas cidades do interior a repercussão de uma grande atividade é maior do que na capital. Esta é uma das justificativas para a realização do Congresso em Araxá. A cidade também é base do Presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa.

17 comentários:

Anônimo disse...

Boa tarde!

Cara Beatriz, acho que devemos fazer camisas com dizeres de educadores insatisfeitos com o governo tucano. Vamos aparecer visualmente. São cerca de 400.000 educadores entre ativos e inativos, se multiplicarmos por cerca de 5 pessoas dá 2.000.000. Já pensou na repercussão negativa para o governo?? Se pensarmos que a maioria dos servidores estão insatisfeitos...

Anônimo disse...

Pois é o problema é que ainda está negociando com um escritório de peso para entrarmos com as ações na justiça, porém, vai ter um recesso na justiça e estamos precisando de urgência nesta parte jurídica. Vê se dá pra contratar este escritório a tempo de entrarmos com as ações ainda antes deste recesso. Seria muito bom pra nós esta urgência atendida. Então mãos à obra Beatriz, estamos e confiamos em você. Obrigado por tudo até agora. Se o escritório for de peso mesmo eles devem conseguir entrar com estas ações ainda este ano, vamos lá força....

Anônimo disse...

Pois é o problema é que ainda está negociando com um escritório de peso para entrarmos com as ações na justiça, porém, vai ter um recesso na justiça e estamos precisando de urgência nesta parte jurídica. Vê se dá pra contratar este escritório a tempo de entrarmos com as ações ainda antes deste recesso. Seria muito bom pra nós esta urgência atendida. Então mãos à obra Beatriz, estamos e confiamos em você. Obrigado por tudo até agora. Se o escritório for de peso mesmo eles devem conseguir entrar com estas ações ainda este ano, vamos lá força....

Paulo Henrique S Fonseca disse...

A luta pelo Piso a partir de Minas à Caminho da Unidade Nacional.
Chegou a hora de retomarmos o protagonismo da luta dos educadores:O Congresso de Araxá em Fevereiro será a ponta de lança da luta pelo Piso, a exemplo de 2010 e 2011, mas agora poderemos dizer também quando,no início do ano de 2012.
Mãos à obra!

Anônimo disse...

Bia, Siga em frente.
Estamos com você.
A LUTA CONTINUA.
Abrss

Anônimo disse...

Mais o que realmente nos interessa é o piso em nossas mãos com urgência!A briga é por ele no momento e devemos focar nele.O tempo está passando e novamente vamos ficar prejudicados.O piso em primeiro lugar, você não acha?O congresso pode esperar.....

Norma disse...

Olá Beatriz.
As dificuldades foram e ainda continuam,Deus sabe até quando...Mas não é motivo para começar uma "divisão" na categoria, realmente queremos pra ontem a solução desse drama,mas temos que confiar em quem está nos representando,claro opinar,acrescentar,mas é um momento de união de forças.Eu dou meu voto de confiança a você.Quero continuar acreditando que faz o melhor dentro do possível e fará muito mais.

Norma disse...

Olá Beatriz.
As dificuldades foram e ainda continuam,Deus sabe até quando...Mas não é motivo para começar uma "divisão" na categoria, realmente queremos pra ontem a solução desse drama,mas temos que confiar em quem está nos representando,claro opinar,acrescentar,mas é um momento de união de forças.Eu dou meu voto de confiança a você.Quero continuar acreditando que faz o melhor dentro do possível e fará muito mais.

botaaguanofeijao disse...

É assim que se faz. Tenho orgulho de ter participado da fundação deste Sindicato.
É gratificante saber que temos à frente companheiros que não esmorecem. Pensam noite e dia novas estratégias para continuar lutando. Lutam sempre se tornando imprescindíveis, buscando na luta até alcançar a vitória.
Avante companheirada!!!

Anônimo disse...

Concordo com vc! Muito bonitas suas palavras... e tento entender o qt deve ser dificil p vc, ter passado por td isso como líder e ainda como vc mesmo, a funcionária q tb esperava por melhoria.
Porém não concordo mt c a ideia do congresso... a não acho q ela atinge o governo q é o alvo... As estratégias devem ser bem pensadas, pois pode parecer não ter importância, mas ano q vem é ano eleitoral municipal, e isso é mt importante p os deputados, pois é uma prévia de outras eleições... Não deixe p pensar numa greve no segundo semestre de novo! Fique c Deus te abençoando, te dando sabedoria e muita força...

Roberto Vieira Cavalcanti disse...

O problema do piso salarial em Minas deve ser tratado especificamente para o caso de Minas. Cada caso é um caso. Cada estado tem um plano de carreira, misturar só servirá para complicar. o plano de carreira em Minas, de certa forma é melhor do que em outros estados, para aqueles que optaram por permanecer no regime anterior, pois além dos quinquenios, bienios e trintenário, para o que tem direito, as progressões horizontais e verticais, são melhores, 3% e 22%?, o que não acontece em outros estados. Além do mais é preciso verificar se a mudança de regime, a partir de janeiro de 2012 é legal.Se for, até lá o piso deverá ser aplicado ao plano de carreira atual.

JOÃO HENRIQUE disse...

É neste momento sim que devemos realizar o nosso congresso, e também a forma de realiza-lo tem que ser diferente sim. Chega de cadernos teses, que não contribui nada para nossa luta, este congresso deve ser pautado em resolucões,decretos e leis para que possamos politizar melhor nossos companheiros e educadores.Além do mais, necessitamos de uma reforma estáturaria o mais rápido possível,porque o que temos de diretores de subsedes que não se aderem a greve e as manifestacões;mais quando aparece seminários e congressos são os primeiros a se inscreverem, isto tem que mudar, além do que , se o diretor(a) não aderir ao movimento decidido pela categoria em assembléia, será automaticamente excluído da direcão da subsede. Além de outras mudancas estáturias.

ERIC BOMFIM disse...

FUI E SOU FAVORÁVEL AO CONGRESSO EM FEVEREIRO, MAS ESPERO ENCONTRAR EM ARAXÁ CARAS NOVAS, TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO QUE ESTEJAM COMEÇANDO NA CARREIRA, É PRECISO REVITALIZARMOS. OS COMPANHEIROS QUE JÁ ESTÃO NA LUTA SÃO FUNDAMENTAIS, MAS PRECISAMOS PENSAR NA FORMAÇÃO DE NOVOS QUADROS PARA QUE TENHAMOS CONDIÇÃO DE AMPLIAR AS AÇÕES NAS SUBSEDES EM TODO ESTADO.

ERIC BOMFIM FONTOURA
DIRETOR DE POLITICAS SOCIAIS
SUBSEDE TEÓFILO OTONI

Anônimo disse...

Nossa Beatriz como eu queria poder contribuir com ideias brilhantes,mas os acontecimentos são tantos que acabo achando que minha ideia é insignificante.Mas tem uma que não sai da minha cabeça.Será que quando formos fazer novos movimentos não daria certo investir em Paracatu, terra de Joaquim Barbosa? é incrivel como um Tribunal Federal deixa este governadozim desrespeitar uma lei federal e ficar por isso mesmo?Joaquim é muito popular em Paracatu, achu até que a mãe dele ainda é viva e vive por lá.Fico na espectativa que isto daria certo, nun sei.Se disse uma bobagem me perdoe.

Maria de Montes Claros disse...

Beatriz, boa noite!
Depois do grande golpe que sofremos, não tive mais vontade de ler nada a respeito desse processo de remuneração imposta por esse desgoverno. Mas, eu te imploro, coloque uma notinha na Tv global dando a resposta para sociedade, principalemente para os pais dos nossos alunos que assistiram e ouviram tantas mentiras sobre a Educação. E por favor não vamos mais falar que a educação foi atingida, só porque o governo não pagou o piso, senão o problema fica só em torno dos educadores. Vamos mostrar para a sociedade o quanto ela perde se continuarmos sob os desmandos desse governo e suas secretárias. Vamos mostrar quantas resoluções já foram publicadas em menos de dois meses, evidenciando o despreparo e ao mesmo tempo o descaso "deles" para com o destino da Educação Mineira. E se a rede globo se recusar a publicar o que o sindicato pede, é só denuciá-los, já que eles defendem a liberdade de expressão. E se o problema é falta de dinheiro, eu e muitos que estiveram e continuam nessa luta, vamos contribuir!

iraides madeira disse...

Espero que no Congresso do Sind Ute o cartaz dos traidores da Educação sirva como mural de comunicação. Espalhem por todos os lugares onde houver reunião ou conferência.
Iraides Madeira
Uberaba

Anônimo disse...

EI BIA CADE VC? ESTÁ SUMIDA, ESTAMOS COM SAUDADES, AFINAL UMPOVO SEM LIDERANÇA PODE SE PERDER, VOLTA LOGO, POIS PRECISAMOS DE ORIENTAÇÕES!!!!!bJOS!!!!!!!!!!! CADE A MULHER GUERREIRA QUE TANTO APRENDEMOS ADMIRAR.