quarta-feira, 11 de abril de 2012

A violência ao professor como uma situação do cotidiano escolar

“É preciso que nós vivenciemos esta prática para que nós amenizemos os conflitos diários nas unidades escolares”, defendeu a superintendente regional, Maria do Carmo Melo. A Superintendência de Ensino afirmou ainda que foi um episódio isolado e que o diálogo é a base para prevenir e punir esses tipos de casos.

Assim termina a reportagem do G1 a respeito da agressão sofrida por uma professora dentro de uma escola pública na cidade de Coronel Fabriciano.
Está cada vez mais comum professores serem agredidos dentro das escolas públicas e a situação é tratada como caso isolado e rapidamente esquecido. Fica o professor isolado, humilhado por ter apanhado de um adolescente no seu local de trabalho e tendo que ouvir as palavras politicamente corretas como "prevenção e dialogo" como se a agressão fosse consequência da ausência do diálogo e a vitima que é o professor acaba se transformando em réu. Quando uma sociedade assiste inerte seus professores serem agredidos, ela precisa refletir que importância tem a educação em seu desenvolvimento.
Mas se um governador pode desrespeitar o professor, cortar seu salário, ignorar direitos e leis, constrói-se um senso comum de que outras agressões também seriam aceitáveis. A escola não é uma ilha, reflete as condições históricas vividas por toda a comunidade escolar.
Confira

http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2012/03/apos-agredir-professora-aluna-se-desculpa-e-diz-passar-por-problemas.html

21 comentários:

Anônimo disse...

Além do foco no nosso piso e na nossa antiga carreira temos que nos focar também nas mudanças do ECA que a deputada Cida Borghet está tentando fazer através de seu projeto que já tramita em caráter conclusivo. Não vai adiantar muito termos o nosso salário corretamente aplicado de acordo com o piso nacional e nossa antiga carreira se ao mesmo tempo continuarmos apanhando de alunos em sala de aula. Em todos os municípios acontecem situações de agressão física ou verbal a professores e demais funcionários da escola. Temos que denunciar e publicar estas agressões sempre nos jornais. Mas de acordo com o estatuto dos servidores públicos estaduais a agressão sofrida pelo servidor em exercício de sua função é tida como acidente de trabalho, então cabe ao professor exigir uma boa indenização do estado. E se todos os professores passarem a fazer isso o estado vai gastar rios de dinheiro indenizando professores, pois agressões se tornaram rotina. O pior é que a maioria dos coitados ou desinformados dos professores quase sempre não tomam nenhuma atitude e fica tudo debaixo dos panos do jeito que o governo quer. O sindute tem que elaborar um documento, uma cartilha, sei lá, para orientar os professores a respeito dessa indenização que eles podem exigir em caso de agressão. Serão tantas ações contra o estado que o governo vai rapidinho arrumar um jeito de elaborar uma lei punindo os adolescentes agressores. Enfim o que não podemos é sofrer calados e ficar sem fazer nada pois é exatamente isso que o governo quer e é exatamente isso que não podemos aceitar.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com você Bia. Excelente artigo que deve ser debatido em todas as escolas. Infelizmente, os gestores não estão nem aí para esse tema tão importante. Então, só nos resta a união em torno desse tema buscando uma solução.
Há uma escola aqui em Guaxupé em que ameaças claras de alunos contra professores não são levadas a sério, inclusive a direção só fala mesmo em "conversar" e, covardemente, demonstrando toda sua incapacidade e omissão, ainda culpa os professores por não "terem domínio das turmas". É um absurdo!
Abraços,
Eliseu

fernando souto disse...

Olá Beatriz,

o que me deixa ainda muito mais perplexo é o descaso e o desleixo dos agentes governamentais. Nenhuma palavra de apoio ao professor, nenhuma palavra de moralização. São superintendentes despreparados que jamais poderiam estar à frente de nada relacionado à educação. Mas novos tempos virão e com eles outras pessoas, outras realidades. Paz e Alegria.

bruno1972 disse...

Cara Beatriz, cerqueira eu me chamo Bruno e sou profeessor da rede estadual, na área de história. Comentando sobre a máteria, eu sinto que vivemos uma era de subversão dos direitos civis e humanos, criando uma sociedade onde os professores só tem deveres e tudo gira entorno do "aluno" e familia. Sofremos com a administração pública,com a violência nas escolas, com a baixa auto-estima tomando medicamentos controlados, pois de cada dez pacientes do setor de psiquiatria do IPSEMG oito são profissionais da área da educação. Somos por muitas vezes caluniados e ofendidos, e os alunos e familiares sempre vão ter seus direitos respeitados e amparados mesmo quando sem razão dentor de uma legalidade pelega e hoje tenho a visão de que as secretarias de educação não gostam de professores, pois parece que não temos direitos a serm preservados esse é um micro-cosmo de nossa sociedade. Sei que ja não tenho nenhum prazer em ser professor por tudo que vejo tanto na minha família quanto nas escolas, apesar de eu não ter vivido na carne esses problemas diretamente, mas essa angústia toma minha vida pela leitura que faço da realidade de nossas escolas. Filosoficamente não estamos formando sujeitos e sim individuos....

Anônimo disse...

e triste

Daniel Zocrato disse...

Acabo de ler uma reportagem em que, uma professora de uma cidade próxima a Mariana, quase foi esfaqueada por um aluno que já foi expulso e a justiça o obrigou a voltar para sala de aula , mas como vc disse muito bem se o exemplo de desrespeito vem dos governantes o que podemos fazer ??? talvez nos espelhar na cultura japonesa onde o único profissional que recebe reverência do Imperador é o professor.

Anderson- Pará de Minas disse...

Cara Beatriz

Relato abaixo notícia de mais um caso de violência contra educador em escola da rede estadual , desta vez na cidade de Conceição do Pará .

Um grande abraço

Anderson Oliveira Viana
Pará de Minas


Link : http://www.jcnoticias.com.br/index.php?Conteudo=noticias&subMod=policial&Codigo=21397


Vice-diretora é agredida por aluno dentro de escola estadual


A vice-diretora da escola estadual Isauro Epifânio, no Centro de Conceição do Pará, foi vítima da agressividade de um estudante de 17 anos.

De acordo com a vítima, que tem 45 anos, o aluno fazia muita algazarra durante a aula de física e a professora solicitou a vice-diretora para que fossem tomadas as providências que o caso requeria.

Ela pediu ao aluno que saísse da sala, mas ele passou a gritar palavras grosseiras contra a vice-diretora. Ambos se deslocaram para o portão de saída. Ao se abaixar para abri-lo, o estudante desferiu um chute no portão que, descontrolado, atingiu a cabeça da vice-diretora.

O estudante fugiu correndo ao perceber que a educadora foi atingida. A PM foi acionada, mas não o encontrou. O caso foi encerrado na Delegacia de Pitangui.

Anônimo disse...

"Professores são agredidos em escolas públicas, como aconteceu em uma cidade próxima a Mariana( depois da primeira agressão, a faca. O aluno foi para casa e retornou, novamente com outra faca e arrombou a porta da sala da direção, onde a professora se encontrava.
Uma aluna de Vespasiano, dentro da escola durante o recreio, é abusada sexualmente por 4 colegas entre 11 e 14 anos."
É... a coisa está ficando do jeito que o diabo, digo governo quer.

Anônimo disse...

E o projeto da deputada Cida Borgheti, vamos apoiar? Além do piso e da antiga carreira temos que exigir mudanças no ECA pois nada vai adiantar recebermos 3 ou 4 mil reais por mês em apenas um cargo e continuarmos sendo reféns de alunos dentro das escolas. Temos que tornar públicos os casos de indisciplina nas escolas para as pessoas verem o descaso do governo na educação. Tudo o que o governo quer é que soframos calados enquanto o governo vende para a população uma propaganda de uma escola de primeiro mundo.

Anônimo disse...

O Brasil só poderá crescer e ter dignidade quando tivermos governantes com dignidade e moral de homem.

Anônimo disse...

È muito triste ,desgastante,frustante der professor hoje em dia

Anônimo disse...

PROFESSORES DA E.E. DR GERALDO PARREIRAS DE JOÃO MONLEVADE - S.R.E NOVA ERA TAMBÉM PROTESTAM E DENUNCIAM, JUNTO COM ALUNOS PELA IRRESPONSABILIDADE DA S.E.E.QUE JUNTO COM A CRIAÇÃO DAS TURMAS MULTISERIADAS, FECHA LABORATÓRIO DE QUIMICA, QUE FUNCIONA HÁ MAIS DE 30 ANOS COM DOIS PROFESSORES PARA AULAS PRÁTICAS. NO OFÍCIO A SEE MANDA QUE ALUNOS SEJAM ORIENTADOS A MONITORAREM A METADE DA TURMA, ENQUANTO O PROFESSOR DÁ AULAS PRÁTICAS. A MANIPULAÇÃO DE REAGENTES E ACIDOS QUIMICOS, DE ALTA PERICULOSIDADE SÓ PODE SER FEITA POR PROFESSORES DE QUIMICA QUE CONHECEM O PRODUTO, QUE PODEM CAUSAR DANOS IRREPARÁVEIS À SAÚDE DOS ALUNOS, INCLUSIVE QUEIMADURAS. A SRE NOVA ERA ESTÁ IRREDUTÍVEL E JÁ DETERMINOU A DISPENSA DE UM PROFESSOR HABILITADO EM QUIMICA (NIVEL SUPERIOR) E A EXCEDÊNCIA DE OUTRA PROFESSORA EFETIVADA, QUE TERÁ QUE COMPLETAR O CARGO COM OUTRO CONTEÚDO QUE NÃO DOMINA. SENDO ASSIM, O LABORATÓRIO QUE É PATRIMÔNIO PÚBLICO, EQUIPADO E MANTIDO COM RECURSO PÚBLICO SERÁ FECHADO, DEVIDO À IRRESPONSABILIDADE DA SRE NOVA ERA/SEE. ALUNOS PODERÃO DAR AULAS PRÁTICA SEM TER CONHECIMENTO PRÉVIO DO PRODUTO A SER MANIPULADO ? SE FOSSE UM FILHO SEU, VC DEIXARIA QUE ELE MANIPULASSE PRODUTOS QUIMICOS SEM CONHECIMENTO DA PERICULOSIDADE DO MESMO, SE INALADO, OU ENTRAR EM CONTATO COM ALGUMA PARTE DO CORPO ? E ESTE ALUNO NÃO TERIA UM SALÁRIO, JÁ QUE ESTÁ DESEMPENHANDO O PAPEL DE UM PROFESSOR ? E QUANDO E POR QUEM ESSE ALUNO SERIA INSTRUÍDO ? PELA SRE/SEE ? INDIGNAÇÃO.
INFELIZMENTE A EDUCAÇÃO DE QUALIDADE QUE TANTO SE QUER, COM AULAS DINÂMICAS E PRÁTICAS, FICARÃO PARA DEPOIS DAS ELEIÇÕES OU DA COPA, JÁ QUE O MOTIVO ALEGADO PELA SEE É CONTENÇÃO DE DESPESA. OS RECURSOS QUE DEVERIAM SER REPASSADOS PARA A EDUCAÇÃO ESTÃO SENDO DESVIADOS, E A EDUCAÇÃO ESTÁ VIRANDO SUCATA.
O QUE O SINDUTE TEM A DIZER SOBRE ESTA SITUAÇÃO ?
ASS. PROFESSOR REVOLTADO E INDIGNADO

Anônimo disse...

PROFESSORES DA E.E. DR GERALDO PARREIRAS DE JOÃO MONLEVADE - S.R.E NOVA ERA TAMBÉM PROTESTAM E DENUNCIAM, JUNTO COM ALUNOS PELA IRRESPONSABILIDADE DA S.E.E.QUE JUNTO COM A CRIAÇÃO DAS TURMAS MULTISERIADAS, FECHA LABORATÓRIO DE QUIMICA, QUE FUNCIONA HÁ MAIS DE 30 ANOS COM DOIS PROFESSORES PARA AULAS PRÁTICAS. NO OFÍCIO A SEE MANDA QUE ALUNOS SEJAM ORIENTADOS A MONITORAREM A METADE DA TURMA, ENQUANTO O PROFESSOR DÁ AULAS PRÁTICAS. A MANIPULAÇÃO DE REAGENTES E ACIDOS QUIMICOS, DE ALTA PERICULOSIDADE SÓ PODE SER FEITA POR PROFESSORES DE QUIMICA QUE CONHECEM O PRODUTO, QUE PODEM CAUSAR DANOS IRREPARÁVEIS À SAÚDE DOS ALUNOS, INCLUSIVE QUEIMADURAS. A SRE NOVA ERA ESTÁ IRREDUTÍVEL E JÁ DETERMINOU A DISPENSA DE UM PROFESSOR HABILITADO EM QUIMICA (NIVEL SUPERIOR) E A EXCEDÊNCIA DE OUTRA PROFESSORA EFETIVADA, QUE TERÁ QUE COMPLETAR O CARGO COM OUTRO CONTEÚDO QUE NÃO DOMINA. SENDO ASSIM, O LABORATÓRIO QUE É PATRIMÔNIO PÚBLICO, EQUIPADO E MANTIDO COM RECURSO PÚBLICO SERÁ FECHADO, DEVIDO À IRRESPONSABILIDADE DA SRE NOVA ERA/SEE. ALUNOS PODERÃO DAR AULAS PRÁTICA SEM TER CONHECIMENTO PRÉVIO DO PRODUTO A SER MANIPULADO ? SE FOSSE UM FILHO SEU, VC DEIXARIA QUE ELE MANIPULASSE PRODUTOS QUIMICOS SEM CONHECIMENTO DA PERICULOSIDADE DO MESMO, SE INALADO, OU ENTRAR EM CONTATO COM ALGUMA PARTE DO CORPO ? E ESTE ALUNO NÃO TERIA UM SALÁRIO, JÁ QUE ESTÁ DESEMPENHANDO O PAPEL DE UM PROFESSOR ? E QUANDO E POR QUEM ESSE ALUNO SERIA INSTRUÍDO ? PELA SRE/SEE ? INDIGNAÇÃO.
INFELIZMENTE A EDUCAÇÃO DE QUALIDADE QUE TANTO SE QUER, COM AULAS DINÂMICAS E PRÁTICAS, FICARÃO PARA DEPOIS DAS ELEIÇÕES OU DA COPA, JÁ QUE O MOTIVO ALEGADO PELA SEE É CONTENÇÃO DE DESPESA. OS RECURSOS QUE DEVERIAM SER REPASSADOS PARA A EDUCAÇÃO ESTÃO SENDO DESVIADOS, E A EDUCAÇÃO ESTÁ VIRANDO SUCATA.
O QUE O SINDUTE TEM A DIZER SOBRE ESTA SITUAÇÃO ?
ASS. PROFESSOR REVOLTADO E INDIGNADO

Anônimo disse...

PROFESSORES DA E.E. DR GERALDO PARREIRAS DE JOÃO MONLEVADE - S.R.E NOVA ERA TAMBÉM PROTESTAM E DENUNCIAM, JUNTO COM ALUNOS PELA IRRESPONSABILIDADE DA S.E.E.QUE JUNTO COM A CRIAÇÃO DAS TURMAS MULTISERIADAS, FECHA LABORATÓRIO DE QUIMICA, QUE FUNCIONA HÁ MAIS DE 30 ANOS COM DOIS PROFESSORES PARA AULAS PRÁTICAS. NO OFÍCIO A SEE MANDA QUE ALUNOS SEJAM ORIENTADOS A MONITORAREM A METADE DA TURMA, ENQUANTO O PROFESSOR DÁ AULAS PRÁTICAS. A MANIPULAÇÃO DE REAGENTES E ACIDOS QUIMICOS, DE ALTA PERICULOSIDADE SÓ PODE SER FEITA POR PROFESSORES DE QUIMICA QUE CONHECEM O PRODUTO, QUE PODEM CAUSAR DANOS IRREPARÁVEIS À SAÚDE DOS ALUNOS, INCLUSIVE QUEIMADURAS. A SRE NOVA ERA ESTÁ IRREDUTÍVEL E JÁ DETERMINOU A DISPENSA DE UM PROFESSOR HABILITADO EM QUIMICA (NIVEL SUPERIOR) E A EXCEDÊNCIA DE OUTRA PROFESSORA EFETIVADA, QUE TERÁ QUE COMPLETAR O CARGO COM OUTRO CONTEÚDO QUE NÃO DOMINA. SENDO ASSIM, O LABORATÓRIO QUE É PATRIMÔNIO PÚBLICO, EQUIPADO E MANTIDO COM RECURSO PÚBLICO SERÁ FECHADO, DEVIDO À IRRESPONSABILIDADE DA SRE NOVA ERA/SEE. ALUNOS PODERÃO DAR AULAS PRÁTICA SEM TER CONHECIMENTO PRÉVIO DO PRODUTO A SER MANIPULADO ? SE FOSSE UM FILHO SEU, VC DEIXARIA QUE ELE MANIPULASSE PRODUTOS QUIMICOS SEM CONHECIMENTO DA PERICULOSIDADE DO MESMO, SE INALADO, OU ENTRAR EM CONTATO COM ALGUMA PARTE DO CORPO ? E ESTE ALUNO NÃO TERIA UM SALÁRIO, JÁ QUE ESTÁ DESEMPENHANDO O PAPEL DE UM PROFESSOR ? E QUANDO E POR QUEM ESSE ALUNO SERIA INSTRUÍDO ? PELA SRE/SEE ? INDIGNAÇÃO.
INFELIZMENTE A EDUCAÇÃO DE QUALIDADE QUE TANTO SE QUER, COM AULAS DINÂMICAS E PRÁTICAS, FICARÃO PARA DEPOIS DAS ELEIÇÕES OU DA COPA, JÁ QUE O MOTIVO ALEGADO PELA SEE É CONTENÇÃO DE DESPESA. OS RECURSOS QUE DEVERIAM SER REPASSADOS PARA A EDUCAÇÃO ESTÃO SENDO DESVIADOS, E A EDUCAÇÃO ESTÁ VIRANDO SUCATA.
O QUE O SINDUTE TEM A DIZER SOBRE ESTA SITUAÇÃO ?
ASS. PROFESSOR REVOLTADO E INDIGNADO

Carla disse...

Denuncia. Beatriz hoje fiquei sabendo de mais uma situação absurda que está acontecendo, quem está na lei 100, pode pegar extensão e não precisa ser na matéria que ele foi efetivado pode ser em outra, e essas vagas também não foi lançadas para concurso.Beatriz por favor nós que passamos no concurso contamos com sua ajuda, sabemos que você lutara para que faça justiça em Minas Gerais, e que um dia possamos nos orgulhar da educação em Minas e da profissão que escolhemos. Que Deus te ilumine e proteja.

Anônimo disse...

Jesus, e se o professor revidar a uma agressão de um baita adolescente, está totalmente perdido. Está tendo que apanhar calado. Absurdo!

Anônimo disse...

Até quen enfim o sindicato entrou com a ADIN pra contestar o subsídio e com o pedido de intervenção pra que o executivo nacional interceda frente aos desmandos em Minas Gerais, já estava passando da hora. Aliás não se esqueça que PT faz parte da governança elitista e controla também o aparato repressor da polícia.

Anônimo disse...

Prezada companheira de luta Beatriz Cerqueira

Soube agora do PL 3099/2012 que vai retirar o meu direito de afastar da regência. Minha escola já fez o pedido e eu cometi a besteira de dizer que queria afastar a partir do dia primeiro de agosto. Fi-lo por não querer prejudicar os alunos, saindo no meio de um bimestre. Eu não tenho mais condições de continuar. Toda a minha força já está esgotada. Para mim só me resta afastar da regência, pois como professor eu não poderei produzir a contento. Parece que as pessoas do governo não percebem que cortando mais esse direito vão contribuir para pior a qualidade do ensino, obrigando a permanência na sala de aula de professores que já não conseguem mais produzir como antes.
Meu Deus, fui querer fazer o bem, para não prejudicar os meus alunos, e pelo visto, a lei vai me alcançar antes do afastamento. O pior é que estou com linfedema,tromboflebite, apneia, obesidade, e terei que permanecer em sala de aula. Pelo visto, só pedindo licença.

Peço-lhe que não publique este comentário-desabafo.

Cordialmente, João Paulo Ferreira de Assis.

Anônimo disse...

UM GOVERNO QUE NÃO RESPEITA O DIREITO DO SER HUMANO RESPONSÁVEL PELA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFISSIONAIS DE TODAS AS ÁREAS QUER MESMO É QUE SEUS ELEITORES SEJAM POUCO DOTADOS DE CAPACIDADE DE ESCOLHA, INTELECTUALMENTE LIMITADOS E FÁCEIS DE SEREM MANIPULADOS POR UMA MÍDIA F#D#%¨*$##$$ E BOTA $$$$$$ . INFELIZMENTE, O VALOR DE 1320,00 COMO VENCIMENTO BÁSICO BRUTO É INSUFICIENTE PARA QUE UM PROFESSOR SEJA APTO A FORMAR FAMÍLIA. OU ELE "DÁ" AULAS E SOBREVIVE COM ESTA MISÉRIA, OU ELE FORMA UMA FAMÍLIA, SE TOCA DA SITUAÇÃO E VAI FAZER QUALQUER OUTRA COISA QUE O SEU NÍVEL INTELECTUAL PERMITA.O QUE COM CERTEZA, EM QUALQUER OUTRA ÁREA QUE NECESSITE DIPLOMA, TERÁ MUITO MAIS SUCESSO, RESPEITO E RECONHECIMENTO SOCIAL, FAMILIAR E PESSOAL. SEM SALÁRIO DIGNO, BONS PROFISSIONAIS NA EDUCAÇÃO SERÁ A REGRA.

Marcia disse...

Beatriz o que você tem a nos dizer sobre essa situação:
Pauta extensa

A pauta apresentada pelo SindUTE-MG conta com 64 itens. São 14 temas relacionados ao item “Salário e Carreira”; 15 em relação ao tema “IPSEMG (Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais) e Previdência”; 11 relacionados aos temas “Gestão das Escolas e do Sistema e Vínculo Funcional”; 12 sobre “Qualidade da Educação”; seis demandas específicas sobre “Servidores das Superintendências Regionais de Ensino”; e seis outras demandas gerais.

Ainda que a pauta conte com mais de 60 itens, os representantes do Governo de Minas fizeram o agrupamento das reivindicações em três grandes eixos:

* Demandas relativas ao conjunto dos servidores públicos: serão tratadas em um fórum ampliado, com a presença de todas as entidades sindicais competentes;

* Demandas específicas da Educação: serão analisadas e tratadas ao longo do processo de negociação, a partir de uma agenda de diálogo e construção coletiva. Exemplos dessas demandas são as férias-prêmio e o posicionamento de servidores
Gostaria de saber se entre estas demandas esta sobre a lei 100, e a situação do concurso que ate agora não temos a classificação. Sabemos que a maioria das pessoas que está na lei 100 fez o concurso e passou, como vai ficar está nova situação?

Anônimo disse...

Hoje Um aluno me chamou de Bicha e Gayzinho na sala de aula. Me desrespeitou moralmente dentro da sala de aula.

uma das piores agressoes.


Marcos de Jaíba