quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Avaliar para continuar

O ano de 2011 terminou com a categoria sem o Piso Salarial e um acordo descumprido, vivenciando desrespeito e desvalorização.
Paulo Freire nos ensinou a permanentemente refletirmos sobre a nossa ação e assim sermos capazes de novas ações.
O que explica a atual situação dos profissionais em educação depois de tanto esforço, de tanta luta coletiva?
A cada dia fica mais claro o objetivo do governo mineiro (ou de parte dele) que é a destruição da organização sindical que foi capaz de manter sua autonomia e coordenou uma luta para tentar tirar da situação de empobrecimento uma categoria que ano após ano tem sido desvalorizada pela gestão do PSDB em Minas. Por isso tantas ações para tentar desacreditar o nosso sindicato. Seremos capazes de enfrentar com unidade e inteligência estas estratégias? Este é o desafio para o início de 2012.
Vi sendo contruída a idéia de "incompetência" no campo jurídico. Construção que começou pela Secretaria de Estado da Educação em notícia postada em seu site e acho que o governo está ganhando nesta estratégia.
Quando defendi a realização do Congresso no início do ano argumentei para a sua realização a conjuntura que viveríamos: a organização do quadro de escola sem diálogo com a categoria, a jornada do professor sem definição, um novo formato para o Ipsemg, a categoria sem Piso Salarial. É o que está acontecendo. O Congresso é o espaço para discutir, encontrar pessoas de todas as regiões do estado, pensar coletivamente. Claro que a sua realização não exclui ações que já foram definidas em outros campos como o jurídico, mas é um espaço importante, pensado em outra lógica: sempre fizemos congresso como política interna do movimento, espaço para disputa pré eleição do sindicato. Agora, a lógica proposta é como política externa, de luta pelo Piso Salarial e pela carreira. Pode dar certo ou errado, como qualquer estratégia que é pensada. Após ver a reação dos grupos que são oposição à direção do sindicato, refleti se de fato estaríamos corretos nesta proposta. Acredito que estamos por tudo o que já escrevi a respeito.
Após a votação na Assembleia Legislativa realizada no dia 23 de novembro, me perguntei várias vezes se valia a pena continuar. O ano de 2011 nos ensinou várias lições entre elas a importância da unidade. Vários colegas tiveram novo corte de salário enquanto outros estão de férias. Vários lutaram por 112, ou 111 ou 110 ou quantos dias deram conta. Outros trabalharam normalmente como se a reivindicação da greve não os fosse atingir. Mas no momento de retirar direitos, o governo mineiro não fez distinção: retirou direito a biênio, quinquênio, trintenário, aulas facultativas, extensão de jornada, gratificações de todos e todas. independente de ter participado da greve. Espero que os colegas que não estiveram na luta em 2011, estejam conosco este ano.
As idéias não parecem muito alinhavas nesta primeira postagem de 2012, mas era o que gostaria de partilhar. Gostaria que soubessem que neste ano lutaremos para que tenhamos um ano de conquistas, um sindicato cada vez mais forte e representativo.
Vale a pena continuar, não por projetos pessoais, mas por um projeto coletivo de termos uma sociedade mais justa, o que não pode ocorrer sem a valorização do profissional da educação.

43 comentários:

Anônimo disse...

Bia,realmente enquanto os profissionais da educação não se unirem ficará muito difícil conseguirmos o piso. Eu fiz 112 dias de greve e ainda estou repondo todos os dias na minha escola. Acredito que é a maneira de dar satisfação para a minha comunidade e os alunos.
Sei que não é fácil, mas temos que continuar lutando, buscando, conquistando...Ah! to pronta para continua na luta.
Amplexos,
Elenice Vidal Prata

Anônimo disse...

Bia, voce leu a carta que a Ana Lucia Gazola deixou no www.educacao.mg.gov.br Nela ela assegura que sera respeitado 1/3 da carga horaria. Nao entendi, o que foi colocado na resolucao 18 aulas por cargo ...

Angela disse...

Beatriz poderia me informar se a carga horária do professor esse ano é de 1/3.... ninguém sabe explicar...

Anônimo disse...

Cara Bia,
De vc não tenho o que reclamar.É muito competente em tudo o que faz,além de ser muito carismática,atributo, que considero importante para um líder!Entretanto,devo dizer que no campo jurídico o nosso sindicato falhou muito.Todas as ações que nós perdemos,me descupe,foram por imcompetência do setor jurídico do sindicato.Entrar com ação pedindo a inconstitucionalidade do subsídio é erro primário,porque até eu que não sou advogada,sei que subsídio é constitucional.O que nós devemos pedir ao STF,através de um mandado de segurança, é o direito de escolha entre subsídio e vencimento básico,porque o governador não pode nos obrigar a ir para o subsídio.Agindo assim,ele está agindo como um árbitro e não como um administrador público.Outro erro gravíssimo foi o Sindicato permitir a redução do salário de quem optou pelo vencimento básico.O governador usou e abusou deum artifício para burlar a lei,na verdade,ele não nos deu o direito de escolha,ele fez uma pressão psicológica,agiu de má fé com os servidores.Milhares de servidores optaram pelo subsídio para não perderem o aumento de 5%.Eu conheço,no mínimo, três pessoas que não quiseram que seus salários fossem reduzidos.Resumindo,não houve direito de escolha,o servidor foi coagido a fazer uma opção que,talvez,não fosse do seu agrado.

Anônimo disse...

Vamos Pessoal para ARAXÁ!
Esta é a nossa chance de unir forças e garantir uma luta mais eficiente neste 2012.
ESPERANÇA É A ÚLTIMA QUE MORRE!
Abraços

Anônimo disse...

QUE VERGONHA, GOVERNADOR!
Hoje no jornal da Record - Mauro Tramonti, foi mostrado a realidade do Hospital do IPSEMP em Belo horizonte. Casos assim acontecem sempre.
Temos que mostrar mesmo, pois pagamos caro por um sistema de sáude totalmente PRECÁRIO.
Para onde vai todo o envestimento que pagamos a anos ao IPSEMG? Ainda tem cartazes nos postos do Ipsemg que eles estão buscando a excelência.Rsrsrsrs

Anônimo disse...

Oi Bia!
Já estava sentindo o seu silêncio mas, entendo se faz necessário parar, descansar, refletir os acontecimentos. Ninguém é de ferro dois anos consecutivo de greve não é mole! Buscar a unidade é fundamental, escutar as bases,analisar o sofrido contexto que estamos vivendo na Educação.
Acredito no seu trabalho e vamos em frente!
L. Aparecida(ATB)

Professora disse...

Que bom ter você de volta, a sua palavra e a sua presença. Apesar de todas as críticas feitas acredito que só conseguimos lutar e resistir o quanto lutamos e resisitimos porque você esteve à frente da coordenação da nossa luta. Quem está a mais tempo sabe do enfraquecimento, descrédito, falta de motivação a que chegamos durante os últimos anos desse governo maldito.

No entanto, o governo também resistiu, ele escancarou para todo mundo que no seu projeto não existe escola pública de qualidade, mas apenas uma maquiagem e a falsa impressão de que em Minas se investe em educação.

Está claro para todos que o PSDB não tem política para a classe trabalhadora, nem de valorização, nem de escola boa para os filhos dos trabalhadores.

Diante dessas verdades a palavra é: resistir e lutar. Chegamos até aqui, arrebentados, humilhados... mas nunca, jamais derrotados!

Que estratégias usaremos? Temos que nos reunirmos mesmo. O jurídico continua trabalhando e não depende de nós para isso, depende de esforço, dedicação, competência e isso eu acredito que tem.

O mal do nosso país chama-se: PSDB. Eles estão loucos, é claro, porque faz tempo que não colocam suas mãos sujas atuando no governo federal e a cada dia perdem mais credibilidade, são retiradas suas máscaras de bonitinhos.

A democratização no nosso país precisa acontecer de forma mais eficiente e maciça. Estamos contribuindo com isso. Há resquícios fortes da ditadura militar em todos os lugares do mundo e é preciso bani-los definitivamente para que tenhamos um mundo melhor.

Com greve, sem greve, sejam quais forem as nossas estratégias, estejamos unidos e fortes. E não esqueçamos jamais: Deus caminha conosco!

Anônimo disse...

Beatriz
É natural que aja conflito de idéias. É importante a crítica ao sindicato para que ele possa analisar suas estratégias que até o momento há que se admitir não nos trouxeram conquistas.Estamos vivendo os piores momentos e precisamos escutar a categoria.Sei que é interesse deste Governo desestabilizar o sindicato e por isto é preciso que esteja atenta as nossas demandas que são muito justas. Afinal houve um revertério e depois de uma mobilização tão forte como foi esta greve chegamos ao ponto de perdemos não só o piso mas também sonhos e esperanças.É muito importante pensarmos que o mundo mudou e que não podemos ficar insistindo em agir sempre da mesma forma. Há que se criar novas alternativas, precisamos de encontrar saídas criativas e isto se encontra escutando as idéias que a categoria têm para oferecer.Na sua visão o congresso pode servir para isto mas já estamos a quanto tempo sem fazer nada.Esperar fevereiro? Porque o sindicato não convida os professores para buscarmos juntos novos modos de agir? Dê espaço para sugestões e idéias novas.Assim estará fortalecendo o sindicato que está necessitando urgentemente repensar sobre suas ações.Não temos tido nem resposta aos emails que enviamos solicitando informações.Todos estão de acordo que precisamos enfrentar este governo nos tribunais e para isto é imprescidível a contratação dos melhores juristas do pais.Temos que ser muito bem orientados. Fomos todos ingênuos ao achar que estávamos com a causa ganha pois a lei nos protegia.No entanto está aí o resultado. Não podemos negar que falhamos neste sentido.Estamos lidando com pessoas perversas e isto eu alertei aí no jurídico do sindicato e a resposta que tive foi:mas é lei e o governo não tem como escapar disto. E escapou. Arranjou uma brecha jurídica e ficamos a ver navios depois de tanta luta.
Estamos em pleno século XXI, em plena globalização com as instituições desacreditadas mas nunca tivemos em todos os tempos uma categoria tão mobilizada e tão disposta a mudar os rumos da história.E o sindicato precisa fazer um bom uso disto. Precisa abrir espaço para o surgimento de novas idéias. Vamos fortalecer o sindicato mostrando a toda esta categoria sofrida que estamos no rumo certo atuando de acordo com o que a realidade nos apresenta.Com este governo aí espertalhão como é não podemos nos dar ao luxo de ficar aguardando os acontecimentos. A experiência tem nos mostrado que enquanto estamos a lamentar, gritar e aguardar ele age.Portanto entremos nesta guerra sem subestimar o adversário. Precisamos agir antes que ele o faça. Esta é a lição que devemos aprender.Se temos um governo tão "forte' por ser sem escrúpulos temos a força de uma categoria disposta a lutar.Cabe ao sindicato saber acolher a força que a categoria oferece.
Você é uma guerreira e acredito que vai conseguir.
Um forte abraço

Professor Luiz Antônio Jr disse...

Aprendi muito no ano que se passou. principalmente, a separar o joio do trigo. Como na concepção religiosa a transposição para a realidade é bastante oportuna. Ambas plantas crescem até determinado período idênticas; diferindo, porque a segunda dá frutos e o seu peso faz com que incline-se um pouco ao solo. É nesse momento que o agricultor zeloso retira a erva daninha quando está ereta e ao vento. Traduzindo, unidade sim até o ponto possível. Depois, é hora de discernir com quem ombreamos o caminho de lutas. Desculpe-me a insistente lembrança. Contudo, os diretores que não cumpriram suas funções sindicais no ano passado devem pronunciar qual será a postura em 2012. Você bem que poderia vir para o campo de lutas a partir da base. Acompanhei o seu esforço pessoal para manter coerência e responsabilidade. No entanto, entre os "parceiros" o joio grassa e esta erva daninha pode contaminar a sua boa vontade de servir à categoria. Estas mal traçadas linhas são para colaborar e provocar reflexão e análise de sua parte. Bom trabalho e boa assepsia estrutural. "Só a luta muda a vida". Não é mesmo...

Ana Paula disse...

BIA,
NA MINHA OPINIÃO O SINDICATO CONTRIBUIU MUITO PARA TODAS AS CRÍTICA FEITAS PELA CATEGORIA. VCS NOS ABANDONARAM. ESTAMOS SEM DINHEIRO E SEM ORIENTAÇÃO. SEGUIMOS TODAS AS ORIENTAÇÕES DO SINDICATO E QUANDO VIERAM AS RETALIAÇÕES VCS SUMIRAM, NOS ABANDONARAM. ESTAMOS QUASE SEM SALÁRIO NOVAMENTE, DESCONTARAM MUITO MAIS QUE PAGARAM. CADÊ O SINDICATO? NINGUÉM PARA AJUDAR. NÃO ESTÃO PAGANDO SÁBADOS, DOMINGOS, RECESSOS, FERIADOS, MÓDULOS, OPERAÇÃO TARTARUGA(DESCONTO INTEGRAL). NINGUÉM NO SINDICATO PARA NOS ESCLARECER. A INSPETORA FEZ UMA REUNIÃO NA MINHA ESCOLA, DEVIDO A INSATISFAÇÃO DO PAGAMENTO DA REPOSIÇÃO. ELA SÓ FALA DOS NOSSOS DEVERES. PERGUNTEI SOBRE OS NOSSOS DIREITOS: FÉRIAS DE 30 DIAS, DESIGNADOS TRABALHANDO SEM CONTRATO, RECEBER COMO COMBINADO. A RESPOSTA DELA FOI: ESSE ANO FOI ATÍPICO, ENTÃO NÃO TEREMOS FÉRIAS; DESIGNADOS NÃO PRECISAM DE CONTRATO,POIS ESTÃO COBERTOS POR 1 ANO CASO ACONTEÇA ALGO (COLEGA COM DENGUE RECEBEU FALTA, POIS NÃO TEM CONTRATO); ELA IA VER PQ NÃO ESTAMOS RECEBENDO FINAIS DE SEMANA; QUE A OPERAÇÃO TARTARUGA, NÓS FOMOS ESCUTAR O SINDICATO DEU NISSO, POIS TINHA QUE DAR 3 AULAS DE 50 MINUTOS E NÃO 5 DE 35, ENTÃO LEVAMOS FALTA. MAIS UMA VEZ NINGUÉM DO SINDICATO PARA RESPONDER. ENTREI COM 3 PEDIDOS DE AÇÃO NO SINDICATO E ATÉ HJ NADA. VAMOS TER UMA SEMANA DE FÉRIAS EM FEVEREIRO E SÓ. NEM RECESSO VAMOS TER. NÃO TEMOS DINHEIRO PARA COBRAR OS NOSSOS DIREITOS NA JUSTIÇA. NO SINDICATO AS AÇÕES NUNCA ENTRAM. E AI? NÃO DÁ PRA DESACREDITAR?

Letícia disse...

Que bom que está de volta!
A resolução 2018 foi publicada no sábado de 07/01/2012. Estamos com inúmeras dúvidas em relação a distribuição de turmas e extensão de carga horária.
As escolas já estão convocando os professores para a distribuição e a resolução não deixa claro se na escolha o efetivo nomeado está em pé de igualdade com o efetivado pela LC 100. E mais não deixa claro se o efetivado pela LC 100 teve sua carga horária ampliada, pois não consta que ele deve primeiramente assumir a quantidade de aulas que tinha quando foi efetivado. Por favor, abra um espaço para tirarmos dúvidas.
Letícia

Anônimo disse...

Gostaria de saber que providências um efetivo deve tomar se perder a prioridade de escolha de turmas e/ou turno para um efetivado?

Cintia disse...

Olá Beatriz,
Creio que o Congresso possa servir para reavaliar as ações do sindicato e quais os grupos que poderemos contar. Sabe que faço da Subsede de Poços e como tal, tenho que lhe dizer que a maior dificuldade encontrada por nós para 2012, será com quem iremos contar? Os "bons de luta" estão se aposentando e não estão mais dispostos a entrarem em greve e paralisações, principalmente, após essa derrota do Piso e a perda de direitos. Os efetivados, ficaram felizes em suas condições, e com esse quadro de Pessoal e a fala da Cleonice da APPMG, a maioria concordou que, a proposta do governo ainda era melhor do que lutar por um Piso, que eles não acreditavam que o governo iria cumprir. Por isso, repensarmos sobre com quem deveremos contar em 2012, é essencial e termos ações pontuais, que demonstre ainda para a categoria a posição do sindicato e sua força.Pois, tanto voce quanto eu, sabemos bem, que há tempos não temos tido ganhos reais contra o governo. Cada acordo feito, são "migalhas" ou segundos pontos que colocamos como vitória. Cada vez mais, está sendo dificil demonstrar a força da instituição, principalmente, para com aqueles que participaram e ainda participam do Sindute, desde sua fundação.
Abraços

Paulo César disse...

Beatriz, a guerreira de sempre, que deve ser seguida pelos professores de Minas, conscientes de que a educação é a vida não só dos operários do ensino, mas também das famílias que querem que seus filhos tenham um princípio honesto e seguro para serem homens e mulheres que possam dar um novo rumo para este País tão explorado, tão desvalorizado e tão corrompido. A luta pelo piso salarial é o princípio de tudo que precisa ser mudado. Sem isso pelo menos para dignificar os professores na sua luta, nada mudará na educação brasileira. E não mudando nada na educação, nada mudará nesse País para melhor. Continuaremos a ser resignadamente um país do terceiro mundo, submisso à ditadura econômica de outros países melhores preparados. Somente com a elevação da cultura brasileira pela valorização da educação que poderemos construir valores mais sólidos e edificantes como povo que tem orgulho e dignidade de ter uma cultura honrada. Caso contrário, permaneceremos com todos os problemas do terceiro mundo, porque não seremos capazes de resolvê-los por falta de competência intelectual.

É inegável que o Brasil teve um desenvolvimento econômico bastante significativo na área social e na produção de bens materiais de mercado, mas isso não basta para garantir a evolução do povo brasileiro em termos culturais e estabilizar seu crescimento econômico. Ciranda financeira sempre sobe e desce, mas manter a capacidade de dar a volta por cima, sempre que for necessário, só é possível se houver evolução de conhecimento e apropriação do saber autêntico para produzir o que é nosso de verdade. A liberdade plena de muitos povos foi conseguida pela própria disposição em construir uma identidade forte como nação e como povo nas suas produções culturais. Um povo ignorante sempre será presa fácil do domínio e da exploração interna e externa. E se o povo não exigir educação de maior qualidade, o governo não tomará essa iniciativa por parte do povo, porque os interesses neoliberais que assola o mundo hoje é interesse de Estado, que se preocupa apenas em cuidar da estratégia de perdas e ganhos econômico-financeiros à custa da exploração do trabalho da população, e não de cuidar do bem-estar e do desenvolvimento cultural do povo.

Anônimo disse...

Beatriz, precisa dizer dentro do que se puder dizer, o que o Sindicato já está fazendo para reverter o atual quadro, porque o que vemos por alguns blogs é uma quantidade enorme de pessoas chateadíssimas, indignadas e até revoltadas por ter passado de uma ano para outro sem ter informações. Sei que as pessoas são até precipitadas, mas quando não se tem informação alguma, abre-se brechas para se fazer qualquer conjectura. Então seria bom que vocês, da diretoria, esclarecessem algumas coisas que já estão sendo feitas, pois os filiados estão considerando que nada foi feito, desde a última reunião que houve em dezembro.Aguardamos um pronunciamento de vocês, exatamente para que não haja desconfianças e nem uma ideia de desmoralização do Sindicato, pois conforme você mesma disse em seu texto, precisa haver unidade!

Anônimo disse...

Beatriz

Suas palavras me deram força pra continuar a luta e me encheu de orgulho por estar neste momento repondo nossa greve de 112 dias.

Abraços

Léa

Anônimo disse...

A 1ª conquista nesse momento de 2012 é rever a Resolução que acabou com o efetivo concursado de acordo com a Constituição Federal.Não podemos iniciar o ano letivo com mais esse desrespeito do governo, queremos uma resposta do nosso Sindicato.

Anônimo disse...

Beatriz,

Parabenizo-lhe pela sua grande luta em prol da valorização dos servidores da educação. Por outro lado acredito que o Sindute se equivocou ao aceitar passivamente a ideía do subsídio lá no início, quando surgiu esse projeto do governo, nas primeiras reuniões. Acho que no início o sindicato pensou que seria um avanço.
Outro ponto, talvez o que fez o sindicato perder muita credibilidade perante a sociedade e muitos servidores da educação, foi defender a LC 100, lutando para que os efetivados tenham os mesmos direitos dos efetivos. Isso é algo inconstitucional, está muito claro na constituição e LDB a obrigatoriedade de concurso público. São quase 100 mil pessoas "entrando" no estado sem concurso público. Algo impensável e contra a legislação vigente. As pessoas de uma forma geral não entendem isso e o posicionamento do Sindute. Mas claro que o sindicato tem lutado por melhorias e o seu trabalho tem sido muito árduo, enfrentando o poderoso governo. Parabéns pela luta.

Felipe disse...

Beatriz,

Sou efetivo, nomeado no último concurso público. No entanto, tomei posse na área rural da minha cidade e só fui removido em 2008. Portanto, fiquei prejudicado pela ultima resolução na hora de escolher turmas, pois efetivados escolheram antes de mim. Nada contra eles, mas lei é lei e direito é direito. Estou pensando em entrar na justiça. Quero saber o que você pensa disso, se acha que vale a pena e se sabe se tem colegas na mesma situação minha e o que vão fazer. Talvez me coloque em contato com eles. Obrigado.

Anônimo disse...

Oi, Beatriz!
Gostaria que vc me informasse sobre uma questão, já que não consigo informação na escola onde trabalho. Fui escolhida pela comunidade escolar para assumir a direção, porém hoje, dia 12/01, saiu a nomeação de ´diretiras de várias escolas da minha cidade e não saiu da minha escola. Estou preocupada... Por que isso aconteceu? Vai sair a nomeação? Por que a demora do governo? Obrigada.

tais.assessoria.imprensa disse...

Beatriz, parabéns por sua coerência na luta pela educação e justiça social no Brasil.

Como dizia Paulo Freire: Se, na verdade, não estou no mundo para simplesmente a ele me adaptar, mas para transformá-lo; se não é possível mudá-lo sem um certo sonho ou projeto de mundo, devo usar toda possibilidade que tenha para não apenas falar de minha utopia, mas participar de práticas com ela coerentes.

Raimundo Santos disse...

Cara Beatriz,

parte do que você diz é verdade. Entretanto, é preciso entender que a desvalorização da educação no Brasil e, em especial, em Minas Gerais, não se particulariza ao PSDB. De fato, toda essa corja de safados e bandidos travestidos de políticos sempre esteve e sempre estará contra a educação e os professores. Temos um exemplo claro desta realidade no Rio Grande do Sul. Os professores lá estão sendo igualmente massacrados pelo governo do PT, da mesma forma que o eram pelo governo do PSDB. Portanto, está mais do que na hora de entendermos que este problema é bem mais amplo, não se restringindo a apenas um ou outro partido. O problema nosso é o sistema político brasileiro, que é sujo, corrupto, viciado e viciante. Só teremos mudanças substanciais a partir de uma reforma política urgente. Hoje, não basta mais apenas votar, pois estas sanguessugas "lesa-pátria" são todas farinha do mesmo saco sujo, e somente buscarão seus interesses escusos. Por isso, sempre fui contrário ao atrelamento do Sindute-MG com qualquer denominação política, neste caso, o PT, pois também estes, poucos têm feito para que tenhamos uma educação de qualidade e um país mais justo. Eles sobem nos palanques do Sindute-MG apenas para transformá-lo em plataforma política, buscando a reeleição às nossas custas. Quando chegam ao poder, fazem a mesma coisa, conforme temos visto acontecer no Rio Grande do Sul e em outras partes do Brasil, e aqui mesmo em Minas Gerais.

Atenciosamente,

Raimundo Santos
Professor da Rede Estadual - Belo Horizonte-MG

P.S. Talvez você não publique meu comentários, mas certamente você refletirá sobre esta verdade.

Júlio César da Silva disse...

Realmente é urgente que façamos uma avaliação de tudo que aconteceu em 2011. E acredito que muitos do que participaram das atividades do ano passado esperam esse momento. Por isso acho também que um Congresso seria o espaço para fazermos tais questionamentos para podermos ousar mais 2012.
Júlio César - Divinópolis

Júlio César disse...

Realmente é urgente que façamos uma avaliação de tudo que aconteceu em 2011. E acredito que muitos do que participaram das atividades do ano passado esperam esse momento. Por isso acho também que um Congresso seria o espaço para fazermos tais questionamentos para podermos ousar mais 2012.

Beatriz Cerqueira disse...

Prezado Felipe,
desde dezembro o sindicato tenta uma reunião com a Secretaria de Educação para discutir o quadro de escola. A Secretaria optou por publicar a Resolução sem qualquer diálogo com a categoria. Reiteramos o nosso pedido de reunião e foi agendada para o dia 27/01, que não descarta o questionamento judicial. A Resolução tem outros problemas. Como esta é uma situação que estamos discutindo internamente, sugiro que aguarde até a próxima semana.
Atenciosamente,
Beatriz

Anônimo disse...

Beatriz,

O anônimo está chamando a todos para ir no congresso.Será que você poderia nos informar como podemos fazer para ir? Nunca participei e gostaria de participar nesta vez.Tem inscrição?O sndicato banca?Já temas datas definidas?
Sou sindicalizada a 30 anos.
Aguardo resposta.

Beatriz Cerqueira disse...

Prezada colega,
a ata de eleição de delegados está disponível em nosso site, página principal, na matéria Sind-UTE organiza luta pelo Piso Salarial. Lá estão todas as orientações. Qualquer dúvida, faça novo contato.
Abraço
Beatriz

César Pedroso disse...

OI,
querida Bia, "cara bi(n)a da cidadânia!!!
Queridos amigos, companheiríssimos educadores das minas, e, tbém dos caras, e, tbém dos gerais...
Dois e mil e doze com muita força, luta e conquistas pra educação do país....
um beijão pra todas e todos....
Vamos lá, a briguinha só tá começando....
tudo de bom pra todos e vamos lá mudar esse país....

Anônimo disse...

Acho que a luta foi amais forte que já tivemos,mas enquanto a "categoria" não se unirem de norte a sul do Estado vai ser dificil. Mas tbém em relação ao desamparo da Sindute no caso da reposição de quem estava de ferias premio, licença saude e.. tivemos que repor por puro autoritarismo do nosso governador porque se não responderiamos processo administrativo, a Sindute não fez nada que eu saiba, porque tive que repor.Estou descrente de tudo, tanto na profissão e emtudo que relacione este assunto.

Tina disse...

Você disse que desde dezembro tentam uma reunião com a Secretária da Educação e só conseguiram para o dia 27/01.Será que a categoria não poderia ter sido comunicada e ajudado,através das redes sociais,pressionando para que o sindicato fosse recebido em dezembro mesmo? Por que só agora ficamos sabendo disso???
Pena que desde nos últimos sessenta dias,muito pouco foi comunicado à categoria,ou melhor,nada!!!

Beatriz Cerqueira disse...

Prezada Tina,
Desde o dia que solicitamos a reunião com a Secretaria a informação foi colocada na página principal do site do sindicato com o título "Sind-UTE solicita reunião para discutir quadro de escola, critérios de designação e jornada no professor." E esta informação ficou na página principal do site até outro dia, e permanece lá na parte de notícias. Além disso, o ofício pedindo a reunião e a resposta da Secretária também estão no site, na página principal. As subsedes do sindicato também receberam estas informações. Fazendo uma retrospectiva dos últimos 60 dias como você disse, o sindicato investiu em mídia paga nos jornais Estado de Minas, Super, Hoje em Dia, O Tempo, Correio Brasiliense, Folha de São Paulo, Aqui para informar sobre o projeto de lei enquanto ele ainda não havia sido votado. Foram produzidos 5 boletins informativos que são enviados por email a todos cadastrados pelo site do sindicato. e ficam disponíveis no site. Investimos numa tiragem de cerca de 500 mil boletins com entrega em todas as regiões do estado no mês de dezembro. Este foi parte do investimento em comunicação nos últimos 60 meses feito pelo sindicato.
Atenciosamente,
Beatriz

Beatriz Cerqueira disse...

Prezada colega (postagem de 12/01, 18:38),
concordo com a sua avaliação. Também avalio que não demos conta de proteger todas as situações relacionadas à reposição. No momento que sentamos à mesa com a Secretaria para estabelecer alguns parâmetros para a reposição (dia 19/10), a maioria dos colegas já estava repondo e isso foi jogado na mesa. A orientação do sindicato era aguardar a negociação para termos um parâmetro único e força no processo de negociação mas grande parte da categoria já havia começado a reposição. Conseguimos preservar algumas questões e outras não. Quando veio o primeiro salario com erros e cortes, a direção do sindicato propôs a suspensão da reposição mas fomos criticados e na reunião do Comando de Greve, os representantes das regiões avaliaram que a suspensão não iria acontecer. Mas mesmo com esta conjuntura conseguimos preservar o direito de aposentadoria (que em 2010 não foi preservado) e a manutenção das férias-prêmio publicadas, entre outras questões. Mas concordo com você que este processo todo foi muito difícil.
Atenciosamente,
Beatriz

Anônimo disse...

Beatriz,
Como você diz: avaliar para continuar eu fico pensando que já podemos e devemos fazer esta avaliação e não precisamos esperar congresso para isto. Fazer avaliação é reconhecer onde erramos ao invés de ficar buscando justificativas.Só reconhecendo poderemos mudar ao invés de ficar repetindo os mesmos erros.
Não podemos errar mais. A situação é muito grave. Por isto faço aqui a minha avaliação:
1)Faltou orientação jurídica sim.Se estivéssemos bem orientados juridicamente talvez teríamos evitado o subsídio II. Naquelas reuniões enganosas com o governo seria necessário o acompanhamento de um advogado de peso. Continuamos sem saber se a demanda da grande maioria da categoria pela contratação dos melhores juristas do país vai ser ou não atendida pelo sindicato.
2)Morosidade do sindicato nas ações.Enquanto ficamos aqui pensando, aguardando, o governo está articulando contra nós.Foi assim e a próxima vai ser o IPSEMG.
3)Ingenuidade de todos nós ao achar que só a greve bastaria.Não basta mais.
4) Faltou empenho da CNTE. Aguardando não sei o que. Porque não articulou greve geral quando vários estados estavam já mobilizados? Falta agilidade.
5)A categoria precisa sim ser escutada para que o sindicato tenha força.Muita gente querendo desfiliar porque não tem resposta a suas demandas.
E por aí vai. Não adianta ficar só acusando o governo.As denúncias são muito necessárias mas não são suficientes se não tivermos bem articulados e bem orientados.
Portanto vamos a luta sabendo que outras ações são necessárias.

marileide alves pinheiro disse...

Bia, quero participar do Congresso de Araxá. Infelizmente não conseguimos chegar em Ouro Preto no ano passado por conta daquele acidente...
Mas, pode ter certeza que estarei firme e forte em ARAXÁ. RECUPERANDO...
Desejo a você, Bia e a todos os companheiro muita força em 2012.
Abraços. Marileide - Taiobeiras

JOÃO HENRIQUE disse...

Cara Bia, espero que seu fim de ano tenha sido maravilhoso. Bia devemos sim lutar para que a lei do piso seja cumprida e para tanto temos que conseguir que seja colocado um aditivo na lei em que os estados e municípios são obrigados a cumprir a lei do piso nacional, caso contrário não receberão o fundo de verbas de municípios e estados da exploração de minérios e do pré-sal; tais como outros benefícios que puderem ser bloqueados pelo governo federal. As nossas leis são muito bonitas, e bem feitas mais não tem punição nenhuma para quem( gestores e políticos de maneira em geral) não cumpri-las. Temos que mudar esta postura e fazermos que sejam cumpridas tais leis .

Beatriz Cerqueira disse...

Prezada Ana Paula,
em relação às questões que abordou, achei importante respondê-las numa postagem, porque elas abordam várias questões que precisam ser debatidas.
Atenciosamente,
Beatriz

Beatriz Cerqueira disse...

Prezada Ângela,
a questão do 1/3 da jornada não foi regulamentada pelo governo do estado e, de acordo com a Resolução 2.018/11 artigo 49, está em estudo. Estamos cobrando reunião com a Secretaria para discutir esta questão.
Atenciosamente,
Beatriz

Maria Emília disse...

Beatriz,
Continue de cabeça erguida.
Deus dê proteção física e espiritual a você e toda sua família, Livrando-os de todo os perigos e adversidades da vida, mantendo -os firmes na fé.
Estou rezando para que te dê toda segurança do mundo e retire a angústia de seu coração, trazendo mita confiança dentro de seu peito.Você é iluminada e a sabedoria do Divino Espírito Santo continuará sendo sua companheira.
Peço ainda para que coloque um anjo ao seu lado e de cada um do setor jurídico e do comando de greve.Nossa luta está recomeçando
A verdade que foi dita é o nosso clamor e não pode se transformar em calúnia. Se você não estivesse incomodando eles não teriam tentado te deturpar no site oficial.Eles estão querendo enfraquecer nossa categoria pois estamos incomodando.
Nossa luta é e foi justa.
Quem luta por justiça sofre todo tipo de injustiça pois incomoda as estruturas da classe dominante.
Nossa classe não pode cair neste golpe baixo. A tentativa deste governo , ao tentar atingir sua pessoa é de enfraquecer o sindicato.Já fizeram isto com vários líderes políticos.Se cada companheiro não entender esta artimanha ele terá mais uma vez conseguido atingir seu objetivo sujo.
Este não é o momento de divisão da categoria, mas de união.
Continue com sua alegria , serenidade,competência e fé. Esta será a maior arma contra o inimigo.
Nosso Divino Pai eterno sabe que você e nosso sindicato são nossa voz que clama no deserto.
abraço,
Maria Emília

MILMAR BENTO disse...

MILMAR BENTO
O CONGRESSO EM ARAXÁ FOI MUITO BOM PROVEITOSO P/ O COLEGA Q/ FOI NO INTUITO DE PARTICIPAR, OUVIR E ENGRANDECER SUA POSTURA EN RELAÇÃO A EDUCAÇÃO QUE ESTÁ DEIXANDO MUITO A DESEJAR POR CAUSA DA DESUNIÃO DA PROPRIA CLASSE.VÁRIOS TEMAS IMPORTANTES FORAM DISCUTIDOS PENA Q/ O TEMPO FOI CURTO E CORRIDO, DEVIDO A QUESTÃO DOS HOTEIS LONGE, E A QUESTÃO DAS IMENSAS FILAS DO ALMOÇO MAS ISSO SÓ É UM DETALHE PARA QUEM JÁ ENFRENTOU COISAS PIORES, COMO DORMIR EM "ESCOLAS" NO "CHÃO", ESTAMOS HOJE MUITO BEM GRAÇAS A DEUS. INFELIZMENTE EU PERCEBI UMA CERTA DIVERGÊNCIA NAS IDÉIAS, TENHO CERTEZA Q/ FOI DEVIDO O TEMPO CORRIDO.UMA QUESTÃO FOI VOTADA PELOS DELEGADOS E ACHEI BEM PENSADA E COM MATURIDADE: QUE OS CONSELHEIROS E PESSOAL DA DIRETORIA DAS SUB SEDES DEVEM DÁ EXEMPLO DE LUTA E CIDADANIA E NÃO FICAREM ATRAPALHANDO O MOVIMENTO, NOSSA LUTA "FURANDO GREVE E PARALIZAÇÕES, PARA NOSSA CATEGORIA É UM PONTO NEGATIVO, ESPERO QUE AGORA ESSES REPRESENTANTES SE CONSCIENTIZE DO SEU PAPEL POIS NÃO SÃO CRIANÇAS E DEVE SER EXEMPLO P/ A CATEGORIA.AMEI ESSA DECISÃO.ACHO QUE O NOSSO SINDICATO DEVE SE UNIR MAIS E ACABAR COM BOBAGENS QUE NÃO LEVA A NADA... FUI NO CONGRESSO NA EXPECTATIVA DE OUVIR MAIS, DISCUTIR SOBRE O PISO SALARIAL, MAS INFELIZMENTE FOI MUITO POUCO DEBATIDO SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE PRESSIONAR ESSE NOSSO GOVERNADOR. ESPERO QUE O SINDUTE, FAÇA UM MOVIMENTO GERAL COM TODAS AS CIDADES DE MINAS GERAIS PARA DISCUTIR E TRAÇAR METAS P/ PRESSIONAR E FAZER O GOVERNO CUMPRIR A LEI, POIS ELE É UM FORA DA LEI.NO MAIS A CONFRATERNIZAÇAO DO SABADO FOI MARAVILHOSA, PERFEITA A DIRETORIA GERAL ESTÁ DE PARABÉNS POIS NOS SURPREENDERAM.ESPERO QUE A LUTRA PARA A PRESSÃO DO PISO SALARIAL ESTÁ APENAS COMEÇANDO. NOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO ESTAMOS AGUARDANDO AS PROXIMAS ESTRATÉGIAS DE PRESSIONAR O "TAL" PATRÃO SOBRE O PISO SALARIAL DO PROF. NACIONAL.
AINDA ESTOU MUITO TRISTE COM O ACIDENTE COM A DELEGAÇÃO DE BETIM E QUE JESUS DÊ O CONFORTO PARA A FAMÍLIA QUE PERDERAM ENTES QUERIDOS ABRAÇOS FRATERNOS.MILMAR BENTO DOS SANTOS/ JANAÚBA/MG

MILMAR BENT disse...

MILMAR BENTO
BEATRIZ, TE ACHO UMA PROFISSIONAL SEGURA, COMPETENTE E FIRME NAS SUAS DECISÕES ENQUANTO NOS REPRESENTA, QUERO AGRADECER POR ISSO. PENA QUE A MAIORIA DA CATEGORIA NEM CONHECE O PLANO DE LUTA.MAS ENQUANTO A CLASSE NÃO SE UNIR NÃO CONSEGUIMOS O PISO NACIONAL. SEI QUE É DIFICIL MAS NÃO PODEMOS DESISTIR POIS SOMOS BRASILEIROS E BRASILEIRO NÃO DESISE NUNCA. POR ISSO TEMOS QUE CONTIMUAR LUTANDO, BUSCANDO,ENFRENTANDO TUDO E A TODOS PARA O BEM DA NOSSA CATEGORIA.SEMPRE PODE CONTAR COMIGO NÃO DEVEMOS ESQUECER:"TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE"Jesus Cristo.
"QUEM SABE FAZ A HORA NÃO ESPERA ACONTECER" Geraldo Vandré.
BEIJOS MILMAR BENTO/JANAÚBA/MG

MILMAR BENTO/JANAÚBA/MG disse...

MILMAR BENTO
BEATRIZ, TE ACHO UMA PROFISSIONAL SEGURA, COMPETENTE E FIRME NAS SUAS DECISÕES ENQUANTO NOS REPRESENTA, QUERO AGRADECER POR ISSO. PENA QUE A MAIORIA DA CATEGORIA NEM CONHECE O PLANO DE LUTA.MAS ENQUANTO A CLASSE NÃO SE UNIR NÃO CONSEGUIMOS O PISO NACIONAL. SEI QUE É DIFICIL MAS NÃO PODEMOS DESISTIR POIS SOMOS BRASILEIROS E BRASILEIRO NÃO DESISE NUNCA. POR ISSO TEMOS QUE CONTIMUAR LUTANDO, BUSCANDO,ENFRENTANDO TUDO E A TODOS PARA O BEM DA NOSSA CATEGORIA.SEMPRE PODE CONTAR COMIGO NÃO DEVEMOS ESQUECER:"TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE"Jesus Cristo.
"QUEM SABE FAZ A HORA NÃO ESPERA ACONTECER" Geraldo Vandré.
BEIJOS MILMAR BENTO/JANAÚBA/MG

MILMAR BENTO/JANAÚBA/MG disse...

MILMAR BENTO
BEATRIZ, TE ACHO UMA PROFISSIONAL SEGURA, COMPETENTE E FIRME NAS SUAS DECISÕES ENQUANTO NOS REPRESENTA, QUERO AGRADECER POR ISSO. PENA QUE A MAIORIA DA CATEGORIA NEM CONHECE O PLANO DE LUTA.MAS ENQUANTO A CLASSE NÃO SE UNIR NÃO CONSEGUIMOS O PISO NACIONAL. SEI QUE É DIFICIL MAS NÃO PODEMOS DESISTIR POIS SOMOS BRASILEIROS E BRASILEIRO NÃO DESISE NUNCA. POR ISSO TEMOS QUE CONTIMUAR LUTANDO, BUSCANDO,ENFRENTANDO TUDO E A TODOS PARA O BEM DA NOSSA CATEGORIA.SEMPRE PODE CONTAR COMIGO NÃO DEVEMOS ESQUECER:"TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE"Jesus Cristo.
"QUEM SABE FAZ A HORA NÃO ESPERA ACONTECER" Geraldo Vandré.
BEIJOS MILMAR BENTO/JANAÚBA/MG